GALERIA DE FOTOS

A expressão HELLCIFE tornou-se nome de um festival na capital pernambucana, e a noite escolhida, pelo produtor Alcides Burn, foi dia 11 de junho, a noite contou com as bandas CODE (AL) – PANDEMMY (vencedora do WOA PE/2011) – RABUJOS – CANGAÇO – INFECTED MIND (PB). O evento não demorou muito para começar, então muitos acostumados perderam o início da primeira banda a alagoana (ex paraibana) CODE.

A banda CODE é uma banda oriunda de alagoas, que conta com diversos músicos de outras bandas do cenário metal nordestino e esta noite a banda veio mostrar um set list que poucos da cena pernambucana conheciam. Pelo costumo do público pernambucano em atrasos nos shows que por aqui ocorrem muitas pessoas entraram e já viram o final da apresentação desta banda em questão, eu fui um dos que também entrou já no meio da apresentação da banda, e ao ver uma vocalista (feminina) já chamava a atenção, cantando um gutural que viaja em um Death e Thrash muito bem executado.

A banda tocou músicas próprias, mas o som não ajudava, com isso a banda encerrou mais cedo seu set e para finalizar a curta apresentação a Code manda um grande cover da  Napalm Death, a música escolhida foi a Greed Killing, do álbum Diatribes.

O show dá continuidade com a apresentação da campeã da Seletiva WOA pernambucana/2011, a banda foi a PANDEMMY, uma intro dar aquele ar de expectativa e a banda abre sua apresentação com as músicas: “Point of no Return” – “Heretic Life” (de seu primeiro demo, onde a banda soava menos pesado), mas a banda manda uma sequência de músicas no EP em divulgação o IDIOCRACY, quatro faixas que nos faz lembrar bastante o Death praticado pela pernambucana Inner Demons Rise.

A Pandemmy passa bastante energia para público, os guitarristas Pedro e Diego passam bastante energia, o contrário do novo baterista que parece um tanto quanto mecânico, apesar de sua técnica nas baquetas e assumir bem o seu set up. O vocalista Rafael Gorga tem uma boa performance contagiando o seu público. Subitamente a banda anuncia o fim de sua apresentação e encerra apenas tocando mais uma música de seu debut a faixa “Self Destruction”.

A RABUJOS sobe no palco apenas como um power trio, então nota-se que havia um desfalque e o contra baixo seria essa ausência, de cara a banda manda varias pancadaria e as faixas que rechearam o seu set foram: “Sem finais Felizes” – “Tanto faz o Apocalipse” – “ Faca e Faca”. A banda dar um intervalo e comenta que tá recebendo currículo para o posto do baixista.

O Guitarrista Rodrigo tocava insanamente a guitarra do líder da The Ax (Washington Pedro) e o vocalista, Jaka, para animar o público desce do palco e faz sua performance no lugar onde deveria se localizar alguma roda de polga. Eles mandam mais músicas e dentre elas música que fez parte da coletânea Terra Batida. O set da banda não passa de 30min e ‘noise’ e eles encerram sua apresentação.

Era a vez da CANGAÇO mostrar seu estilo diferenciado, pois a banda se destaque pela mescla de sons que incorporam em seu metal folk. A banda já garante nessa altura da madrugada um bom público, pois como comentado no início dessa resenha o público demorou a entrar e conferir principalmente as duas primeiras bandas. O som é mexido mais uma vez e eles começam com a “Positivo” o som parecia menos pesado que o EP, talvez pelo baixo está com uma altura superior a guitarra.

Mas a banda continuou e mostrou mais uma do EP recém lançado. Na sequência mandam a “Logical Mistakes” do material ‘Parabelo’- 2010. Detonam mais uma própria e executam “Dawn of Angry” da ‘Morbid Angel’ (Domination). Apesar da curta a carreira da banda, eles já oscilam em seu set músicas de seus três materiais e fecham com “Devices of Astral” do Debut EP de 2009 e “Corpus Alienum” (2010).

Os caras da INFECTED MIND, que seriam os primeiros a tocar não chegaram na hora marcada, com isso ficaram por último, uma boa parte dos bangers já tinham deixados o Bomber Rock Bar, mas os que ficaram puderam ver a apresentação dos paraibanos, que começaram com: “Blood In Your Eyes” e “My Frustation”, com muito peso, técnica e riffs alucinantes.

A banda agrada os poucos que ficaram para ver a banda, as mesmas precisões foram demonstrados na “From The Cradle To Disgrace” e a banda não deixou nada a desejar, para finalizar os caras mandam as “I´m Your Master” e “Rascals Of Destructiom” uma excelente apresentação dos caras.
O show foi bom, só temos a lamentar o final do evento não contar com um bom número de apreciadores de Metal da Morte, mas as bandas, público e organização tiveram seus momentos e todos estão de parabéns. O underground continua mantendo a chama acesa.

Textos por Hugo Veikon (CODE - PANDEMMY - RABUJOS - CANGAÇO)
                 Willian Headbanger (INFECTED MIND)
Fotos por Hugo Veikon e Willian Headbanger

<< Voltar ao Site