GALERIA DE FOTOS

Salve headbangers do Nordeste! Cá estamos nós equipe “Arena Metal” novamente e sempre presente relatando os fatos de mais um evento na cidade do “fogo”: Hellcife.

Desta vez fomos conferir o evento chamado de “Distorção Metal Festival”, no qual contou com a presença das bandas que se apresentaram exatamente na ordem em que descreverei, sendo elas: Inner Demons Rise, Decomposed God, Exposed Your Hate, Ceffaliun e Offendido.

Com um atraso insignificante de 30 minutos (digo “insignificante” pelo fato do que foi prometido de que seriam iniciadas as apresentações ás 22h30min), sendo assim tendo inicio ás 23h00min, o público “do lado de fora” devido a promessa feita fizeram-se presentes no horário dito numa quantidade considerada razoável, mas algo bem típico nos eventos de Recife é o “aglomerado” de pessoas apenas em frente do local, ao entrar a visão que tive não foi bem a mesma pelo menos no inicio.

A responsável a dar as boas vindas ao público que naquele momento mantinha-se pouco no local foi a Pernambucana “Inner Demons Rise”, após o álbum “Drachenorden” vieram a tona divulgando seu novo e suado trabalho que tem como nome “The Salen Withcraft Events...” prometendo apresentar um Repertório cheio de novidades para os fãs e os presentes no momento.
Com seu Death Melódico não ficaram apenas na promessa, chegaram e fizeram bonito, percebível novidade também no logotipo da banda.

Como já foi informado aqui, as canções foram inéditas, iniciaram então sua Introdução soando num ar sombrio e logo em seguida a 1º música a “I See Evil, I See Lies” que contou com a presença do Wilfred Gandêlha (banda Cruor), voltando já apenas com o vocal do Alcides foi a vez de executa a também mais nova “The Circle Of  the Young Girls” e a “J.proctor”.
Tivemos também musicas tais como: “Weight Of The Authority”, nela consegui ouvir bem os dedilhados do baixo, Instrumento este possuído pelo Magno, na qual esta mesma canção também possui um inicio bem Cadenciado seguido de bastante peso.
Deixo uma observação em torno do palco que recebeu uma atenção especial, percebi o mesmo mais espaçoso facilitando assim a desenvoltura dos músicos, tivemos ainda as canções: “Witchcraft”, nesta dou destaque aos solos da bateria e para finalizar, executaram a última (e que última!) a “Children’s Sight” perfeita para bater cabeça, musica bem trabalhada, com partes mais rápidas caindo bruscamente para um estado mais cadenciado, aguardamos o lançamento do novo trabalho!

Como segunda banda da noite escolhida a subir no palco foi a também Pernambucana Decomposed God, após um possível longo ajuste de som, cerca de 30 minutos por volta das 00h10min o público começou a mostra-se mais presente.
Iniciaram seu set com a instrumental “Aversion” que com os seus Riffs marcantes deram uma boa noite poderosa ao Bomber.
Na sequência tivemos a “Pestholy” na qual continuei a observar os Riffs extraídos e a ótima coordenação da bateria que encaixava-se perfeitamente aos vocais do André formando o conhecido som Caótico produzido pelos mesmo.
Sabendo que esta seria a 1º apresentação após 20 anos de carreira da mesma, nada melhor que aproveitar mais uma das oportunidades que tenho para parabenizá-la diante de tal sucesso.

Tivemos na noite ainda músicas de destruir os pescoços dos presentes como: “No God” com suas Metralhadas e riffs matadores, também a que leva o nome da banda “Decomposed God” e a  “Ecce Hommo”.
As rodas no local estava uma escassez só, algo muito estranho, pois geralmente a destruição rola solta nos eventos em que a D.G se apresenta, mas analisando o fato e observando o público a atenção estava completamente voltada para a banda, estavam mesmo eram afins de admira-la, creio que pela saudade em apreciá-la ao vivo  pois a ultima apresentação dos mesmos por aqui foi em novembro de 2010.

E foi na “Misanthopic Mind” que ocorreu um incidente, enquanto a mesma era executada a corrente do pedal do Wagner Campos arrebentou-se, após a solicitação caridosa de um pedal alheio emprestado eis que surgiu o pedal do Marcelo Costa do Expose You Hate, sendo assim a “Misanthopic Mind” não chegou a ser finalizada com êxito.

Atitude foi do Wagner em ter mostrado ao público o pedal arrebentado o que fez com que os presentes aplaudissem e se agitassem.
Após alguns ajustes com o pedal provisório iniciaram a “Bestiality” acreditem, mas a destruição no local foi tentadora, foi tanta que o público formou as já conhecidas rodas e após seu termino pediram mais, e sim teria mais! Mas devido as condições que não estavam das melhores, a quem diga o Wagner Campos a apresentação parou por ali aproximadamente as  00h50.

Dada mais uma parada de mais 30 minutos sai a Decomposed e entra para ajustes os rapazes do “Expose Your Hate”, é iniciada a destruição no local por volta das 01h20min com seu Death/Grind.
Na 1º música sendo ela a “Despise For Animal Life” foi inevitável não sentir a vibração positiva por parte do público, emendada sem muito “lengalenga” a mais nova “Transitory Lifetime” e a “The Media Vírus”.
O set seguiu com a “Ready To Explode” mais uma música nova, mostrando a desgraceira que esta por vir no próximo material da banda, preparem os pescoços!

A todo instante a agitação fez-se presente, foi tanta que o “bate e bate” no Stand na qual estavam pendurado os refletores de luzes fez com que o mesmo saísse do lugar, foram rodas e mais rodas no local, alguns moshs também foi possível se ver e muitos batiam cabeça entusiasmadamente.

E foi na “Expose Your Hate” música que tem como título o nome da banda que a mesma teve de ser interrompida, desta vez por conta de problemas de contato diante das fontes onde permaneciam ligados o baixo e guitarra.
Após ajustes, executaram a “we against god” mas outro novo hino para os fãs da banda e adoradores do verdadeiro Death/grind, nesta mesma música o vocal Luiz desceu do palco e deu umas voltas entre o público cantando a mesma, seguiram ainda com “Moment Of Reflection” e com um cover do Obituary com a música “slowly we Rot”, após finalizada agradeceram e arrastaram a satisfação do público.

O set não parou por aqui, foi o mais longo da noite, sem falar nas estréias das musicas novas, contamos com mais “Start The Chaos” na qual destaco as palhetadas certeiras do Flavio França e do Herman Souza, “Condemned Relationships” e suas bases extremas e mais uma rajada de músicas novas, sendo elas: “Incredulous Rising” e “Spreading Holy Violence” em que também destaco o grande Claúdio e seu baixo poderosíssimo!

Mas um momento cover que ficou por conta da “Armageddon Death Squad” do Impaled Nazarene que destaco também a ótima presença de palco dos músicos e a segurança e resistência do Marcelo Costa que em todas as músicas soube usar seu instrumento de trabalho. A noite foi finalizada em festa e mesmo com as musicas “Inherent Human Cruelty” e a “Life Not For Sale” o público não quis se despedir continuou pedindo mais um, aparentemente não estavam cansados (risos).

Logo após um show fenomenal do Expose Your Hate  é a vez dos paraibanos do Ceffalium proliferarem seu brutal Death Metal de altíssima qualidade e técnica. Os caras começaram com uma das suas ótimas obras a “Your Sancity”, em seguir a “Hateful King” que agradaram a todos os banger presentes, os nossos conterrâneos botaram pra f....

Os caras demonstraram um excelente desempenho em palco e um extremo entrosamento, que também foi demonstrado nas obras “Recide” e “In War”, sem falar que o cover do Kataklysm  ficou excelente e que era visível nas expressões do público que falavam por si mesmo em alto satisfação(e puta que pariu que banda do carai!).
Já pelo fim da apresentação os caras mandaram mais duas das suas ótimas obras de extrema qualidade sendo elas as “servant Of Tyranny” e “human Machine” ótima apresentações dos caras!

Espero vê-los em breve no palco novamente, esta é mais uma banda promissora do brutal death metal nordestino. Vale lembrar que o som estava perfeito para todas as bandas.

A última banda a apresentar-se esta foi a Offendido, boa escolha para o final, tirando pelo público, que encontrava-se poucos no local. A minha curiosidade para prestigiá-la foi muita e não me arrependi por ficar até o final. Apesar de poucas pessoas, zeram uma apresentação animada e pelo pouco tempo da banda posso dizer que a mesma promete.

Estive ciente de que a banda não tem estilo próprio, porém mistura o Death e o grind, achei algumas canções bem similares a bandas Pernambucanas, sendo esta impressão que tive, as letras falam de temas sociais e revolta pública ou até mesmo um pouco de revolta particular. Iniciaram o set com sua intro na qual o público presente permaneceu parado apenas a observar o desenvolver da mesma, seguiram com músicas como ”Heróis da Guerra”, mais uma de suas músicas novas a “Sacrifício” na qual destaco os riffs e as pegadas com viradas marcantes da bateria.

Seguiram com musicas como: “Sangue da Injustiça” e “Divino Seja” na qual faço questão de destacar mais um integrante que “Tira onda” O vocal Dartelly, o cara tem carisma e sabe tomar conta do palco com boa desenvoltura, sabe usar sua voz em tons que vão do gutural aos vocais mais rasgados. Tivemos ainda a “Missão Cumprida” na qual serve de exemplo para que cada um faça o seu nessa vida, sem se importa com a vida alheia, ter a sensação de dever cumprido mesmo com todos falando o contrario é prazeroso, agir de tal forma é o que há!

E para finalizar contamos com as canções “Grito dos Ofendidos, “Alarme Ecológico” e um cover do Soufly - “Eye For Na eye”, boa apresentação  que fora finalizada as  03h40min.

O Arena Metal mais uma vez agradece e parabeniza a recepção da casa, também as bandas participante, ao público e a todos que por algum motivo não viemos de cita mas que de alguma forma participarão e fizeram com que a noite acontecesse, apoiamos a idéia dos sorteios que realmente aconteceram, sorteando para o público materiais que foram desde o nosso DVD duplo do 1º Arena Metal Festival até 2 ingressos do Iron Maiden que ocorrerá no mês de abril de 2011.

Força ao Underground!

Texto por Mirella Figueiredo e Willian Headbanger

<< VOLTAR AO SITE