Malkuth é uma banda de Black Metal com 19 anos de carreira, neste ano relançaram um material contendo uma antiga Demo e EP, comemorando este anos. Conversamos com Sir Ashtaroth (backing vocal e guitarra) acerca do novo Line-up, shows e álbuns.

(Entrevista por Hugo Veikon)

Arena Metal - Bem, vocês já foram entrevistados por este site logo no começo de nossa formação, mas vários anos se passaram e a banda mudou algumas coisas e houve alguns lançamentos. Diante disso, gostaria que vocês nos falassem sobre a atual formação, por que a saída de Nefando e a volta de Nigthhfall? E a volta de Darkfenriz (hoje usando o pseudônimo de Metallikhus)?
Malkuth: Nossas saudações a toda equipe da Arena Metal e aos seus leitores! Bem, estamos com a atual formação estabilizada com: Nighhtfall (Vocal), Sir Ashtaroth (backing vocal e guitarra), Metallikhus (contra-baixo) e Gladiathor (bateria). Estamos muito satisfeitos com esta line up. Nefando se desligou da banda por motivos pessoais e a volta de Nighhtfall se deu naturalmente após eu convidá-lo a voltar, visto que é também membro fundador e atuou por muitos anos, tendo certo “carisma” como front man e como baterista em alguns opus lançados pelo Malkuth.

Arena Metal - Ouvimos do público e também achamos isso: a entrada de Gladiathor, na bateria, mudou muito as músicas antigas da banda. Qual o ponto de vista de vocês?
Malkuth: Já ouvimos de algumas pessoas, após alguns shows nossos, elogios do tipo de que a “nova roupagem”, digamos assim, das músicas em geral ficaram excelentes. Alguns certamente ficaram surpresos. Isto é normal, visto que a evolução musical advém com naturalidade ao passar dos anos e o Gladiathor vem do “old school” do Thrash Metal e da brutalidade do Death Metal. Ele tem uma “pegada” na batera mais agressiva e rápida, próprias do seu estilo...

Arena Metal - Na última entrevista de vocês a este site, falávamos como seriam as músicas do “Strongest”, e naquela ocasião elogiei bastante o “Nekro Kult Khaos”, mas gostei bastante do “Strongest” também. Como foi a aceitação e divulgação do “Strongest”, teve o alcance esperado?

Malkuth: Obrigado mesmo por ter gostado destas nossas obras nefastas. O álbum “Strongest” foi muito bem aceito no meio underground e também muito bem divulgado e distribuído pela Impaled Records (SP) no exterior. O selo possui muitos contatos lá fora.

Arena Metal - O interessante que vocês têm algumas formas enigmáticas de trabalhar, no “Strongest” houve a junção das primeiras letras de cada música, que por fim formava "P-A-G-A-N-I-S-M-O", e 9 letras. Minha pergunta é por que sempre 9 faixas nos full lengths?
Malkuth: Isto mesmo. O número 9 tem suas peculiaridades ocultas, uma delas é que representa a “perfeição” no Universo, cabalisticamente falando.

Arena Metal - Nos shows de divulgação do “Strongest” vocês contaram com a participação de Diego (Infested Blood), qual a relação do mesmo com a banda? Veremos mais essa participação especial?
Malkuth: Diego D’Urden é um brother nosso das antigas e, além do Infested Blood, o admiramos como compositor e multi-instrumentista intérprete que é. O convidamos para alguns arranjos de solos de guitarra e teclados em estúdio para o álbum “Strongest”, a coisa ficou muito legal e surgiu a ideia de o chamarmos para algumas apresentações ao vivo como baixista e tecladista “session”, visto que estávamos sem na ocasião. É provável no futuro alguma participação dele na “Intro” do nosso próximo álbum e talvez em alguns solos de guitarra também, quem sabe.

Arena Metal - Alguns selos nacionais recentemente relançaram em formato CD a aglutinação da segunda demo de 1995 e o EP de 1997, como surgiu esta ideia?
Malkuth: Queríamos lançar algo especial para o público Metal, comemorando os nossos 19 anos de banda...

Arena Metal - Por que voltar no tempo?
Malkuth: Era uma ideia antiga nossa relançar a demo-tape de 1995 “Glory and Victory” com o EP de 1997 “Under Delight of the Black Candle” como bônus em formato CD, visto que muitos dos apreciadores da nossa música solicitavam tal acervo neste formato. E nada melhor do que ter remasterizado o material e realizar tal lançamento através de alguns selos reais do cenário underground nacional.

Arena Metal - Certo, 19 anos de banda o que vocês podem dizer acerca do underground Black Metal de Pernambuco?
Malkuth: Passamos e vivemos muitas batalhas, guerras, conflitos, dificuldades, mas também vitórias... Por isso o título do relançamento ser “19 Years of Glory and Victory...”. Vimos muitos caírem e continuamos firmes, marchando avante sem medo das críticas, ameaças, desavenças, de certos radicalismos infantis camuflados de “truesões” e de fofoqueiros idiotas de internet. Basta disso. Se você não gosta de tal banda, respeite-a e não vá aos seus shows. Chega de “panelinhas” entre bandas e vertentes do Metal, repugne apenas o “White Metal” (nossa opinião) que não serve para nada. Discórdia, desunião e White Metal são o lixo desta nova geração. O Metal é justamente a arma em contraposição a todas estas formas de alienação do homem.

Arena Metal - Por fim, como já estamos às vésperas de mais um grande show da banda, o que vocês esperam desse 1ª União Metal de Pernambuco?
Malkuth: Esperamos que todos os headbangers de PE (e quem sabe de fora?) compareçam em peso para prestigiar as bandas que irão se apresentar no dia 26/10/2013 no Recife Antigo, sendo elas: Destiny Old Die, Falling in Disgrace, Realidade Encoberta, nós do Malkuth e o Psych Acid. O intuito é este: incomodar os que são contra a união das diferentes vertentes do Metal (salientando mais uma vez que o White Metal sempre estará fora) e estimular uma maior união entre público e bandas. Celebrar e valorizar o underground pernambucano com afinco e só poderão mostrar isso, comparecendo por lá. Prestigiem! Destruir, para reconstruir...

Facebook

<< Voltar ao Site