Atrás de curiosidades sobre a banda X-EMPIRE, que começou como projeto, fomos conversar com a banda para saber um pouco mais sobre sua carreira e o lançamento do End of Times. Chegamos em um ótimo momento, pois pegamos também o lançamento do clipe que recebeu o mesmo nome do álbum.

(Entrevista por Ismael Guidson)

Arena Metal - Gostaria de agradecer o tempo cedido para com o site Arena Metal e parabenizar pelo trabalho realizado no EP End of Times, pois são trabalhos assim que ganham notoriedade no meio. Enfim... A princípio um projeto idealizado por Michel, Rogério e Raphael, mas como foi para os músicos, entrarem em estúdio e fazer algo totalmente novo? Vocês já possuíam alguma banda ou algum outro projeto?
X-Empire: Na época que montamos o projeto se chamava apenas –X-, meio que uma sigla, o Rogério era meu professor e parceiro profissional e o Raphael um amigo com o qual queríamos fazer algo, então tive a excelente ideia de juntar os caras. ‘Fallen’ foi uma música que eu e o Rogério fizemos pelo MSN na época (risos), montamos tudo devagar apenas para demonstração de qualidade de nossos estúdios unidos e o resultado foi ‘Fallen’. Rogério é guitarrista da Chimerah e tocou, inclusive, ao vivo com o Primal Fear. O Raphael é baterista do Heptah.
 
Arena Metal - Sabemos que a música “Fallen” foi resultado deste projeto e depois disso como se deu o processo de produção das outras músicas presentes no EP “End of Times”?Quanto tempo levou para produzir tudo, desde as letras à melodias, já que estao em atividade desde o início em 2012 mas só vieram lançar o primeiro EP em 2014.
X-Empire: Foram Alguns fatos. Gravamos ‘Fallen’, e eu já tinha as demos das outras músicas. Deixei com o Rogério para ele pôr a cara dele, e depois o Raphael veio e matou as baterias. Na época todos nós ficamos muito atarefados, pois eu e o Rogério sobrevivemos de música então é muita correria. Em 2013 meu pai descobriu um câncer em estado avançado então eu gastei mais tempo cuidando do meu lado pessoal, enquanto o Rogério trabalhou duro nos instrumentais. As músicas e letras mudaram da ideia original, fui renomeando e recompondo tudo para as minhas novas emoções e realidades. Eu compus todas as letras, algumas melodias que foram somadas com as do Rogério e fui dando vida ao EP. Nem sempre prazo determina amadurecimento musical.

 
Arena Metal - O End of Times foi resenhado por nós e notamos o grande número de participações no mesmo, com guitarristas, baixistas, vocalistas entre outras. Qual foi o motivo de colocar vários músicos para participar da gravação? Não foi complicado reunir e trabalhar com esse tanto de músicos diferentes?
X-Empire: O X era apenas um projeto, então eu pensei porque não chamar amigos? Todo músico possui limitações, mas eu queria o máximo de coisas diferentes no EP, pegadas diferentes, timbres, como não tinha pretensão de se tornar algo sério, esse foi o principal motivo para ter tantos convidados. Não foi muito complicado, não. Agendei horários e aos poucos íamos montando nosso quebra cabeças (risos).

 
Arena Metal - A capa feita por Michael Douglas Bruno chama atenção pelo ótimo trabalho. Bom, o que vocês queriam passar com a arte presente na capa do EP?
X-Empire: Eu vivi um certo pânico em 2012 em acreditar que mais uma vez o fim do mundo estava perto. Como sou fã desse tipo de coisa, notei muitas tragédias ao redor do mundo e isso sempre me fez refletir se estávamos perto do fim. Pensei em algo bonito, e que chamasse a atenção, então misturei a modernidade com a mitologia maia.

A mensagem é: Nossas escolhas determinam o nosso tipo de fim. O Michael deu vida a minha ideia e fez com que cada detalhe fosse vivo e eficiente.

Arena Metal - E sobre o processo de divulgação? Como está sendo trabalhado esse ponto e as vendagens através da distribuição digital? Porque não lançar o EP “End of Times” em formato físico?
X-Empire: Hoje em dia orçamentos são coisas complicadas, por isso optamos em lançar o EP para dar uma amostra, cotamos com diversos lugares e vimos que não era a hora pra algo físico, então decidimos que pro disco seria algo feito 100% por nós em todos os processos musicais, já que a ideia do que fizemos no EP é incompreendida por alguns.

Por incrível que pareça, tivemos inúmeros downloads no itunes e cdbaby do exterior, de usuários que nos conheceram por acaso. Também tivemos alguns downloads do Brasil, mas muito mais do exterior como EUA, México, Suécia e por vai. Em si, a venda digital ajudou na divulgação e o resultado foi bem acima do que esperei já que eu não contava com isso.

Arena Metal - Hoje em dia existe um grupo muito grande de bandas mais extremas, ou seja, com pegadas mais pesadas e fortes desde as vozes ao instrumental. O X-Empire conseguiu mesclar bastante trazendo isso nas suas músicas, com guturais sem perder o lado melódico. Vocês estão conseguindo cativar o público de maneira geral nas vertentes do metal?
X-Empire: Muita gente manda e-mail, inbox, e gosta da música da banda, dizendo que não seguimos a receita do “metal gay”. As vozes limpas são metal, os guturais e todas as estruturas são coisas do METAL. Alguns entendem outros não, mas acho que, como todo gênero, alguns não gostam então é super comum uma certa não-aceitação, porém a aceitação positiva é muito maior. É engraçado às vezes você estar parado sem pensar nisso e ver várias matérias com sua música na internet, inclusive eu estava num bar esses dias, e a minha música tocou no celular de uma menina como toque de chamada. Acredite, foi muito engraçado
 
Arena Metal - Com EP ainda em divulgação vocês já estão prontos para shows, já estão fazendo alguns na região de vocês ou tem algo em andamento/agendamento?
X-Empire: Estávamos com duas negociações pro norte do país, mas nosso vocalista teve uma cirurgia que comprometeu um pouco sua imunidade, tendo que se recuperar desse processo pós operatório. Em vista que as músicas nos vocais são muito técnicas, tendo que alterar de um timbre pro outro em um curto espaço de tempo, talvez até o final do ano teremos novidades positivas sobre isso e começaremos a promover diretamente as apresentações e o material.
 
Arena Metal - Vocês são paulistas e a cada ano São Paulo vem aumentando o número de shows de bandas internacionais, estado que já virou rota para muitas bandas. Como vocês veem a ascensão desses shows, tirando o público e deixando bandas que estão surgindo sem espaço?
X-Empire: Sinceramente? O principal motivo para todos os shows aqui é apenas DINHEIRO. Os gringos não se preocupam com cena, não sabem o que é cena (se é que existe uma). Meu pai dizia que nos anos 80 a rivalidade de bandas não era diferente das de hoje, e que uma comia a outra viva.
Se quer união e eventos de qualidade, todas as bandas profissionais precisam ter o mesmo direito e vantagens sobre um todo.
Os shows internacionais são apenas “capital”. É assim que é visto por todo mundo. Esse público paga R$300 num ingresso de show gringo e não paga R$10 pra ver o amigo ou uma banda de qualidade porque é brasileira. Estou pra dizer que BRASILEIROS não suportam ver outros BRASILEIROS crescendo e se dando bem, então segregam esse tipo de discórdia vetando o espaço pequeno e quase inexistente que se tem.
Eu vejo muitos casos de bandas desesperadas por atenção, abrirem shows desses gringos e ficarem bem falados depois, e aí você vai ver essas pessoas já cansaram de ver esses caras em cartazes e nunca se interessaram ao menos em ouvir ou conhecer o trabalho. Enfim, esse é o nosso cenário.


Arena Metal - Bom, chegamos ao fim. Vocês poderiam falar mais sobre o futuro da X- Empire, do novo clipe (que pra gravar enfrentaram horas de viagem haha) e responder mais duas perguntas: Existe previsão para o lançamento do primeiro disco FULL? Se tem, ele será lançado em quais formatos (físico, digital ou os dois)?
X-Empire: O novo clipe esta pronto. Eu devo a produção desse clipe a Monia Aires, que foi a produtora executiva, com idéias, estrutura, equipes, ajustes... enfim. O local foi surreal aquilo.
Ao Caue Leitão por ter feito o solo com tanto empenho, ao Dantas por vitalizar os refrãos, acho que esse formato de clipe vai revelar o verdadeiro sentido por trás de ‘End of Times’.
O disco full já se encontra em fase de produção (risos), meu amigo Rodrigo Balan diz que somos viciados em trabalho e eu concordo (risos). Temos 70% do material novo escrito, e acho que entre outubro e novembro vamos registrar as bateras.

Se tudo der certo, 2015 trará novidades pesadas para o X-Empire!

Obrigado pela atenção! Stay in metal!


[Facebook] - [Assessoria]  -  [Resenha]

por Ismael Guidson

<< Voltar ao Site