Bandas: HELLSAKURA

Categoria: Thrash Metal

Ano: 2015

Há cerca de 20 anos eu vi uma reportagem sobre o underground paulistano e uma banda de nome estranho chamada Okotô, capitaneada por uma japonesa magra e transloucada chamada Cherry me chamou atenção. O som era meio punk, meio alternativo, mas tinha muita garra, com direito a letras em inglês com um pouco de sotaque japonês. Anos depois, eis que Cherry monta o Hellsakura, com uma proposta de som mais trabalhado e em 2015 trouxe ao mundo este Venömrizer, via Shinigami Records.

Já de cara as guitarras de Cherry e Doneedah (também guitarrista do Matanza e Enterro) são o cartão de visita em "Emergency". A faixa seguinte, "Venom", lembra muito Motorhead e conta com solos de Serpenth, do Belphegor.  Já "Lethal" começa mais trabalhada e tem bons compassos do bumbo duplo de Denis Okuma. Pena que o som do baixo de Napalm é meio tímido.

Interessante do álbum é que o quarteto explora bem os compassos simples, criando uma atmosfera bem rock n' roll, sem forçar peso, velocidade ou virtuosismo. Exemplo disso é "Bloody Hell". Já "Toxic" é um thrash crossover, com backing vocals de Felipe Freitas e Edu Lane do Nervochaos (atual banda de Cherry), enquanto "Gory" tem passagens meio death metal e a faixa de encerramento, "Death Row" tem passagens mais modernas e que remetem ao thrashcore.

Cheers!!!!!

(por Léo Quipapá)

                                               << Voltar ao Site