Bandas: EXORDDIUM

Categoria: Heavy Metal

Ano: 2013

Hoje em dia há bandas buscam influências passadas para remeter e mostrar aquilo que foi história e não se perdeu com o tempo. Algumas trazem uma sonoridade pouco explorada (som bem cru), sem muita lapidação na produção que vai deixando um som bem setentista. Os mineiros da EXORDDIUM neste “Sangue ou Glória” fizeram um álbum que trouxe nitidamente influências do New Wave of British Heavy Metal ou N.W.O.B.H.M (Nova Onda do Heavy Metal Britânico), onde todo fã de heavy metal sabe a importância deste movimento que influenciou e influencia bandas até hoje.

“Sangue e Glória” é um álbum lançado de forma independente e que trouxe em sua produção um produtor já conhecido na cena nacional (André Cabelo) e outros como Paulo César, Jailson Douglas e Fernando Amaral. O álbum veio com músicas cantadas em português onde exalta ainda mais o que foi feito no Brasil com os primórdios de bandas como Stress. Com letras referenciando como uma pessoa indo a guerra para lutar, além de letras que exaltam a chama vermelha ardente do heavy metal, fazendo honra ao gênero.

O disco começa com uma faixa instrumental que foi batizada com o próprio nome da banda “Exorddium”, que já mostra todas as influências citadas como guitarras pesadas com aquelas cavalgadas clássicas. A introdução mostra notavelmente influências do Judas Priest. A segunda é a faixa-título do álbum, “Sangue ou Glória”, seguindo nas mesmas linhas da intro, com as cavalgadas apresentadas, e a seguinte, “Próximo ao Fim”, onde destaca-se o baixo de Nicolas Cortelete. Na letra da faixa “Sangue ou Glória” é possível notar citações que explicam a arte gráfica do cd, que mostra um lobo uivando, que assim como  sonoridade é algo bem cru, tanto é que nas páginas da encarte onde encontram-se as letras a banda usou apenas uma imagem, com exceção da página que traz foto de toda a banda, porém a imagem do lobo ficou bela. “Heavy Metal” demonstra mais o amor ao gênero e mais uma vez se sobressaindo as linhas de baixo que se destacam sempre. Raziel Avenger  canta de forma rouca, mais grave, sem muita potência, diferente de toda banda que é bem energética com o tradicionalismo heavy metal, como exemplo na faixa “Siga-me” no seu refrão empolgante e “Guerreiros do Metal” que mais uma vez fala sobre o metal somando com a luta. O disco fecha com “Lutar e Mudar o Destino” e “Lágrimas Noturnas”  que juntam os elementos já citados e onde foi audível um lado mais técnico.

Com um disco que levanta a bandeira do metal nacional, a Exorddium mostra que é possível fazer um bom heavy metal cantado em português. Com alguns ajustes na questão de elaboração de gravação onde se destaque mais o instrumental, a Exorddium terá uma lapidação fundamental que fortaleça um destaque melhor.

(por Ismael Guidson)

                                               << Voltar ao Site