Banda:
OutSet

Estilo:
GrindCore

Ano:
2005

Infelizmente existe muito paga-pau de banda gringa e/ou sem qualidades e que desconhece a força da música pesada e violenta brasileira e mais ainda do nordeste. Em diversos gêneros temos extensas listas de ótimas bandas distribuídas, principalmente, em Pernambuco, Ceará, Paraíba, Bahia e Rio Grande do Norte. Especificamente de Natal/RN vem o Outset. Eu já tinha ouvido falar deles desde sua formação, em 2003, e depois comecei a encontrar mais coisas deles por diversos meios de comunicação. O núcleo-base da banda veio de diversas bandas natalenses como Auschwitz, Hellspawn (que era Sanctfier, mudou e voltou ao nome original) e Expose Your Hate. Por boa parte dos integrantes terem feito parte desta última, é nítida a semelhança com o Outset. Os inconfundíveis vocais de Luiz Cláudio não deixam a desejar nem quando saem guturais nem quando saem gritados. A batera de Felipe Nolla tem tudo o que o grindcore pede: violência, velocidade e pegada. O baixo de Dennis é marcante, mas também se destaca tanto na introdução quanto na levada de Abuse Power. A guitarra de Flávio Horroroso não tem o mesmo adjetivo de seu pseudônimo, pois é triturante.

O cd se inicia com diversas mudanças de dial onde se notam notícias, músicas, jargões e outras porcarias que só a TV nos oferece. Para essa TV, a homenagem é a primeira faixa do ep: TV Garbage. Uma faixa que gruda seus riffs e refrão na nossa mente. O descanso é pouco e já se inicia Hate Me, com uma levada mais hardcore e com alguns toques mais thrash. A única faixa cantada em português é Sistema, mas sem encarte, fica meio difícil entender sua letra em meio a tamanha violência em seus 38 segundos de duração. “Mostre a real face do problema”: Essa é uma reflexão de Corruption Hunting que é bem seqüenciada por Abuse Power (minha faixa favorita pois mistura grind, thrash, punk e o escambau). Em The Towers os caras iniciam com sons de reportagens sobre a maior afronta aos Estados Unidos. Em seguida, a música mantém o nível de violência do cd. Civic Violence tem um tema que casa muito bem com as outras músicas e possui um riff de guitarra que lembra bastante bandas de death metal americanas. A última faixa do cd é Coldness, com um puro punk/grindcore. E quando você pensa que o cd acabou depois da vinheta, somos brindados com Nazi Punks Fuck Off do Dead Kennedys(e coverizada pelo fantástico Napalm Death), com a participação do lendário Cláudio Slayer do Expose Your Hate no baixo.

No geral é um EP curto (oito músicas em pouco mais de 14 minutos), muito bem gravado, com boa equalização dos instrumentos e que nos deixa admirados com tamanha violência, precisão e mistura de estilos. A banda passou por algumas mudanças de formação entre a gravação desse EP, que é de 2005, até agora. Também lançou uma demo ano passado e estão na fita para lançar um full leght ainda nesse ano de 2010. E pelo que eu conheço deles, podem esperar uma obra de arte grindcore!

(por Léo Quipapa)