Texto por Hugo Veikon Fotos por Willian Headbanger

GALERIA DE FOTOS

O que era pra ser um show se tornou um Ato de Reverência ao Bode e chegando a sua terceira edição, podemos dizer que o evento já se mantém como uma data aguardada e fixa do calendário do Metal no estado de Pernambuco. Era pra ser um show com quatro bandas, mas o baterista da banda de abertura, Cadaveric Infection, teve uma lesão e não pode tocar, porém a banda estava presente para também apreciar suas companheiras de guerra de cast, que contou ainda com NECROLUST ALCOHOLIC, FÉRETRO e VULTOS VOCÍFEROS.

Com o desfalque na noite, a responsabilidade de abrir os portais ficou para a NECROLUST ALCOHOLIC, que já atrai público desde seu surgimento, em 2003. Atualmente a banda já mudou algumas vezes a sua formação ficando apenas o baterista Armagedom (J.C.) e o vocalista Lord Necrolust (Marcelo) como membros originais. A banda abriu com “Satanic Throne” e sem demora o local já estava caótico, com os hellbangers já se manifestando, afinal não tem como ficar parado com o Thrash / Black que a banda trabalha. As lacunas entre as músicas para dar sequência em seu setlist é que esfriava um pouco. O vocalista dava constantes goles em uma garrafa de cachaça deixando nítido o porquê adicionar o termo 'Alcoholic' no nome da banda. Também do 'Lords of the Arts', teve a música "Loyalty", que hoje soa mais agressiva do que foi gravada no tape de 2004. A banda cumprimentou todos os black metallers que compareceram, inclusive de outros estados do Nordeste. A banda encerrou sua apresentação com a música "Assédio Alcoólico", apenas devendo mais um lançamento, porque desde 2008 que eles não lançam novas odes.

Dando sequência, veio a revelação do ano, a FÉRETRO, banda capitaneado por Nefando, frontman e baixista da horda e acompanhado aqui pelo guitarrista Eduardo (também baixista na Infested Blood) e pelo segundo guitarrista Carlos Oliveira (que é baixista na Necrolust Alcoholic). A outra novidade da banda foi ver o baterista Davi (que também toca na Decomposed God e Inner Demons Rise) destruindo todo seu set em uma banda de Black Metal. A banda começou tocando uma intro muito bem harmoniosa. Já na sequência expeliram músicas autorais. Quem começou cantando foi Carlos, o que chamou atenção na ocasião. Todas as músicas são cantadas em português e soam funestas, com harmonias carregadas. Como a banda ainda não chegou a lançar nenhum material, não garantiu refrão do público, mas garantiu elogios quase unânimes, classificando-os como banda destaque naquela noite, apesar do setlist curto.

Fechando os portais, a brasiliense VULTOS VOCIFEROS, que não deu espaço entre as músicas. E já no início eles vieram com a clássica "Impuro  e Infernal", do 'Ao eterno Abismo', material que também carrega consigo a faixa que é um hino da banda e evidentemente não poderia ficar de fora do Ato de Reverência ao Bode, que foi a música "Prelúdio Negro" que foi acompanhada por muitos que já seguem a horda. O destaque da banda ficou na agressão constante da guitarra e no ódio do vocal de Malleficarum, que ao vivo é tal como em estúdio. Eles cumprimentaram o nordeste, mostrando que estavam satisfeito com a (literalmente) calorosa  noite infernal. Uma das que também foram executadas no início dessa apresentação foi "Sacrifício, Sangue e Poder", já aglutinada a "Dominus Diabolus",  "Algoz de Deus" e "Ecce Verme Infector", todas do último material lançado pela banda, em 2011. Pena que em alguns momentos não se ouvia o baixo, mas a estridente guitarra de Baalthamuz ritmava com maestria. Já próximo aos 50min de show, eles tocavam umas das últimas, "Soturnos" e foi o suficiente para marcar esta edição do Ato de Reverência ao Bode.

E que venha a próxima edição com mais bandas do nosso underground nacional. Hail Brasil - Hail 666!

<< Voltar ao Site