Bandas: MACHINARIA

Categoria: Thrash Metal

Ano: 2016

Do Rio Grande do Sul vem a banda MACHINARIA, que trabalha um Thrash Metal flertando com o Heavy Metal, ou seja, não espere muitas pegadas core, ou blast beat. O material lançado pela MS Metal Records é digno de aplausos, em vários aspectos: ótima qualidade de gravação, capa simples porém legal, encarte com letras, foto e todas as informações necessárias.

O material tem 9 faixas sendo uma música bônus do primeiro EP da banda. Este full, que recebeu o nome de “Sacred Revolutions, Profane Revelations” abre com a “Iconoclast”, que traz na sequência “Scapegoat”. Esta última tem pegada de guitarras que ora me faz lembrar a Sepultura, por algumas passagens (por Alan Quintana e Matheus Leal), mas o que mais me cativou em boa parte do álbum foi a execução da bateria, seja pela precisão no caixa, pelo trabalho de ‘double bass’ e exploração de seu setup, trabalho este realizado por Bruno Dachi, que ao lado de Luiz Mário, no contrabaixo, faz uma ótima cozinha, vide “Act of Justice”, que é uma faixa que ao meu ver traduz bem a musicalidade da banda, junto à “Scapegoat”, “Pictures of the Dark” e a faixa título, “Sacred Revolutions - Profane Revelations”. Estas duas últimas além de serem de 2013 mostram outro lado da banda, aquele lado onde o vocalista, Luciano Ferraz mostra que é versátil e consegue oscilar o vocal sujo com o semi-limpo.

O material se mantém com uma pegada permanente e finaliza com a faixa bônus de seu primeiro single de 2013. A banda tem ótimos músicos e tem tudo pra despontar pelo Brasil.

(por Hugo Veikon)

                                               << Voltar ao Site