Banda:
Expose Your Hate

Estilo:
Death / Grind

Ano:
2001

Isso é o que pode ser chamado de um dream team da música pesada potiguar. Em 1999 os insanos Cláudio Slayer (ex-Insane Death), Vítor Fábio (Lord Blasphemate e outras), Alexandre Emerson e Luis Cláudio (ambos ex-Sanctifier/Hellspawn) se uniram para formar essa que, em minha opinião é uma das melhores bandas de death/grind do Brasil. A estréia em gravações foi com a demo-tape In God We Crush, um título que tem várias fontes de inspiração (na cédula de dólar tem escrito “In God We Trust”, um cd do Dead Kennedys se chama “In God We Trust INC.”, o som da banda tem tudo a ver com o termo “crush”, as temáticas das letras da demo tem várias alfinetadas a religião...).

Ao ouvir a demo, nota-se certa influência de bandas como Napalm Death, Terrorizer, Morbid Angel, Vader e Nasum. Cada membro também trouxe um pouco de suas experiências anteriores e criaram músicas bastante fortes, coesas e diretas. São sete faixas em pouco mais de 11 minutos, mas que valem cada segundo de atenção.

A demo começa com cantos gregorianos e sons de bombardeios aéreos antes da entrada grave da guitarra de Alexandre. A faixa título da demo é curta, rápida, seca, mas fuderosa. O vocal de Luís é caracterizado pelo contraste entre o ótimo gutural e o caótico rasgado. É esse tipo de vocal que marca de maneira grandiosa a faixa seguinte, “Wake Up to Reality”, minha favorita tanto da demo quanto dos shows (e, posteriormente, do cd de estreia). As oscilações entre o vocal rasgado e gutural são latentes nessa faixa, que em sua letra nos alerta contra problemas sociais, raciais e intolerâncias como um todo.

A faixa seguinte é “Kill Your God”, que tem uma forte mensagem individualista e com citações de Nietzsche. Essa faixa também constou, posteriormente na coletânea Suspiria de Profundis de 2002 da Blasphemy Productions. Outra faixa de grande impacto é “Despise for Animal Life” que descreve as atrocidades cometidas a animais de laboratório que são dissecados, entorpecidos, envenenados pela “nobre” causa científica. Como um defensor das causas animais, Cláudio expôs bem suas idéias nessa excelente faixa. Em “Conformation Posture” o tema central são pessoas apáticas, sem identidade e conformadas com tudo a seu redor. Enquanto em “Kill You God” os caras pedem para você não ser um escravo (nesse caso, de dogmas, religiões, deuses...), nesta outra eles sugerem mudar a indiferença e mudar seu modo de vida. É uma letra que também tem um contexto social forte. Depois temos “Lies” que é curta, mas segue bem as temáticas sociais e individualistas citadas em outras faixas.

Fechando a demo vem “LIfe not for Sale”, com sua pegada firme e final lento, que nos deixa com a sensação de que ouvimos uma demo acima da média. Até hoje, eu ainda escuto e sinto como se ela tivesse sido gravada há pouco tempo, tão atemporal que ela é.  A produção gráfica é excelente, as letras vêm na capinha e as informações técnicas também. Só a foto da banda é que vem com o efeito de uma foto em negativo, mas como o som vale mais que a imagem, tá ótima a apresentação.

(por Léo Quipapa)