GALERIA DE FOTOS (por Willian Headbanger)

O Arena Metal  teve a honra de cobrir mais um Carmetal, evento que é realizado anualmente  após  o carnaval. Este ano foi realizado no dia 8 de maio -  dia internacional da mulher -  com as bandas Realidade Encoberta, Falling In Disgrace, Chaosphere, Beast Conjurator e Frageladör.

Quem  deu  inicio  a este Carmetal/2013 foi a REALIDADE ENCOBERTA, banda antiga que volta as atividades depois de muito tempo  parada. Eles voltaram com Daniel (guitarra), Magal (baixo) e ZK Aranha (bateria) da formação antiga e os novos integrantes Carlão (vocal) e Túlio Falcão (guitarra). Nos primeiros acorde da primeira música, "Sintomas de Terror", já se formou  uma das primeiras rodas e a instigação começava com o vocalista Carlão, que tinha feedback do público todo tempo.

Pensei por muitas vezes que ele iria entrar na roda. Os caras mandaram "Regime da  Morte" (essa é  única música que não está na no CD dos caras, que fora lançado no nesse evento), "Não Deixe de Lutar", "Postura Falsa" , "S.O.S Identidade Humana" e "Suicídio". Todas as músicas são muito contagiantes graças ao som bem crossover, com vocais punk/hardcore e um baterista que perecia que tocava com três pedais. Muito bom.

A segunda banda da noite foi a FALLING IN DISGRACE. Depois de quase dois anos sem tocar em Recife o power  trio voltou aos palcos recifenses, ainda divulgando seu CD independente “At The Gates of The Death”, lançado em 2012. Os caras  começaram com a música “Betraying  And  Playing Dirt”, do citado álbum, música que chama a atenção pela variação nos vocais  de Nilson Marques. Em seguida mandaram “Sociedade em Alerta” e “Blood In the Eyes” esta última do primeiro do EP “Never Die Alone” de 2010. Alguns  metal-heads até esse momento da apresentação apenas bangeavam enquanto outros apenas observavam. Os caras mandaram uma música nova intitulada “Otário, Miserável”  que tem uma leve influência do Claustrofobia e que agradou bastante a maioria dos bangers presentes.

Mas a coisa esquentou mesmo quando rolou o cover do Destruction “Thrash 'till Death”, executada com competência, agitando a maioria dos presentes e abrindo uma grande roda. Mantendo  o  clima quente, os caras mandaram mais algumas músicas. "Killer Instinct" posso disser que também agradou a maioria. Ainda tocaram mais duas e finalizaram seu set list.

O CHAOSPHERE voltou com todo  vapor em sua segunda apresentação com a nova formação que conta com André Lyra (ex- baixista na formação antiga que agora assume o comando de vocalista e guitarrista) Leonardo Cabral (baixo), Lucas Reis (guitarras) e o psicopata  Artur Lira (bateria). Os caras mandaram as músicas “Side By Side”, "The Infantry” e “Hunters” todas essa músicas cantadas por grande parte dos bangers que puderam matar asaudade  das obras que foram executadas com muita competência pelos novos integrantes.  Ainda pudemos ouvir uma música nova intitulada “Missão 666”, mantendo  a mesma linha das músicas antigas. Mas a banda  brindou o público com outras músicas antigas como “ Wings Of Wisdon” e “The Empire Of Lost Souls” da demo homônima, de 2002. Uma apresentação  que agradou tanto os fãs antigos como àqueles  que viram a banda pela primeira vez.

A quarta banda da noite foi a BEAST  CONJURATOR, uma das bandas com o público mais fiel da atualidade. Isso foi demonstrado nos primeiros  riffs que formou uma roda que durou a apresentação inteira intercalando com moshes do palco. Interessante como a  banda consegue aglomerar uma porrada de bangers insanos num espaço que parece impossível. Os cara tocam um Death Metal Old School sem muita firula em uma pancadaria desenfreada.

Os caras tem um grande números de fãs e posso dizer  isso pois tinham muitos bangers com camisa da banda e como já presenciei vários shows deles, posso afirmar que é o mesmo grupo de bangers que acompanha a banda em  quase todos os shows. A Beast Conjurator fez uma apresentação muito extensa, mas nenhum dos fiel seguidores arredou os pés dali até o último riff.

A última banda da noite foi a FRAGELADÖR. Quando os cariocas subiram ao palco já era pouco mais de 3h da 'matina' mas os fãs e a resistência estavam lá de plantão a espera, ainda mesmo que bêbados e extremamente e visivelmente cansados. Após as primeiras músicas eles tocaram um cover do Motörhead, “Bomber”. Caros leitores, tanto por opinião minha como de alguns bangers que comentavam entre si, confesso que esta foi a pior versão que eu já ouvi! Em relação as músicas autorais posso garantir que quem foi para vê-las saiu de lá satisfeito, pois eles tocaram suas obras com maestria.

O Arena metal agradece  mais uma vez a Alive Produções (Leo Frias) pela oportunidade e parceria.

Resistência metal.

Fotos e Texto por Willian Headbanger

<< Voltar ao Site