Texto por Ismael Guidson Fotos por Willian Headbanger

GALERIA DE FOTOS

Em mais uma cobertura oficial, desta vez o  Arena Metal foi um pouco mais longe. O show aconteceu no Clube dos Fumicultores que tinha como cast definido as bandas Kranko (Arapiraca/AL), Tributo ao Judas Priest (Arapiraca/AL), N.T.E (Natal/RN), Krueger (Rio de Janeiro/RJ) e Psych Acid (Caruaru/PE). Um show com estrutura admirável, pra ninguém colocar defeito.

O festival Noise Music estava marcado para ter início às 19: 00 hrs, porém  teve um atraso de duas horas e ajudou a alguns que chegaram atrasados conseguirem ver todas as bandas subirem ao palco. Talvez esse tenha sido um ponto baixo do evento com o não cumprimento de horário, porém para nós que estávamos vindo de longe, o atraso foi uma boa (risos).

Já que o Noise Music surgiu com a idéia de reunir e apresentar as bandas da cena local da cidade, nada mais merecido do que a arapiraquense KRANKO ser a primeira a subir em palco para começar a fantástica sétima edição. O trio traz fortes influências do punk brasileiro dos anos 80, como Garotos Podres, Olho Seco e ainda Ratos de Porão nas letras. Os caras mostraram um punk bem cru, simples  e com bastante ação. O público se aglomerou na frente do palco e demonstrou todo apoio à banda cantando algumas músicas do setlist destruidor de 22 músicas, como “Krankudos”, “É Natal” e a que fechou o set, “Sk8 Punk Rock”, música que Karioca (vocal) recebeu ajuda de algumas pessoas para cantar no palco. Teve algumas rodas de pogo, mas o lance no show da Kranko foi bater cabeça e curtir o som cru de três acordes e de pura responsabilidade dos caras.

Em seguida, com mais de 20 minutos fazendo passagem de som e se preparando para que tudo saísse de ótima qualidade, a N.T.E (Nem Todos Esquecem) veio até Arapiraca mostrar seu punk/hardcore com letras diferenciadas pregando o não egoísmo e contra tudo que a sociedade hoje em dia nos impõe, desde religião até os preconceitos existentes. Sem contar que o vocalista Alexandre dá uma aula no incentivo cultural. No Noise Music uma frase de Alexandre que resume isto foi “LEIA LIVROS, PROCURE SE INTERESSAR POR ALGO E CRIE SUA PRÓPRIA OPINIÃO... ABRA SUA MENTE”. A apresentação da N.T.E foi super energética e foi onde a porradaria nas rodas começou. Em um dos momentos da apresentação, até o vocalista Alexandre Falante cantou a música “É Tão Difícil”, desceu do palco e foi pra roda junto com a galera. Eu também não me contive, joguei todos os materiais que estavam comigo e entrei junto. O setlist da banda foi quase todo baseado no álbum "Somos Prisioneiros", como as músicas “Quarta Divisão Do Rock”, “Desilusão Crônica” entre outras. Também tocaram três músicas do novo álbum, chamado "Cólera em Natal", que será lançado em março deste ano. Ou seja, Arapiraca teve a honra de ouvir as porradas dos som que estão por vir.

Apesar de estar no cast, foi anunciado, no início das apresentações, que a Eletric Eyevil, tributo a lendária banda Judas Priest, não iria tocar, pois o guitarrista teria saído da mesma por alguns motivos. Muitos ficaram tristes, mas não desanimaram porque ótimas bandas ainda estavam por vir.

Era hora de subir ao palco a paraibana (apesar dos guerreiros que hoje a compõem estão erradicados no Rio de Janeiro) KRUEGER. Uma aula de death metal bem pesado, com muita agressividade, um lado progressivo surpreendente e acima de tudo extremamente intenso. Os caras estão no processo de divulgação do mais novo álbum "Return to Death", que foi lançado em 2014, tanto que a Krueger apresentou quase todas as músicas do álbum novo, além de músicas dos primeiros trabalhos da banda. Foi raro o momento em que Adriano (vocal/guitarra), não elogiou o público e a organização do evento, porque a estrutura que foi dada era de ótima qualidade, realmente. Como imprevistos acontecem, a corda do baixo de Heber quebrou durante o show e isso deu uma oportunidade para Adriano, Thomas (Guitarra), apelidado por muitos como Jeff Hanneman brasileiro e William (baterista) mostrarem um pouco de improviso pra galera.  William foi considerado a estrela da noite. Por sua idade, o cara chamou atenção por estar no cargo de baterista da Krueger, sem sombra de dúvidas, uma puta responsabilidade cumprida. O Krueger apresentou ainda "Cause of Death" da banda Obituary. Com muitos mosh pits, galera insana e death metal de primeira a Krueger terminou sua apresentação recebendo os fãs no palco e atendeu todos os pedidos de fotos.

Se o Krueger foi aula de death metal, a banda seguinte deu uma aula de thrash metal. Os vizinhos pernambucanos da Psych Acid vieram com fúria e vontade de agradar toda a galera que esperou até o final toda aquela destruição sonora de thrash metal. Os pernambucanos chegaram num momento que todos já estavam com energias esgotadas mas conseguiram tirar aquelas últimas cargas existentes da galera que ficou até o final. A banda tocou músicas dos trabalhos mais antigos, como a primeira DEMO, até o mais recente disco, o álbum "Disturbance Without Control". Com toda certeza, a banda agradou a todos os bangers, que ficaram até quase o sol raiar para acompnhar a banda até o final de sua apresentação. E com devastação total, a Psych Acid finalizou mais uma edição do Noise Music.

Esta sétima edição do Noise Music mostrou que dá pra reunir todas as qualidades de um evento grande num evento underground... Espaço físico do local, som e iluminação sem palavras para descrever a tamanha qualidade, além das bebidas e comidas que estavam num preço bem acessível e conforto total. Resumo de tudo isso: Andy Burn está de parabéns, pois construiu algo de suma importância para a cena alagoana.

E se me pedissem para resumir o que representou esta sétima edição do Noise Music, sem dúvidas, diria;

FORÇA de vontade, GARRA e, acima de tudo, UNIÃO.”

Alagoas espera ansiosamente pela oitava edição...

<< Voltar ao Site