GALERIA DE FOTOS

Este foi o primeiro evento genuinamente extremo organizado pelo Arena Metal juntamente com o Alive Studio.

O primeiro "Ícones Underground - Legado do Mal", foi realizado no último dia 19 de março, com a participação de cinco bandas (ou hordas se assim preferirem), Pernambucanas propagando as desgraças de todas as religiões, sem nenhuma exceção.

Com aproximadamente 15 minutos de atraso, a PAGAN SPIRITS subiu ao palco. Com uma formação diferente da que gravou o “Reino da Escuridão”, até então, seu único registro. "Em Trevas", foi escolhida para dar início. Pode-se observar que ela ficou um pouco mais encorpada, talvez cortesia de seus atuais integrantes, como ex-integrante da Daimoth. “Fogo Satânico”, assim como no seu registro, destaca-se com passagens negras e vocais competentes.

Houve a apresentação de algumas novas faixas entre elas: “Escuridão” e “Missa Negra”, nas quais seus vocais são falados, no início de ambas. Encerraram com uma faixa que foge um pouco da sua temática: “Engrenagens do Metal” tratou de encerrar sua satisfatória participação.

CADAVERIC INFECTION -  Praticando um Death/Black Metal extremamente repulsivo e doentio. Estes são ótimos predicados para qualificá-los.  “Christianity Dead” inicia o show, mostrando bem qual sua linha. Lembra, de certa forma, uma mistura entre Archgoat e Cryfemal. A próxima foi “Erotic Atmosphere” outro som ‘fudido’. E por falar em som fudido (desta vez, no pior sentido da expressão), estava o caixa da bateria de Lord Occult, o que atrapalhou visivelmente o restante da apresentação.

“Pentagram” e “Scream of Domination” possuem velozes palhetadas e ótimos vocais (o que até ali era o ponto alto ). “All Disgrace” e o início de “Paranoid” (Cover do Black Sabbath) mostraram suas qualidades. Porém, realmente não havia muito que fazer e prematuramente o show foi encerrado. Aguardaremos sua próxima insana apresentação.

Sobe ao palco os necromânticos guerreiros da OCULTUS FUNERUS e "O Bestial Hino Profano" foi a primeira faixa a ser tocada. Logo em seguida, "A Batalha Amaldiçoada da Morte" e "A Derrota do Céu" mostraram que a ausência de última hora do seu baixista não comprometeu tanto a performance da banda (horda). "Nas Profundezas", com uma linha próxima a escola escandinava, trouxe a escuridão e a próxima, "Ocultus Funerus", que dá nome a Horda.

Após um pequeno problema na guitarra, que foi rapidamente e a tempo de finalizar a mesma. Vale ressaltar a desenvoltura de seus integrantes, em especial seu vocalista, que colocava o público por diversas vezes olho no olho com o bode. As duas últimas faixas foram Deathcrush (Mayhem) e Nightmare (Sarcófago), e curioso que em algumas partes essas letras eram traduzidas pelo seu vocalista. Grande apresentação.

Após ágeis substituições o ROTTING CHRIST Cover  já mandou “Thou Art Blind”, faixa quase que obrigatória em suas performances. O que pode-se afirmar foi que houve um desfile de clássicos numa sequencia matadora com "The Fourth Knight of Revelation", "Nom Serviam" e "King of a Stellar War".  Como já havia ocorrido anteriormente, tocaram o cover não menos fudido para Night's Blood (Dissection). 

Outra lembrada e bem antiga foi "The Sign of Evil Existence". Não vou fazer um destaque individual. A sua última faixa foi "I Am a Black Wizard" (Emperor). Uma ótima apresentação.

Com o término da banda anterior, já era de esperar que o público deixasse o local e foi justamente isto que aconteceu. A SODOMAHORDE fez quase um ensaio ao vivo. O que não lhe tirou o mérito de seu profissionalismo.

O set foi tocado na ordem do "Força e Honra" (Vídeo gravado em 2008). No show, como no vídeo, destaco duas Faixas: "Guerreiros no Campo de Batalha" e "Floresta Negra", ambas com boa performance da dupla, em especial de Nefasto Cenunnos, vocalista e guitarrista. Ainda encerraram com mais duas faixas a pedido do pequeno público ali presente. Em suma, bom show.

Parabenizo aqueles que merecem e que fortalecem cada vez mais a resistência. Sem mais para o momento.

Texto por Krakum Santos
Fotos por Willian Headbanger