Banda: PHRENESY

Categoria: Thrash Metal

Ano: 2014

Sabe aquela banda que você já é cativado pela capa? É o caso da brasiliense PHRENESY, que usam o tema que a maioria dos metalheads gosta: a nossa tradicional e boa cerveja.

Até achei que o CD 'The Power Comes From the Beer' começaria com um espirro de uma cerveja, copos brindando, ou algo assim, mas não. Somos surpreendidos por dedilhados das guitarras de Jabah Reivax e Tiago Teobaldo, na faixa de abertura, "Dirty Game", que após riffs trincados vem com a pancadaria. Os vocais de Wendel Aires tem um ótimo timbre para o Thrash Metal, apesar do instrumental da banda beirar o Death Metal.

Outra boa faixa, “F.U.C.K” segue bem aquele velha escola do Thrash Metal, mas, como sempre, eles incorporam uma bateria mais death. Agora, destaque, sem dúvida, é “Destroyer”, que é a segunda faixa do full, com riffs provocantes, ataques de bateria bem direta porém bastante concisa (executada por Jôsefer Ayres, que tem como companheiro de contrabaixo o Ronny Lobato, que aparece bem mais nas partes do solo); A faixa título é outra que merece um comentário mais prolongado. Agora sim,a latinha abrindo e a voz irônica de Wendel, parecendo não estar nada sóbrio, dá todo o clima de que a cerveja circula nas veias da família PHRENESY. No instrumental, não resta dúvida que eles fizeram mais uma vez bem feito, pois a faixa é recheada de contra tempo e ótimos riffs, por isso a música fica no juízo, sobretudo o refrão.

Todo o álbum é bom, até porque segue uma constante. Mas um outro ponto alto do álbum a faixa de encerramento. Ela já me cativa por ser em português e ainda mais por soar como se fosse um recado àqueles que sempre gostam de puxar o tapete das bandas. E mais uma vez a PHRENESY deixou claro que são um família e lutam pela união! A prova é tanta que tem várias participações nos backing vocals.

Essa belezura de CD foi lançada neste ano de 2014, com a atenção de Caio Duarte da Dynahead (esse cara saca), contando com uma ilustração frenética criada por Ygor Morato bem na linha Thrash Metal alcoólico.

Será que dá pra classificar mesmo a banda como Thrash? Vou te responder assim: esqueça rótulos, porque quando uma banda se prende demais ao estilo pode deixar de fazer um material tão bom quanto este.

[Facebook]

(por Hugo Veikon)

                                               << Voltar ao Site