Bandas: LOSNA

Categoria: Thrash Metal

Ano: 2015

Não tem como ouvir a banda gaúcha LOSNA e não lembrar dos americanos do Carnivore. Pra quem curte essa linha de som vai se embriagar na lapada que esse trio faz. O álbum “Another Ophidian Extravaganza” foi lançado neste ano de 2015 e traz consigo a mesma pegada dos dois materiais anteriormente circulados, porém com uma mixagem mais madura, obviamente, e uma arte impecável de Tiago Medeiros.

Mais uma vez com 11 faixas (coincidência ou meta?) o material fica naquele thrash speed metal onde em “Amaro Sapore” você já tem um belo cartão de visita. Música forte, agitada, com ótima dicção e refrão pegajoso. Mas a velocidade é tanta que parece que as músicas são interligadas, passa já para a “Feronia” que soa até um complemento da faixa anterior, mas esta tem riffs mais travados, que exigem mais palhetadas de Débora Gomes, que além das bases capricha também nos solos. Apesar de ser um trio, ela não desperdiça seu talento se privando destes arranjos.

Logo vem mais uma faixa que se aglutina a outra, pois “Back to the Grotto” começa com o contrabaixo de Fernanda Gomes, que já na primeira alavancada de sua guitarrista, expele seu vocal a-lá Peter Steele (Carnivore).
Cuidado pra não confudir “Serpent Egg” com “Mesmerized by Rotten Meat”. E por falar nesta última, ela tem uma construção lírica bem diferente do que vemos por aí, pois forma um poema acróstico com a frase em português: Amor só de mãe.

Você pode sentir falta de comentários sobre o baterista, mas é porque achei que o Marcelo Índio tem um posicionamento ímpar na banda, pois além de ser o único homem na LOSNA, ele tem uma pegada fodida, domínio e variação excelentes no duble bass, exploração de setup apropriado, peso “filho da puta” e tanto faz estar no core como na cadência.

O CD tem uma ótima produção, mas confesso que as criações anteriores feitas pela LOSNA eu curtia mais, porque nos álbuns anteriores eu sentia uma energia constante, porém nada tira a qualidade deste novo trabalho. Entretanto, essa é apenas uma questão de gosto particular, mas digo que vale você conferir e tirar suas próprias conclusões.

(por Hugo Veikon)

                                               << Voltar ao Site