Recife Night CoverI
                                                                                                 
Dia: 26 | Set | 2009 

Particularmente, não curto uma banda que veste a camisa de ser cover, mas o que rolou dia 26 de outubro foi diferente. Diversos músicos de bandas distintas, prestando uma singela homenagem a seus e nossos ídolos, que talvez, alguns de nós não tivemos ou teremos oportunidade de ver.

Foi o que os membros de Led Zeppelin nos mostraram, um qualidade musical de bom nível, abrindo o show, o público que se encontrava no bar (inclusive eu) deixamos o álcool de fomos prestigiar essa homenagem, no decorrer do show várias faixas clássicas tais como: Whole Lotta Love, Dazed And Confused, Rock And Roll, Immigrant Song, Moby Dick e a balada Stairway To Heaven, enfim, destaque neste cover fica para a cozinha, que entrosamento o baixista que detona no grave, e o baterista com viradas precisas idênticas ao John Bonham.

A segunda a agitar a noite foi a Manowar, não sou um cara que se diz conhecedor da banda, então vou lamentar aqui os merecidos elogios aos integrantes que se esforçaram e pelo o pouco que eu conheço, pareceu fazer bem a linha dos Norte Americanos, mas a passagem mais semelhante foi às tietes mostrando suas tetas, e banhando os bangers com brêja.

O destaque da noite, sem dúvida foi Ozzy, o senhor das trevas pode ficar lá e nos mandar apenas Zack Wild, porque vocalista nós já temos, impressiona com a semelhança em seu vocal, a bunda apesar de branca não é tão idêntica assim – risos. Com grandes músicas da carreira e fama do crazy Ozzy ele tocou dentre elas: Crazy

train, I Don't Know, Bark At The Moon, I Don't Want To Change The World, Mr. Crowley – Middle: Symptom of the Universe, Iron Man, Children Of The Grave, Sweet Leaf e Into the void. Nesta altura do show minha mente já não funcionava tão bem devido ao álcool consumido, devo pedir desculpas aqui, mas a empolgação não me fez controlar o consumo.

Sem falar que não somos ainda tão reconhecidos como site para merecer atenção, nem tão pouco merecedores de termos o set list das bandas. Detalhe, não usamos o Arena Metal para arrecadar material gratuito ou entrar em show gratuitamente, Ok?

O quarto cover a subir ao palco foi a Dreath Theather, com os  seguintes desafiosos: Daniel Pinho – Vocal; Pablo Romeu – Guitarra; Gabriel Carvalho – Baixo; André Lira – Bateria; Edlley Tialisson – Teclado. Aos interessados no progressivo, seria a segunda banda da noite tão esperada, visto que o original são músicos internacionalmente bem conceituados. A Recifense não fez feio, tecladista de boa linha, vocalista bastante afinado como pede o estilo, a guitarra, sinceramente não o elogiaria com os demais músicos, mas o baixista e principalmente o baterista que mostrou competência em levadas que talvez quase ninguém em seu frenezir prestigiasse, levadas de pedal, e detalhes minuciosos que o original executa, a banda em si estar de parabéns, nos cover como: Regression, Overture 1928, Strange Deja vu, Erotomania, Pull me under, Another Day, Metropolis - Part I, As I am.

Rush cover já tem o título de cidadão pernambucano, e o público foi castigado a esperar até aproximadamente 3h da matina, quase todos loucos (conforme foto), cantaram refrões, deram moshes, todos com suas guitarras e baterias fantasmagóricas, foram ao delírio como fosse algo inédito ou estivessem frente a frente do original. Detonaram: Subdivisions, La Villa Strangiato, Tom Sawyer e Big Money.

Por fim um tribute de Death Metal, mas para um show longo desse porte, quase ninguém se encontrava no Armazém, inclusive eu.

 


Texto por Hugo Veikon  |  Fotos por William Headbanger

Suporte no set list:  Márcio Alex e Fernando Arruda