Enfim uma sexta-feira de Death Metal no Bomber Rock Bar. Os catarinenses do Khrophus e os pernambucanos do Decomposed God, Horror Face e  Subinfected dividiram o palco.

Já havia muitos bangers no local quando os caras do Horror Face subiram ao palco. Começaram com a faixa que dá nome a banda seguida das instigadas “Disease And Misfurtune” e “Andute Rotting Laceration”, que gerou uma tímida roda entre amigos. Com o som mais ou menos ajustado, os caras continuaram a proferir nas mentes dos bangers presentes o seu autêntico Death Metal pernambucano, com “Thirsty For Cruelty”, seguida de “Cadaver Ocultation”, quando rompeu a corda da guitarra base. Mesmo assim a música rolou tranquilamente.

Por fim, os caras com apenas um guitarrista mandaram mais duas ótimas obras: “Biological Disaster” e “Hospital Virus Infection”. Uma ótima apresentação dos caras. Para quem é fã de Death Metal Autêntico, essa é uma ótima banda.

Era a vez do Decomposed God. Acho que posso falar que os considero a melhor banda de Death Metal de Pernambuco e só faz aumentar o nome da cena metal do estado aos olhos das pessoas do Sul.

Após alguns ajustes no som, os caras começaram a pancadaria com “Bestiality”, “No God” e “Decomposded God” e pirou os bangers presentes no bate cabeça frenético, sem falar da performance, sem igual dos músicos. “Kill the Bastard”, “Impregnated God Of Lies” e “Pestholy”, músicas que contagiaram os bangers, que já estavam no clima e só fizeram botar mais lenha na fogueira.

Como tudo que é bom dura pouco, os caras mandaram “Misanthropic Mind” e “Hipocrity Liear” com o mesmo entusiasmo do começo  do show. Eles têm uma energia contagiante, que foi retribuída na mesma intensidade pelos fãs do bom Death Metal.

Uma excelente apresentação dos caras! Continuem honrando o nosso metal pernambucano como fizeram nesta noite.

Era hora da atração principal da noite. Os catarinenses do Khrophus, um power trio demoníaco formado por Adriano “Dio” Ribeiro na guitarra, Alex Pazetto (o próprio Demônio no vocal e baixo, porque cantar e tocar daquele jeito só o demônio mesmo), e Carlos Fernandes demolindo a batera. Os caras demonstraram uma performance extraordinária, uma demonstração de rapidez, técnica e agressividade.

Posso dizer isso logo após as primeiras músicas dos caras: “Of The Elders” e “Returning To Apollo...”. Com certeza os caras impressionaram a todos os bangers presentes (que já eram muitos) com uma alta performance.

Os caras mandaram “Statues”, “Dominated” “Message Of The Sin”, músicas que honram o metal nacional e que lembram as grandes bandas de tecno-death metal mundial. Já próximo do fim, tocaram “Fisher Of Souls”, “Symbols Or Not” e a que seria a saideira, “Spirits”. Mas como eu falei, o show terminaria aí, mas os bangers em estado de êxtase e alucinados com o power trio pediram bis e foram  atendidos com “Slaves Of Hunger”.

Parabéns a todas as bandas, pois nos fazem sentir mais vontade de prestigiá-las e nos dão orgulho de sermos brasileiros.


Texto por  Willian Headbanger
Revisão: Léo Quipapá

<<Voltar ao Site