+ FOTOS GALERIA (por Dezza Ganny)

Dia 19 de fevereiro de 2010, show no Bomber Bar. A banda da noite: SUPREMA, banda de Power Metal de São Paulo, mas várias coisas conspiraram contra o show da banda, ironicamente começando com a organização, parece até patético o que vamos comentar agora, mas como se traz um show e não divulga de forma decente? Falhas 100% dos organizadores (Blk). Por confiar que a internet é um meio de comunicação, esqueceram que talvez um mero entretenimento (pra não dizer papo furado), às vezes não confiável. Não usaram o tradicional cartaz colado nas lojas e estúdios, alguns lambe-lambe, ou uma simples panfletada (mesmo que de copia preta e branca). Falta de organização. Totalizando 30 pessoas com os membros das bandas.

O show começa com a banda Alkymenia, oriundos de Caruaru, ganhadora da última seletiva do Wacken Battle, que houve aqui no Recife, quem lembra se recordará perfeitamente da levada original da banda. Os caras detonaram com seu oscilado Thrash Death Metal. Músicas de seu demo, mas com alguma coisa nova no set que na verdade foi reduzido, talvez pela demora do evento iniciar, eles detonaram entre elas “Sick Society”, “Hate”, “Shame”.

Todas com um ótimo desempenho e a agitação de Lalo (baixo e vocalista) de grande instiga, o som não tava soando perfeitamente para quem estava embaixo um pouco saturado, mas nada que prejudicasse, talvez a acústica do ambiente. Deram um tempo, e fizeram um breve comentário sobre o que é underground, elogiando e agradecendo a todos ali presente. Assim detonaram ainda “Loser” e “Betrayal”. Sem muito tempo pra tocar, sem ter muito o comentar, encerramos a parte da Alkimenia simplesmente elogiando o Trio pelo profissionalismo e competência no palco.

 

                      

A atração principal da noite, SupreMa, mas tudo parecia conspirar contra a banda naquele evento, primeiramente a ausência do baixista que foi substituído por Cleison (Banda Caravellus) outros motivos que não favoreceram a banda: atraso enorme da organização do evento, falta de divulgação devida, problemas de saúde do vocalista Pedro (algo que nem atrapalhou o desempenho do cara). A banda começa o show fazendo o que disse em entrevista a este site, que faria seu tributo ao Iron Maiden, dito e feito. Passaram o som, ajustaram o grave que fazia a saturação no local e tudo melhorou um pouco.

 

Começaram  tocando “Ices High”, pararam e lamentaram a ausência de seu baixista, ao mesmo tempo elogiaram e agradeceram a presença do baixista Step da Caravellus. Douglas (guitarra) chama os poucos ali presente para se aproximarem mais do palco e detonam algumas como: “Two Minutes to Midnight”, “Flight of Icarus” dentre outras clássicas da banda. Aparentemente o baterista Helmut Quacken parecia não muito satisfeito, ou talvez cansado, diferente do vocalista Pedro que faz caras e bocas, apesar de doente. Ainda tocam “Fear of the Dark” e “Run to the Hill”, para acabar a presença da banda no palco do Bomber, eles se despedem com uma música própria a “Fury of Rage” música que vem tocando nas rádios especializadas, faixa esta que nos faz lembrar a antiga pernambucana ChaoSphere. Bem ficamos devendo uma presença maior de público aos caras do SupreMa, já que a organização não fez seu papel.

            

A organização falhou em diversos tópicos, vamos apontar mais outros: não considerou o apoio de divulgação que este site tem feito para não só com esse evento, como diversos já organizados pelo mesmo, e cobraram assim o valor do ingresso inteiro aos colaboradores deste site. Inclusive reciclando ingresso de eventos passados (André Matos para ser mais exato), está ai digitalizado para comprovação. Finalizamos por aqui e com menos um apoio. Dizendo simplesmente que, se alguém aqui não considera nosso trabalho, estamos ai pra mostrar que somos profissionais.

                       
                                                                                                                      Foto de nossos ingressos pagos

Texto por Hugo Veikon e fotos por Dezza Ganny