Inicio esta resenha deixando bem claro que a Noite Thrash, foi um verdadeiro sucesso! Após alguns mal entendidos de acordos para fechamento do cast, eis que o mesmo estava formado!

E foi mais uma vez em nossa segunda casa nos finais de semana, o Bomber Rock Bar, que contamos com as bandas: True Violence, The Ax, Testament Cover (este executado pela banda Dark Vision) Bonebraker e a Carrasco. Esta foi a ordem das apresentações. Deixo apenas meus pêsames para os adoradores do estilo que, por  algum motivo, não puderam marcar presença. Por isto nós, do Arena Metal, não iríamos perder de registrar tal noite para vocês. Referente a questão público, superei minhas expectativas assim que pisei no local. Ao chegar em frente ao Bomber, os bangers já estavam presentes e aguardando, em uma quantidade bem maior que a que imaginei contar.

Os caras do True Violence após um bom tempo parados sem dar as caras, fizeram a sua estréia no Bomber Rock Bar neste dia. Como de costume, o público nunca sobe para ver a primeira banda. Eu só posso lamentar pois, na minha opinião, a True Violence é uma das melhores bandas de Thrash Metal de Pernambuco. Iniciaram o show com “The Stranger”, seguida de “Night In Sodom”, duas excelentes obras dos caras.  Eles executam um Thrash Metal autêntico como poucos fazem, e a prova disso foram “Dead Empire”, “Through Of Fire” e “False Paradise”, que são boas obras dos caras e mostram muito bem a qualidade técnica musical. Para encerrar o show, como de costume, mandaram o cover “Arise” do Sepultura, muito bem executada. Uma ótima apresentação e repito: quem gosta de Thrash Metal de qualidade perdeu uma excelente apresentação.

Eis que sobe ao palco uma das bandas-orgulho de Recife! Começo a descrever agora a destruição feita pelo The Ax. Como já bem sabem o profissionalismo e a capacidade de produzir um thrash de extrema qualidade está facilmente nas mãos destes caras que subiram ao palco detonando tudo! Iniciando o set com “The Crematorium Waints For Us”, em bom som (Isso mesmo! Um fator interessante foi que o som no momento da apresentação estava com ótima qualidade e facilitando a compreensão sonora dos instrumentos). Seguiram com “Cross Out Of The Book” em que ocorreu uma pequena pausa para ajustes nos instrumentos (no que só teve a melhorar na apresentação!) E foi com a ”You Had A Life”  que posso dar destaque aos vocais de Washington e aos furiosos riffs produzidos também pelo mesmo. Continuaram com músicas tais como: “New”, “Requint Of Cruelty” e “Menneas” em que levantaram o astral do público. O momento cover e ao mesmo tempo momento participação especial ficou por conta da música “Legal Rapes” (cover do Unleashed) com a participação do Fábio Arandas (Ex-Subinfected e atual Moloch), destruindo com seus pedais e estraçalhando por completo toda a bateria. No inicio da mesma Washington fez uma breve pausa para trocar de guitarra. O público permaneceu animado em todas as músicas demonstrando empolgação com rodas e tombos devido ao chão escorregadio do local. E a apresentação seguiu com “Generation” e, para delírio dos fãs, mais um cover, sendo desta vez a música “In The Name of Tragedy” (Motorhead). O público, satisfeito com a qualidade em que a mesma foi executada, agradeceu e aplaudiu ao final. Finalizam com “Instrumental To Grave Diggers” (com seu instrumental de primeira) e “The Prince Of Betrayal” para fechar com chave de ouro a apresentação.

Em seguida foi a vez do Testament Cover, cover este tirado pela Dark Vision, que sabe como realmente representar os 80’s do Testament. Iniciaram o set com “More Than Meets The Eye” e “Into The Pit”, seguidas de “The New Order” (apresentação com perfeitos solos) e “Burnt Offerings”. Importante relatar que quando estava em um lado do caixa ouvia perfeitamente a voz do Thomas, as guitarras, baixo e bateria, porém ao me deslocar para o centro e permanecendo entre um caixa de som e outro, percebi que o vocal estava altíssimo, chegando até a incomodar um pouco. Creio que isso não tenha sido notado naquele momento pelo mesário e também não atrapalhou a apresentação da banda. E o set seguiu com “Disciples Of The Watch” e “The Preacher”, executadas em bom som e com bons solos. Importante também falar da boa presença de palco e profissionalismo da banda. Finalizam o set com “Over The Wall”.

A penúltima banda foi a Bonebraker. Se não bastassem todas as bebidas degustadas enquanto as outras bandas anteriores se apresentavam, fomos recebidos, logo de cara, com “Tsunami Of Beer”. A embriaguez dos mesmos também estava tanta que o vocal se desequilibrou do palco e quase foi ao chão. Ouvia-se bem naquele momento o som do baixo e guitarras e ao finalizar presenciamos um mero desencontro da bateria o que não prejudicou em nada.

Tivemos em seguida “Get Up To Die”, com boa introdução e executada perfeitamente, com destaque para os vocais do Pedro. Executaram também “Street Fight”, que realmente foi um verdadeiro “Fight” e “Illusions”, trabalho de 2008 que gerou a formação de rodas furiosas. Tivemos mais uma música própria, “Car Weckage”, munida de muita destruição no local e riffs matadores. Executaram também um cover do Exodus com a música “A Lesson In Violence” e finalizaram com “The Thrash And The Bitch”, ambas em boa execução.

E quem fechou a noite (crendo eu que tenha sido bastante satisfatória a apresentação dos mesmos) foi a Carrasco, que infelizmente não tive maiores detalhes pois por motivos pessoais tive de me ausentar.

O Arena Metal agradece a presença de todos os bangers e bandas presentes na noite, Agradecemos também a presença dos bangers do Rio Grande do Norte e Moreno, a organização do evento e ao bom som prestado na noite.

Até a próxima, vermes Thrashers!

Ps.: Tivemos problemas com a Câmera Digital usada nesta noite, então não exibimos fotos nesta resenha.

Texto por Willian Headbanger (True Violence)
               Mirella B. Figueirêdo
(The Ax, Testament Cover - Bonebraker e a Carrasco)