Bandas: WAEL DAOU

Categoria: Heavy Metal

Ano: 2013

Ouvir um material solo às vezes soa chato, mas esse pré-julgamento pode mudar quando o material é versátil e muito bem produzido. Assim foi o álbum que recebeu o título de “Ancient Conquerors” do guitarrista paraense WAEL DAOU. Neste debut, em forma de EP, ele nos apresentou seis faixas totalmente instrumentais. O material é pomposo: prensado, com encarte colorido. Mas aí você pode se perguntar: Por que um encarte tão recheado se o material é apenas instrumental? Detalhes serão explicados!

Óbvio que a parte interessante não fica pra esses detalhes visuais, mas sim para as composições que têm arranjos maravilhosos. Algumas têm 5min de tempo, como é o caso da música “Genghis Khan”, que encabeça o álbum. Nesta música você já observa a enxurrada de escalas, que te deixam flutuando com nas melodias. E assim seguem todas as faixas com bases e contra tempos. Mas o destaque fica, principalmente, para os solos. Em “Salah El Dine” tem inserção de teclados, que soam como uma batalha.

Há também faixas que trabalham riffs como base de tambores, como é o caso de “Atilla the Hun”. Quem espera algo meio Yngwie Malmsteen, vai quebrar a cara pois WAEL DAOUsegue mais a linha misteriosa de Steve Vai com o experimentalismo de Robertinho do Recife (pior que quando ouvi este CD de Wael Daou acabei me recordando mesmo de Robertinho do Recife e acabei ouvindo o álbum Rapsódia Rock).

O “Ancient Conquerors” tem seus mistérios também e nos encanta por, além de um ótimo material instrumental, ser também um álbum que conta histórias. E aí é onde entra o teor dos textos do que descreve cada canção. O álbum contou com a participação de Marcos Saraiva no contrabaixo e a parte gráfica ficou a cargo de Gustavo Sazes. “Ancient Conquerors” é um ótimo material que merece mais atenção e Wael Daou já se mostra uma ameaça a grandes guitarristas brasileiros.

 

(por Hugo Veikon)

                                               << Voltar ao Site