GALERIA DE FOTOS (por Willian Headbanger)
Texto por Hugo Veikon [Firetomb e PAndemmy]
Willian Headbanger [Beast Conjurator e Flageladör]

E o que fazer no carnaval se você não curte as músicas dessa festa popular? Bem, para o pessoal de Recife e região metropolitana há uma saída! Há uma festa que já faz parte do calendário dos metalheads daquela área: O CARMETAL, que este ano foi antes do período festivo. A Alive Produções aproveitou a passagem da banda carioca FLAGELADÖR pelo Nordeste e os convidou para, mais uma vez, participar e para adicionar mais combustão ao show. O público teve ainda o prazer de ver  FIRETOMB, PANDEMMY e BEAST CONJURATOR, respectivamente.

A multiculturalidade do carnaval só estava fora do Bar do Reggae (Estação do Reggae), pois dentro a certeza era ouvir Metal e pela quantidadedos camisas pretas que estavam em frente ao local do evento, pensava-se que o local não iria caber tanta gente.

A ordem do cast saiu só no dia e causou estranhamento a FIRETOMB abrir o show, mas o início do show um pouco tarde e o pequeno atraso assegurou o bom número de público, por sinal, muito jovem. Ponto que somou bastante: pessoa nova, mais energia. E a banda apresentava ao Recife pela primeira vez seu novo baterista Zk Aranha, que integra também outras bandas. Com um set list renovado, a banda tocou músicas do seu aclamado CD Hellvolution.

Começou com " Hell Awaits for World" e "War" músicas que garantem a jovem roda de pogo. O pessoal pedia muito a faixa "Thrash Metal". Também foram executadas novas composições como "Until I Die" e "Kill This Lie Again", músicas que a banda garante lançar ainda este ano em um EP. A banda aumentou a insanidade quando se arriscou a jogar alguns "merchans" para o público. O tempo foi curto, mas bastante proveitoso.

O PANDEMMY demorou um pouco pra se organizar no palco, mas a preocupação da banda era transmitir um som bom para o público. Ainda com o som da guitarra um pouco preso na música "Mind Effigies" a banda iniciou sua rajada, mas na segunda música o som melhorou. Que bom, pois era hora do hino da banda e assim soltaram "Self-Destruction", que atualmente parece ser outra música, pois a armadura que banda colocou nela  a deixou violenta e conseguiu arrancar acompanhamento do público. 

Os caras dedicaram músicas aos amigos da banda que marcaram presença e seguiram seu repertório. Das 11 músicas do álbum "Reflections & Rebellions" a banda tocou sete além de uma do EP Dialectic, (que foi "The Age of Mammon").  Dentre as músicas do full lenght a banda tocou uma que o público gosta muito e também deu origem ao primeiro clipe da Pandemmy, "Idiocracy". Após quase 40min de show a banda mostrou seu Death Metal e André Valogueiro deixou um recado que soou voltar em breve aos palcos do Recife.

Os  caras do Best Conjurator  foram a terceira banda a tocar na noite do Carmetal. Era uma das bandas mais aguardadas (se não a mais aguardada) da noite. Os caras sempre fazem uma apresentação muito instigante e começaram esta com “Rutra Iav Ramot” seguida das pancadas  “Fighting In The Depths Of Hades”, The Crawling Chaos”, “Torment In Darkness”, “The Nameless Kult”, “The Tree Of Death” e “Evil Conjurations”. Já passava da metade  da apresentação dos caras e parecia que  ainda era o começo.

Como a banda tem muito fãs e já fazia um bom tempo que os caras não tocavam pelo Recife, era notável  a satisfação tanto da banda quando dos bangers ao longo do show. Já próximo do fim os caras tocaram mais uma das suas obras (“Among These Graves”) e um cover da banda italiana Mortuary Drape,  “Primordial”

E pra encerrar, os caras tocaram “Coven Of Doom”, “Nekromantical Baptism” e “Ancient Sorcery”. Como sempre, uma ótima apresentação.

A  última banda da noite foi o Frageladör  que está em tour  de seu mais novo álbum e os caras  mandaram um speed thrash metal e  apesar de eu não conhecer muito sobre  história da banda  sei que tem uma boa quantidade de fãs aqui em Pernambuco, pois essa foi a segunda vez que a banda tocou aqui e sempre  tem o seu público fiel, aqueles bangers que você  vê cantando  todas as músicas e indo pra roda. Isso prova que a banda conquistou muitos fãs.

O microfone do contrabaixista, que também faz backing vocal, ou tava baixo demais ou ele realmente não conseguiu cantar. Em vários momentos a banda provocou roda de pogo, mas em músicas como "Cruzada ao Lado de Satã" (do seu debut oficial - A noite do Ceifador, de 2006), que é mais cadenciada, eles ainda assim conseguiram o hey! hey! do público, que ficou até o final de sua apresentação.

O Carmetal de 2014 foi mais um show para aqueles que colecionam história em seu baú de lembranças.

<< Voltar ao Site