Texto e fotos por Hugo Veikon

GALERIA DE FOTOS

Não é de hoje que Pernambuco é um estado que recebe grandes bandas de fora do país, mas nos últimos tempos vem acolhendo várias bandas de peso. Desta vez os estadunidenses do NILE passaram por aqui, num evento que contou ainda com a participação da prata da casa THE AX e os potiguares do PRIMORDIUM.

O show foi realizado na capital pernambucana e, conforme programado, pontualmente às 21h iniciaram o evento com o THE AX. A banda fez um setlist curto, de aproximadamente 25min de apresentação, que iniciou com “Cross out of the Book” e, em seguida tocaram músicas do álbum ‘Postcard from Hell’. O baterista parecia tenso e isso transpareceu em algumas passagens de algumas músicas. Apesar de ser a banda de abertura a The Ax sempre garante seus seguidores, que estavam lá no pé do palco cantando junto a banda, seu thrash metal variado. Eles incluíram em seu setlist ainda dois coveres: no meio do set foi “Crucificados pelo Sistema” (RDP) e já no final, “Legal Rapes” (Unleashed).

O evento ainda não comportava tantos headbangers, mas era possível ver algumas pessoas de outros estados (Paraíba e Rio Grande do Norte) e cidades circunvizinhas. A segunda banda foi a PRIMORDIUM, que também aborda praticamente os mesmo temas da banda principal. A banda estava à vontade no palco e trouxe em boa parte de seu setlist as músicas do seu álbum “Todtenbuch”, lançado ano passado e que rendeu ótimas críticas. Eles, ao vivo, usam a mesma atmosfera utilizada no CD como exemplo da música “Osiris (Arcanus XX)”, onde usam sitra, mas que em palco eles trazem um ‘sample’ deste intrumento, mas a desenvoltura dos músicos no palco é bastante dinâmica. Outra música que não poderia faltar no setlist da banda é  “Legion”. Após 15 anos a banda voltou a Capital pernambucana e garantiu um público que estava lá realmente afim de ouvir o som da PRIMORDIUM, por 35min.

A equipe do NILE fez alguns ajustes no palco e no som, onde abrem-se mais canais e eles trazem de 2005 e de forma mais rápida a faixa “Annihilation Of The Wicked”, que, de cara,já arrancou acompanhamento do público com seu “...hey, hey, hey...” . O simpático Karl Sanders agita e instiga o pequeno aglomerado, se apresentando e tentando um português meio hispânico, falando: Nós somos o NILEEEEE. A segunda faixa foi “Defiling the Gates of Ishtar”, exatamente a que eles estava executando ao longo desta tour nos outros estado do país. E assim Toler-Wade convida todos a ouvir ‘noise’ e apresenta “Kalir”. Senti falta de um pouco mais de iluminação em George Kollias, bem como um telão que poderia facilitar o trabalho deste renomado baterista, afinal muitos estava bastante interessados em ver tal execução, e na ocasião ficaram apenas a ouvir.  Mas não senti falta de violência (no bom sentido) por parte do público, apesar de ser pequeno o número de metalheads. O Show durou cerca de 55min. Foi curto, mas quem foi curtiu bastante a apresentação do Nile.

O número de pessoas não foi tão grande, talvez como o esperado, talvez alguns foram atingidos já pela crise de 2015, outros por ser final do mês, mas quem esteve no show certamente aproveitou bastante as apresentações e o momento histórico de mais uma renomada bandas se apresentar em nossas terras.

<< Voltar ao Site