Banda: SILVER MAMMOTH

Categoria: Hard/Rock

Ano: 2014

O SILVER MAMMOTH, de São Paulo, foi formada em 2010 e o quinteto apostou numa proposta de um hard rock dos anos 70 com bastante  nuances de rock progressivo. Em quase 5 anos de fundação, o álbum 'Pride Price' já o segundo lançamento da banda em sua curta trajetória. Uma coisa que chama atenção é a vontade e competência da banda, já que em menos de um ano e meio, a banda já lançou os dois álbuns de estúdio.

Silver Mammoth é Marcelo Izzo nos vocais,  seu filho Marcelo Izzo Jr e Leonardo Henrique nas guitarras, Gerson Reyes na bateria e Chakal no baixo.

'Pride Price' veio sem soar muito diferente do primeiro álbum, onde a parte lírica ainda continua com os mesmos temas apresentados, como a corrupção política em diversas entidades, o mundo capitalista e enganador em que somos inseridos, além de belas baladas líricas. Isto é bem apresentado na encarte, onde nas imagens é tudo bem retratado, junto com as letras em cada página do material.

Enfim, assim como outras bandas de hard rock o Silver Mammoth traz fortes melodias e refrões que vão ficar grudados na cabeça por diversos motivos, tipo: você estará andando na rua e quando perceber vai estar cantando ou imitando as parte das melodias. O que chama ainda mais atenção é o modo como 'Pride Price' fora gravado. É notável uma produção bem crua, sem uma masterização delicada, além que os caras já trazem na sua essência essa coisa crua do hard rock. As guitarras, principalmente, soam sem muitos efeitos, apenas aqueles overdrives pesados, bottleneck e guitarras acústicas que variam durante o disco. Os vocais sem ser muito alto, bateria e baixo que completam toda essa harmonia. A primeira faixa realmente me cativou, pois a introdução já me lembrou a famosa banda Asia, assim como da banda brasileira Mad Old Lady, ou seja, daremos destaque para "Sinning Mass", junto com "Soldie Prey" que traz uma música bem tranquila junto com os teclados e sem abusar de muito solos rápidos, mas melódicos e o que torna ainda mais agradável é o arranjo final da música. Talvez, um ponto baixo no disco tenha sido a faixa “When Walls Get Cracked”, onde a sonoridade macabra me fez esperar algo bem marcante após, porém meu pensamento não foi como esperado e a faixa continuou apenas com o baixo e voz. Porém, com isso, posso dizer que a faixa serviu como introdução para a marcante “Robert and I Face to Thirty Years Later”, que a segue, onde em um dos seus momentos mostram características bem atuais.

As demais faixas do trabalho são indispensáveis, uma vez que seguem as mesmas linhas das citadas, esbanjando sensibilidade e peso na medida certa, com exceção da última faixa que nos trouxe um belo instrumental de Marcelo Izzo.

As 11 músicas do álbum, foram todas produzidas por  Marcelo Izzo e Neno Fernando, masterizado por Neno Fernando e AF STUDIO.

'Pride Price', mais um grande álbum para cena nacional, mostrando que a banda veio para firmar seu nome no cenário brasileiro, investindo em muita ação o que faz engrandecer  mais ainda o trabalho que já vem sendo feito pela banda desde o primeiro álbum.

[Facebook]

(por Ismael Guidson)

                                               << Voltar ao Site