Bandas: SISTEMA SANGRIA

Categoria: HardCore Crust

Ano: 2015

Sabe aquele cd que ao terminar de ser ouvido te dá vontade de tocá-lo novamente? Se quiser um material assim, esse cd dos paulistas do SISTEMA SANGRIA, lançado pela Metal Media e mais um coletivo de distros vai te surpreender.

São 29 sons no total (sendo que 21 foram gravados no Mr. Som de Heros e Pompeu do Korzus entre dez/2009 e jul/2012, seis em mai/2010 também no Mr. Som e os dois covers em 2013) e quase não sobra tempo para respirar entre uma e outra. Com uma formação básica, que conta com Antônio nos vocais, Fábio na guitarra, Naider no baixo e Igor na bateria, eles desfilam um hardcore pendendo para o grind onde, em diversos momentos, você sentirá bem as influências do R.D.P, Napalm Death, Terrorizer e Extreme Noise Terror e viajará em letras ácidas, diretas e bem estruturadas.

Entre os vários destaques eu citaria "Corpo Fechado", que ironicamente cita políticos que precisam se aliar à religião, "Oca Sinistra", que até lembra o começo de "Roots, Bloody Roots" do Sepultura, mas que trata de um assunto sério que é o vício de crack em aldeias indígenas.

Um dos poucos detalhes de melhoria do cd seria a em relação a distribuição das letras no encarte, pois este abrindo em forma de pôster faz com que tenhamos que abri-lo quase por completo para continuar acompanhando as letras.

Continuando com a sequência de pancadarias, um dos títulos mais bem bolados que vi de tempos pra cá foi o neologismo para  "Mallucifer", uma clara 'homenagem' ao político Paulo Malluf cuja letra é áspera e crítica. Pouco depois também destaco "Pátria Armada", que expõe muita revolta e ainda cita "Agressão / Repressão", clássico do R.D.P.

Outra pequena falha do encarte é que a faixa "Mohdzespero" é creditada como 12a. mas, na verdade é a 11a., mas nada que tire o brilho do trabalho. O cara tem que ser esperto pra acompanhar os sons. 

Outros destaques são "Feitiço da Morte", que também fala do crack e é seguida por "Alienação" e "Barak". Outro pequeno deslize dos caras é que "Vá em Frente" e "Disposição para Lutar" constam como uma única faixa no encarte, mas no cd são distintas.

A última música da primeira parte é "Fatal", que é mais puxada pra o punk. Aí a qualidade do som muda um pouco, pois foi retirado da gravação do 4way que eles participaram. Desta segunda parte eu destacaria "Fim do Mundo", que não alivia o pé e abre caminho para o cover perfeito de "Vá se Virar", do R.D.P, que ficou muito fiel à versão original. Ótimo cd. Curto e bruto
Cheers!!!!

(por Léo Quipapá)

                                               << Voltar ao Site