Banda: KRIVER

Categoria: Heavy Metal

Ano: 2014

Já comemorando meia década de atividade, a KRIVER vem com seu terceiro material circulando no mercado fonográfico. Só que dessa vez em formato digital, assim foi a forma que o 'Foresight' chegou em nossas mãos. Se você  conhece e gosta da fase 'Toxic Blood' (debut da banda) vai se surpreender com este atual trabalho. A banda não é mais a mesma e como eu sou fã daquela antiga fase, então aconselho a quem for ouvir este material esquecer aquele antigo Kriver Hard/Heavy. Mas pra quem acompanha os passos deles, já notou que eles foram tangenciando passos para o lado Heavy (pesado) da música e o Hard ficou em "What is That?" (NR: música que encerra o Toxic Blood).

O 'Foresight', atual trabalho, vem com apenas três músicas mais uma instrumental. Curto? Diria que nem tanto, pois só a primeira música, "Scion's Resolve", tem quase 8min de um Heavy Metal Progressive e Power Metal, com um instrumental muito bem elaborado e arranjado pelos mesmo músicos do material anterior (Torrential):  Bruno Oliveira (guitarra),  Guilherme Cordasso (baixo),  Marcelo Neves (guitarra), Ricardo Lira (bateria) e Rafael Gorga (vocal).

E Rafael não é apenas um cara que coloca sua voz. Ele, pelo jeito, fez questão de participar ativamente das composições como um todo. Ficou interessante as variações de voz que aplicou em diversas passagens das músicas. E são diversas mesmo, pois ele faz duelo de sua própria voz limpa com gutural (que ele já usou em sua ex banda, Pandemmy). O bom que se você acompanhar a letra vai notar que não foi um uso desnecessário de duelo de voz. É realmente como se fosse uma pessoa dando comando. A música também tem uma atmosfera orquestrada, que deu a ela um charme especial. Ainda tem o peso que Ricardo usou em sua bateria até inserção de blast beat. Isso tudo ainda estou me referindo à primeira música, então se você gosta dessa linha de Heavy Metal vai ouvir e repetir esse EP diversas vezes, até acompanhar o Refrão "...Begona, say" e reforçar o "...purest absolution".

A segunda faixa é um curto instrumental, que serve mais de uma introdução para a terceira música, " Our Silent Borders". Achei que as músicas são como atos (teatrais), pois elas criam cenas e servem perfeitamente para clipes, mas aqueles clipes de batalhas. Esta música é tão pesada quanto a anterior. Para se acalmar, o material encerra com "Ghosts Should Not Care" que classifica-se como a mais soft deste EP, e é menos agitada. É digna de uma música de encerramento.

O material recebeu a atenção especial de várias pessoas. Vou citar o nome de um que eu já conheço o trabalho: Mathias Severien Canuto, que também é guitarrista da Desalma e já fez trabalho com bandas como Diablo Motor, Confounded e atualmente com a Infectos. A arte ficou excelente, reforçando o que falei sobre a parte teatral e nos remetendo ao clipe (Gambling With the Reaper) que a banda já fez para o trabalho anterior. Bem, se vier um full e este EP 'Foresight' for a prévia só tenho uma coisa a dizer: A KRIVER migra dignamente para o Progressive Power.

[Facebook] - [Site] - [Resenha Toxic Blood]

(por Hugo Veikon)

                                               << Voltar ao Site