Texto e foto por Hugo Veikon
(GALERIA DE FOTOS)

 

O Dr. Sin veio a Recife mais uma vez, que por pouco não cai na mesma data que a última passada da banda por aqui. Desta vez no dia 05 de dezembro, mas veio pra matar saudade e ao mesmo tempo deixar saudade aos fãs da banda, pois este seria o show de despedida da banda. Com a formação intacta, daí o nome do último álbum de estúdio, “Intactus”, recém lançado. Mas em meio ao seu set list eles não trouxeram apenas essas atuais composições. Evidentemente eles tocaram seu hard heavy no intuito de tornar esse show histórico.

A abertura do evento contou com a participação do guitarrista Diego Richard, que foi acompanhado por um sampler e tocou duas de suas composições, mas foram duas longas músicas, recheadas de técnicas em cima de demonstração de solos. O guitarrista conseguiu arrancar aplausos dos que entraram logo no começo, mas como muitos queriam mesmo era ver a Dr. Sin, esses entraram e lotaram a casa apenas na hora em que a banda estava programada para tocar.

Aproximadamente às 20h eles fizeram aquele suspense e logo sobem os homens de frente, Andria Busic (vocal/baixo) e Eduardo Ardanuy (guitarra), para que por último subisse o baterista/backing vocal Ivan Busic.

Foi do álbum ‘Brutal’ que eles deram o pontapé inicial e vieram com “Down in the Trenches” e seria covardia dizer que os irmãos Busic são os únicos que cantam na banda, pois já no primeiro verso os fãs já os acompanhavam. Cronologicamente eles pularam de 1995 para 2000 e vieram com a progressiva “Fly Away”. E assim viajaram mais a frente, e do álbum “Animal” de 2011 eles trouxeram “Lady Lust”. Com a platéia disposta a cantar todas as músicas eles se empolgaram e garantiram várias outras faixas da longa carreira da banda. O que se via do palco para com o público era um caso de amor, respeito e admiração. Por várias vezes Andrian deixava o público cantar e até mesmo cobrava dos mesmos e assim ele disse: Vamos colocar fogo neste local? O público gritou “Fire!”... e Ardanuy fez sua guitarra ser reverenciada.

O respeito e amizade também vieram da banda para com o produtor João Marinho, que recebeu uma homenagem da banda e dedicaram a música “Zero” ao cara que os trazia mais uma vez a capital pernambucana. Já que a dedicatória foi ao João Marinho, Eles pegaram o gancho e convidaram também o pernambucano Antonio Araújo (Korzus), na ocasião Antonio disse que era uma honra tocar com os gênios do Rock and Roll brasileiro e um dos pilares do país. Depois de uma rasgada admiração, Antônio chamou os riffs iniciais de “Time After Times” e que dupla formaram o Ardanuy e Antônio, tanto que o prata da casa saiu do palco aplaudido.

“Revolution” foi uma música que soou bonita, pois a banda parou e deixo o público cantando. Tocando algumas músicas do último álbum, Intactus, pareceu realmente que seria o final do show e que os fãs iriam vê-los juntos por aqui pela última vez. Foi quando Ivan anunciou a música “Emotional Catastrophe” e disse que era a ‘saidera’. Então todos gritaram por “Futebol, Mulher e Rock’n’Roll”, mas eles desceram do palco e ouvi muitos dizendo: Mentira, não é? Eles não vão acabar não, não é? Mas aí Ivan subiu no palco, pegou a camisa do São Paulo de um fã a frente do palco e ergueu a mesma... a vaia veio junto com o grito de guerra de um time local (Sport). Mas aí vem várias brincadeiras futebolísticas.

A banda voltou como Ivan como vocalista. Interessante quando ele assumiu totalmente o vocal o roadie tomou conta das baquetas e logo em seguida um cover da Creedence Clearwater Revival, com a música “Have You Ever Seen The Rain” e eis que agora sim o final do show, que eles encerraram com “Futebol, Mulher e Rock’n’Roll” onde fizeram um medley com a música “Metamorfose Ambulante” de Raul Seixas.

Logo após a apresentação a banda ficou disponível para autógrafos e seção de fotos com todos os interessados. Realmente uma despedida que vai marcar tanto para banda como os fãs da banda.

 

<< Voltar ao Site