De São Paulo veio essa banda que faz uma mistura de Thrash / Death de uma forma engraçada e pervertida. A PILE OF CORPSE, ou simplesmente P.O.C. como eles mesmo se divulgam, lançou seu CD For Sex, For Violence, For Alcohol e com temas focado em experiências e contos conversando com a banda onde debatemos temas sobre este full.

Arena Metal - Bem vindo às nossas linhas, pessoal. Bem, vamos começar falando do lançamento "For Sex, For Violence, For Alcohol". Vi que vocês seguem uma linha de som mais crua e também mais obscena. Vamos para as partes obscenas (que seria um lado A da bolacha). Vocês não têm um receio de distanciar o público feminino que curte metal?
PILE OF CORPSES: Hummm vejamos, eu gosto de imaginar que as mulheres também gostam de sexo (risos). Dessa forma, não vejo o tema como algo ofensivo a elas!

Arena Metal - Então como vocês acham que o público feminino aceita o CD de vocês?
PILE OF CORPSES: Vou falar dos comentários de mulheres que ouviram o som e digo que ainda não houve nenhuma crítica quanto ao tema e nem contra a intro, que talvez seja a mais clara obscenidade (risos). Inclusive, já ouvi relatos engraçados sobre esse tema, de uma que vou mostrar o som do POC no carro para a amiga e não sabia da intro e no momento ficaram um pouco chocadas... Mas o comentário foi como algo engraçado, que é nosso objetivo, e não de repúdio. Dessa forma acho que até o momento, o público feminino vem aceitando o CD da melhor forma possível!


Arena Metal - Pra quem não entende o que estamos falando diga-nos aí de onde vem a inspiração para escrever as letras da banda, sobretudo faixas como "Gore Sex" e "Estupra mas não mata". Alguma trama ou desejo?
PILE OF CORPSES: Felizmente pra quem toca Death Metal, seja lá qual a inspiração das letras, de religião, crimes, fetiches sexuais e etc, o mundo está cada vez mais repleto de inspirações. Pegando esses dois sons, bom, "Estupra mas não mata" vem do político Paulo Maluf, que falou essa famosa frase dizendo que se for pra estuprar uma mulher, que ao menos não a matasse... Já a Gore Sex vem dos diversos vídeos bizarros que se vê na internet sobre sexo bizarro, podemos pegar como um bom exemplo, o famoso vídeo Two Girls and One Cup!

Arena Metal - Vocês dizem que algumas histórias são reais, quais são?

PILE OF CORPSES: Não são histórias 100% reais, mas fazemos contos baseados em histórias que ouvimos e damos uma brutalizada. A faixa "Hymen Collector" é o melhor exemplo. Certa vez um amigo nosso nos contou que começou um namoro com uma menina ainda virgem, apenas pra comer ela, e logo após conseguir, terminou com a mesma que, furiosa, obviamente, o chamou de “colecionador de hímens". Na mesma hora olhamos uma para cara do outro pensando “isso vai virar uma letra” (risos).

Arena Metal - Por que começar o lado B com uma faixa antiga - Hail War (de 2003)?
PILE OF CORPSES: Na verdade a "Hail War" não se tornou a faixa do lado B por ser antiga, e sim por ser uma faixa que tem uma introdução. Achamos que seria o ideal para quebrar as duas partes, saindo a putaria e entrando a brutalidade, liricamente falando.

Arena Metal - Já nessa parte B do CD vocês são mais violentos. Porque dividir o álbum dessa forma?
PILE OF CORPSES: Chegamos a pensar em fazer um álbum apenas com temas sexuais, mas não queríamos tirar algumas músicas que já tínhamos compostos fora desse tema e que entendíamos serem boas para um álbum, e também não queríamos esperar para um segundo álbum para lançá-las. Dessa forma, dividir o álbum ficou até algo natural a se fazer.

Arena Metal - E de onde vem as inspirações para os temas de guerra?
PILE OF CORPSES: Na verdade a única música com um tema mais “político” ou de guerra é a própria "Hail War", que é uma letra escrita na época do 11/09 – já faz um bom tempo – quando a banda ainda estava sendo formada e ainda não tínhamos uma concepção, uma personalidade totalmente formada como banda. Posso afirmar que para o futuro, próximas musicas, é difícil imaginar retomarmos letras com esse tema e irmos sempre para o lado mais pornográfico das coisas. Já existem bandas suficientes falando dos problemas da sociedade... E sinceramente não vejo tocando uma música e as coisas vão mudar. Então, melhor falar de algo que nós gostamos e muito (risos).

Arena Metal - A linha de som é bem mais crua do que muitas bandas vem fazendo atualmente. Sinto, em certos momentos, uma pegada na linha Nauseous Surgery... Tem alguma inspiração daquela época?
PILE OF CORPSES: Cara, sinceramente se você me pedisse pra eu listar 30 bandas que influenciaram o POC o Nauseous Surgery não apareceria (risos). Nada contra a banda – conheço muito pouco para poder fazer alguma crítica – mas entendo ser uma mera coincidência.

Arena Metal - Cara, sendo sincero, eu acho a capa do "For Sex, For Violence, For Alcohol" esquisita pra caralho e sempre acreditei que uma capa atrativa seja o convite pra pessoa se interessar pelo CD. Qual a opinião de vocês quanto a isso? Muito embora o produto final - A MÚSICA de vocês, seja do caralho e empolga bastante. Não me entenda mal, só falei da capa.
PILE OF CORPSES: Quando pensamos na arte para compor o CD a inspiração foi os desenhos do Ed Repka que fez inúmeras capas das bandas de Thrash dos anos 80, mas principalmente a capa do Morning After do Tankard. Essa capa você olha e vê que o objetivo dos caras é tocar pra quem curte beber totalmente sem moderação, ela passa exatamente o que o álbum traz ao contrário das capas mais “modernas” que as bandas usam com um belo desenho de computador, mas que no fundo não diz nada.

Dai o pedido foi: nos faça uma capa com um Papai Noel (devido ao nosso EP "Santa Claus is Cumming" termos adotado o bom velhinho como nosso mascote) bêbado, armado e com vários indícios de sexo – por causa do nome For Sex, For Violence, For Alcohol – e então surgiu a capa. Nós quatro, particularmente, curtimos bastante o desenho. Até hoje noto novas coisas nela que ainda não havíamos percebido (como uma camisinha ao lado da cabeça do Noel (risos)). Mas claro, gosto é como cu, não é mesmo? Hahahahaha. E é evidentemente não te entendemos mal!

Arena Metal - Pra finalizar peço que deixe uma frase que tenha em alguma das música do "For Sex, For Violence, For Alcohol", que defina a idéia geral da banda.
PILE OF CORPSES: “Nothing turns me one more Than an angelical face between my legs” do som "Drowned in Cum"!


[Facebook] - [Assessoria]  -  [Resenha]

por Hugo Veikon

<< Voltar ao Site