É com muita satisfação que o Arena Metal PE acompanha o Andralls em sua turnê pelo Nordeste, tendo como presença garantida os dias 25 e 26 de setembro.
A noite do dia 25 de setembro o Bomber Rock Bar, foi mais uma vez ponto de encontro dos bangers para presenciar a turnê que tem como título “Let’s Kill Again Tour 2010” dos FastThrashers do Andralls.

Exatamente ás 22:40, a banda Pernambucana Ahriman sobe ao palco como um atraso de 40 minutos, (um dos poucos fatores negativos constantes nos eventos em Pernambuco ultimamente).

O AHRIMANcomeça e com a missão de entreter o público, ainda pouco no local.Iniciam com músicas de seu set numa introdução muito criativa apenas no instrumental a ”Marck Of Black Spirity Ressurrection” é executada.

Com a intenção de energizar o público seguem com músicas como “Revelations” que destacou-se muito bem os vocais do Pedro, a “Impurity” música repleta de riffs, a “Cáotic Atmosphear” na qual ouve-se claramente os vocais e a parte instrumental da música perfeitamente e a “Paradise In Sodomize”. Vale destacar que a cada show que se é apresentado desta banda a presença de palco dos mesmos está cada vez melhor!

A banda segue com “Massive Pain For The new flesh” em que no início ocorre um pequeno mais notável desencontro entre a junção da bateria, vocais e guitarra, logo em seguida se entendem e com muito profissionalismo fazem com que o erro seja sanado.
E não parou por ai, a última música do set fica por conta da “I Must Kill My Enemies”, lembrando que o Ahriman iria executar um cover do Cannibal Corpse, devido o atraso dos 40 minutos mencionados antes a apresentação teve de ser finalizada, encerrando-se exatamente ás 23h10, executaram um set de músicas próprias.

Após um intervalo de 20 minutos a vez de destruir agora é do FIRETOMB. Os thrashers iniciam sua apresentação. O público decide aparecer bem na hora em que os caras iniciam seu set com “War”, música marcada pela forte pegada de Luciano na bateria, segue com “Between Heaven and Hell”, “Devil Intervention”, ambas executadas em ótimo som, expondo claramente os solos poderosos que a banda tem a nos oferecer e executam também “Fallen Man”, marcada pela empolgação do público dando sequência com “Thrash metal” numa apresentação na qual o pedal é fortemente notado e é executado com muito peso.

É chegada a hora do cover, quando anunciado nota-se claramente o delírio dos bangers ao especificar que se tratava de uma das lendas do thrash: Slayer – “Jesus Saves”, executada com perfeição. O encerramento deu-se com “Don’t Surrender” e “To Kill Or To die”. É impressionante como a banda emana uma energia muito positiva ao público, conseguindo arrancar o máximo de empolgação dos mesmos, a duração foi aproximadamente de 30 minutos.

                               

É dada uma pausa breve de 20 minutos para que a Falling in Disgrace subisse ao palco para o massacre. A banda mostra muita garra e determinação no que faz, demonstram isso com o ótimo set list apresentado na noite.

“Killer Instinct” deu início ao massacre e logo de cara somos surpreendidos por um cover do RDP - “Beber até morrer”, que foi imediatamente ovacionada pelo público que automaticamente agitou e cantou a letra quase em uníssono, nesta hora foi aberta uma roda, atitude essa que até o presente momento não tinha acontecido antes.

A banda ainda dispara a “Blood in the eyes”, executada com muita agressividade e rapidez, a “olhos de canhão”, faixa bônus cantada em português e divulgada em sua Demo: ”Never die Alone”, mantendo-se no pique liberam para os bangers mais um cover, desta vez detonam com tudo numa versão bem ensaiada de “Catimba”- Korzus  com a participação novamente do público executam também a “Without Reason for living”, na qual é sem dúvidas repletas ótimos riffs e de belas e destruidoras batidas.

Por fim, não poderia faltar mais um foda e merecido cover segue o mesmo com “Chopped in Half”- Obituary, fechando  com chave de ouro numa apresentação sua apresentação.

Sempre muito respeitados e donos de uma presença de palco consistente, entra em cena a UNSCARRED, banda que esbanja profissionalismo e atrai assim que pisam no palco a atenção do público arrastando com tudo os bangers para perto do mesmo, pois contava como suporte na bateria Wagner Campos, baterista da Decomposed God.

Iniciaram sua magnífica apresentação, abrindo com tudo com a “False Religons”, uma das músicas liberadas para o projeto da coletânea: “Terra Batida”, a música levou os bangers ao delírio (lembrando que o projeto tem como apoio a FUNDAPE, Secretaria de Educação de Pernambuco e Governo do Estado de Pernambuco).

Liberam também a “Powerzone”, música também bastante pesada e bem trabalhada ritmicamente, logo em seguida executaram mais uma do projeto Terra Batida, “Following My Thoughts”, nesta hora é notada  uma quantidade incrível  de pessoas disputando espaço na frente do palco para cantar as músicas que soavam como hinos, nesta música destacam-se o forte e destruidor som do baixo, pedais e riffs.
O set list ainda contou com “React” e a “Vortex” e como saideira a “Scars Of The Past”, que após terem iniciado a apresentação foi dada uma parada para conferida nos pedais, o que não passou de alguns segundos, a bela apresentação deixou um gostinho de quero mais, mas o recado foi dado e o público já estava aquecido para o que ainda estava por vir. Encerraram a apresentação.

                                  

Eis que já se passara das 02h00 e nessa hora todos os bangers estavam esperando por eles, a banda principal da noite, os Paulistanos do ANDRALLS.

A casa estava lotada e é chegada a hora da destruição final. Passando pelo Nordeste em sua tour “Let’s  Kill Again Tour 2010”, demostram que estão prontos para mostrar no restante da noite o que é um thrash de primeira...Um prato cheio para os fãs do estilo.
O público encontrava-se empolgados e atentos a tudo, até que é dado inicio ao espetáculo, os bangers que estavam mais atrás se aproximaram e os que já estavam apreensivos na frente permaneceram para conferir.

                                    

O início da apresentação foi marcada por pequenos problemas técnicos, enquanto executavam a “Fore Is My Ally”, foi-se presenciado problemas tais como: som um pouco saturado, caixas da bateria inaudível e falhas no microfones, detalhes que foram acertados com certa brevidade. Seguiram o set com “Two Side”, “Crosses Shall Burn” e “Hate”, levando os bangers a agitação impulsiva, assim como já se esperava o público vibra e aplaude a cada apresentação. Em seguida executam o clássico “Rotten Money” em uma ótima apresentação. “The Age Of Rage” com ótimos riffs e matadores vocais, o cover da noite ficou com “Slave now Wold”- Sepultura o que fez com que os bangers não descansassem em momento algum.

Surge então um momento de indignação do público, conforme iam executando o set, o público sentiu falta de uma das músicas mais conhecidas da carreira a “you mean shit”, os bangers iam vendo que todas as músicas eram apresentadas menos a tão esperada, foi feito o pedido em várias vezes e vozes clamando por “you mean shit, you mean shit,you mean shit”, mais infelizmente o pedido dos bangers não foi atendido.Mas fica ai o pedido para quem sabe na próxima volta a Recife os mesmos executarem  a mais pedida da noite.

Mesmo sem ela, o show continua com muita pancadaria e rodas sendo feitas a todo instante. Na sequência temos a “Cocaine”, dedicada aos consumidores da mesma  presentes no local e mais um clássico “Beyoud The Chaos”. Vale destaca que em momento algum ocorreu brigas ou bagunça no local (fora a nossa), em momento algum foram paradas as apresentações das bandas por motivos banais como os citados. Realmente os bangers saíram de suas casas para curtirem o show e suas cervejas numa boa.
O evento foi mais que o esperado, evento foda e muito bem organizado! É chegada a hora da despedida fechando a noite e a bela apresentação com a música que é a cara da banda a “Andralls On Fire”. Ao som do AC/DC, a banda se despede sobre uma porção de aplausos e saudações.

O Arena Metal PE, agradece a todos que em especial compareceram, as bandas da noite, ao Antenize-se, a direção do bomber e a todos que apoiaram o evento e com certeza todos os acontecimentos da noite ficaram marcados em nossas cabeças.



Texto
por Mirella B. Figueiredo
Fotos por Hugo Veikon e Dezza Ganny