+ GALERIA DE FOTOS

Chegamos ao final de um ano repleto de shows e nessa maratona, certamente, algumas bandas teriam de se destacar, assim Alcides Burn, como é conhecido, organizou e convidou umas das principais bandas do Recife. Bandas escolhidas: FIRETOMB – THE AX – CRUOR – CANGAÇO – SUBINFECTED. Local definido, não poderia ser diferente, Bomber Rock Bar, o qual mais proporcionou shows desse segmento, nesta cidade. Oportunamente, comemorava-se o aniversário do Alcides, organizador.

Aproximadamente as 23h30, com a casa e aparelhagens prontas a FIRETOMB abriu a noite e para iniciar seu repertório eles soltaram “Between Heaven and Hell” e “ Don’t Surrender”, tudo sem poupar energia diante do pequeno público que começava adentra ao local, ainda neste começo a banda ajustava as equalizações e nesse momento a aparelhagem que assistia Marcos Paulo apresentou falha e o guitarrista Randal assumiu sem problemas. O entrosamento dos músicos passa segurança para toda banda, no contexto geral.

A Firetomb mandou mais duas de seu CD lançado em 2010: “Hellvolution” – “Fallen Man”, esta última executada com um ‘speed’ a mais que a versão em CD, compasso ideal para ser tocada ao vivo.Nos covers “Season in the Abyss” e “Jesus Saves” – Slayer –  foi o momento que o público já se apresentava em melhor número.

A banda executou a faixa “Thrash Metal”, música que já é um hino para os Metalheads que conhecem a banda, então a banda nos atacou com “Devil Intervention” e “To Kill or To Die”, assim encerraram seu set list, naquela noite.

Em seguida e sem muita demora em montar seu set up, a THE AX subiu ao palco, com uma intro e a faixa “Postcard From Hell”, que deu título ao seu CD lançado independente este ano de 2010. Washington Pedro, vocalista, lembrava bem que o show era também uma comemoração de aniversário e o público parecia estar em um velório, visto que boa parte estava do meio do ‘hall’ para trás sem descruzar os braços. Quando “Cross out of the book” – “You Had a Life” - “New” foram mandadas em sequência, e menos de 15min de apresentação a banda já passava instigar um pouco mais o público. Sem falar muito veio uma faixa nova, que é instrumental e pode-se dizer que é um show de riffs, junto com “Meannes” – “Legal Rapes” (cover da Unleashed do álbum Victory). Mas o trabalho de divulgação da banda não pode ser esquecido, pra quem tem boa memoria, notou que a música seguinte foi “All tolerance”, que também é instrumental e abre o álbum Postcard from Hell.

E logo o set continuou com “Estigma (generation)” – com acompanhamento de True Metalheads que se encontravam ao pé do palco, com direito a mosh – “Instrumental to grave diggers” – e após um breve discurso de Alcides, a pedido do vocalista da The Ax, a banda encerrou com uma antiga música da banda, “The Crematorium Waits for us”.

Com uma pequena demora em subir ao palco era hora do Fucking Thrash Metal, CRUOR, que veio com a faixa “Seca” de seu único CD oficial, mas que ainda faz levantar qualquer defunto, essa banda é sinônimo de Roda de Polga, Nesta faixa a guitarra de Túlio Falcão silencia por falha técnica, mas tudo se resolve rapidamente. Em 2010 foi o ano do lançamento do EP Unburied, então eles tocaram para os presente: “Septem Sermones Ad Mortuos” – “Whitechapel” – por entre essas músicas Wilfred, vocalista, desceu do palco para curtir junto aos bangers. “Not Today” deu continuidade ao show, daí Wilfred convidou em um tom engraçado todos para curtir “No Remorse”, essa música empolgou muitos no Bomber principalmente o vocalista da The Ax, que não se conteve e subiu ao palco para dividir vocal com Wilfred.

O volista da Cruor ainda soltou o refrão de sua faixa “Tortura” ao final desse cover. E antes de tocar a faixa final, eles tocaram “Under the Sun” e para finalizar o curto set, de cerca de 30min., eles tocam Postmortem (Slayer), dessa vez com a parceria de Alcides no Vocal.

Quase 30min. depois, eis que subiu ao palco CANGAÇO. Apesar do longo tempo de espera o público permaneceu para ver esse Power trio, que abriu com uma nova música, “Positivo”, a única música em português da banda, e deram seqüência ao show com “Corpus Alienum” – “Ghost of Blood”. Vai até soar radicalismo de minha parte, mas foi esquisito ver pessoas fazendo passinhos (coreografia) ao ouvir esta banda, mas ponto de vista a parte. A banda deu sequência tocando um cover da Monstrosity, com Alcides dividindo mais uma vez vocal junto a um de seus convidados. Incrível foi ver Rafael Cadena executando os riffs e harmônicas de “Devious Instinct”.

Após alguns agradecimentos eles continuaram e tocaram: “Statu Variabilis” – “Devices of Astral”. Ainda houve espaço para tocar um cover em homenagem a Chuck Schuldiner com a faixa “The Philosopher”, em uma boa excursão, pena ter apenas uma guitarra, pois na hora do solo ficou um pouco vazio, mas fora isso a banda se saiu muito bem.

A SUBINFECTED ficou com a responsabilidade de encerrar o evento, mas pela quantidade de banda no elenco e com o atraso no início e no decorrer do show fazendo com que ficassem poucas pessoas para apreciar o Death Metal desta banda, que se apresentou com um line-up reformulado, se comparado ao último show deles, assumindo as baquetas o Necrogod (Hatembrace e Rotting Christ Cover) e de volta a banda o guitarrista João Jr. A banda veio com as músicas “Shot” – “Antcient Problems”, no início da apresentação o microfone parecia estar baixo, mas de fato o vocalista que estava cantando baixo, com isso ouvia-se muita microfonia e um mal contato de alguns cabos. A banda fez seu show com músicas de seu único CD já lançado, e dentre as executadas na noite foram tocadas: “Shot” – “This is the Way” – “Discipline of Atrocity”, Elvis, vocalista, anunciou uma faixa nova da banda intitulada “Evolution”.

A banda parecia estar tocando para um graned público, pois não diminuiram sua performance e não desvirtuaram seu repertório, convidando assim Alcides, ex vocalista da Subinfected, e tocaram “Necrotic Cannibal” fehando seu set ist e o show com “Paradise” e “Surtophobia”.

Apesar de o evento ter comportado grandes bandas da cena Metal recifense, eu tinha esperança de ver um público maior, mas foi um ótimo evento para fechar o ano de 2010 e vale lembrar que esse show foi principalmente uma comemoração ao Aniversário de Alcides Burn (vocalista do Inner Demons Rise), então finalizo dizendo: Parabéns e Saúde, Alcides.

Por Hugo Veikon