Banda: HOCNIS / IMMINENT ATTACK / PUPPETS

Categoria: Metal

Ano: 2013

O Hellstouch é um projeto promovido pela gravadora Shinigami e nesta edição esse "Three Way to Hell" contou com as bandas Hocnis, Imminent Attack e Puppets. O material tem uma roupagem simples, formato envelope, mas tem um label caprichado com prensagem. Felizmente, o que não é tão simples é a quantidade de faixas: 21 no total. Apenas sentimos falta de um encarte com letras e informações mais detalhadas.

Mas vamos falar por bandas.

Quem abre os caminhos para o inferno é a banda HOCNIS, de Minas Gerais (Oh terra fértil!), que vem com linhas do Thrash Metal mais antigo, sem muita exploração de técnicas, mais questão de lapada e ora riffs soltos. Eles ainda incorporam pegadas de Death Metal. Todas as músicas são  muito instigadas e você sente que eles bebem de fontes mineiras como o Sepultura. O interessante é que a banda tem 14 anos de carreira, mas vale também lembrar que eles não têm tantos lançamentos individuais. Nos prendendo ao que eles mostraram aqui, destacaríamos "Introduction of Agony Necrophobia", "Narcozy" e "Pigs of Hell" (essa é mais cadenciada, com frases em português e inglês, que me lembrou o Korzus).

A segunda banda do split é a IMMINENT ATTACK, que é de Barueri - São Paulo. O som deles está mais audível em termos de equalização que as demais. A banda foi a que teve menos faixa neste material e ainda com música super curtas, o som é tão rápido que dá um "gostinho de quero mais". Pra você ter uma idéia, as três primeiras músicas não ultrapassam 2min, cada uma. As músicas lembram bastante o D.R.I. A música de abertura, "Couch Potato", já é convidativa, com a sonoplastia da latinha de cerveja abrindo. "Noise For Nothing" é a mais bem trabalhada, com intervalos de peso e cadências, alavancadas, backing vocal... E pra mim, a já considerada hino da banda é "Splat". Antes mesmo de conhecer essa coletânea eu já curtia essa música, pelo vídeo muito bem elaborado que foi divulgado na web.

A PUPPETS é uma banda carioca, que faz uma mistura de HC, Rap, Rock e Metal (mas o metal aqui passa bem longe) e tudo com elementos bastante modernos. As músicas estão sujas e a bateria soa muito baixa, tanto que tem momentos que nem ouvimos o pedal. A banda ocupou as oito faixas que fecham o material com músicas em inglês e português. Eles fazem uma linha de música alternativa que não estamos acostumados a ouvir então não temos conhecimento suficiente para falar a respeito.

No geral, dois terços das bandas do split me agradaram e recomendo ao leitor que se aprofunde nelas pois tem ótimo potencial. Parabéns à gravadora pela iniciativa e que venham outros splits destes futuramente!

[comprar]

(por Hugo Veikon)

                                               << Voltar ao Site