Bandas: RATTLE

Categoria: Thrash/Death Metal

Ano: 2015

Quando você saca um álbum com encarte, letras e figuras fica até mais fácil de entender a temática do mesmo, mas o que o RATTLE fez foi colocar mel na cachaça e facilitar demais a degustação. O cd é composto por 11 faixas, divididas em cinco blocos distintos.

O cd inicia com a famosa citação de Zé do Caixão (ou Coffin Joe, como queiram) sobre o existencialismo. Daí os caras traduziram para o inglês e mandaram as ideias na letra. E aqui vai um destaque especial para Val Oliveira, que além de ter um vocal muito poderoso, tem uma mente doentia e criativa para as letras. Em "The End" os caras começam com influências do Obituary, mas com um baixo de Daniel Iannini bem mais destacado. O refrão é bem simples e te faz cantar fácil.

O bloco dois inicia com um cântico militar. "Semper Fi" e "The Call pf Duty" exploram a temática bélica onde, na primeira a batera de Eric Dias usa e abusa de contratempos, enquanto na segunda, com título inspirado no famoso game, Henrique Coqueiro sola, riffs e alavanca sem piedade.
O terceiro bloco não inicia com vinheta mas já chuta tudo na curta

"Operation: Exterminate!", que é seguida por um sussurro que introduz "Whispers", sendo que esta se divide em três atos ao falar do sobrenatural. O início dela até lembra um pouco do Slipknot, mas os caras alinham o trem, jogam uma pitada de progressivo, uma dose sutil de King Diamond e garantem um dos destaques do cd!

Seguindo para o bloco que trata de medo e ameaça, "Last Standing Man" tem uma letra digna de um filme de ficção, mas também pode ser encarada como um grito desesperado de um suicida. Outra faixa interligada à sétima arte é "Pay to Enter, Pray to Exit", título do cult filme de terror dos anos 80, com direito a vinheta do filme no início da faixa.

Outra vinheta de filme inicia o último bloco, este mais focado no ocultismo. A primeira faixa da sequencia, "Hell of The Living Dead", título de um filme mais trash também dos anos 80, lembra bem o thrash/death do Torture Squad. A instrumental "Insomnia: The Sleep of Reason Produces Monsters" tem orquestração e tudo para deixar o clima mais assustador. O cd encerra com "The Dark Cult", que é cheia de quebradas insanas, principalmente no final, com a colagem de um discurso e um solo muito forte de Henrique.

Quer uma dica? Não olhe a capa e ouça sem medo.

Cheers!!!!

(por Léo Quipapá)

                                               << Voltar ao Site