A banda de Death/Thrash, HATEFULMURDER, do Rio de Janeiro trocou uma
ideia com nosso correspondente Enoch Leite (Subinfected).
A banda esclarece sobre a nova formação, lançamento de EP e afirmam que vão passar pelo nordeste.

 

Arena Metal (Enoch) - Antes de tudo gostaria que se falasse um pouco sobre a História da banda e fizesse um breve comentário a respeito dos line-up’s, pois, recentemente, acompanhando matérias sobre a banda, fiquei sabendo que vocês estão com nova formação.
Renan Ribeiro:
Saudações amigos do Arena Metal. O Hatefulmurder surgiu em meados de 2008, quando eu, Renan Ribeiro (guitarra), Ernani Henrique (baixo) e Diego Azevedo (bateria) deixamos uma antiga banda que tocávamos e decidimos montar o nosso projeto. A idéia era fazer algo agressivo, forte e técnico. Já tínhamos algumas composições preparadas, só faltava um vocalista. Então, após uma série de testes, decidimos convidar o Felipe Lameira para cantar. Ele já conhecia o nosso trabalho, pois era produtor da antiga banda que fazíamos parte, além de amigo de todos nós, e sabia exatamente o que queríamos. A partir disso ele se juntou a nós e começamos a trabalhar mais intensamente nas composições, já pensando em lançar uma demo. Começamos a nos apresentar, fazendo uma série de shows pelo nosso estado. Em 2009 lançamos um single chamado “Extreme Level Of Hate”, que usamos como “prévia” para a demo. Porém no final do mesmo ano, o baterista Diego Azevedo deixou a banda por motivos pessoais. E para não perdermos as datas já marcadas no final do ano, convidamos o baterista Jean Secca (Ainur, Unissonus) para fazer os shows. No começo de 2010, Vitor Arante entrou para o Hatefulmurder e foi quando começamos a tocar em mais cidades, divulgar mais o nosso som e lançamos a demo “When The Slaughtering Begins”. Tocamos no Espírito Santo, Minas Gerais e várias cidades do Rio de Janeiro. Mas no fim desse ano, o baterista Vitor Arante deixou a banda também. Então, convidamos mais uma vez nosso amigo Jean Secca, que tem desenvolvido o seu papel muito bem até então.
Felipe Lameira:
Bom, acho que o Renan falou praticamente tudo. Aprendemos muito durante esse período e com a troca de membros. Estamos na fase de seleção para testes com novos bateristas, mas por enquanto Jean vem substituindo a posição na banda de forma exemplar.

Arena Metal - Fale um pouco sobre a evolução da banda desde a primeira demo “Extreme Level of Hate” até a demo "When The Slaughtering Begins", que divulgou bastante a banda principalmente em outros estados e aqui em Pernambuco.

Renan Ribeiro: Bem, esse processo de evolução aconteceu de forma natural. Desenvolvemos mais experiência de palco e começamos a trabalhar mais os arranjos a partir de “When The Slaugthering Begins”. E foi o tipo de amadurecimento que precisávamos no momento. Mas eu acredito que esse processo é infinito e sempre vamos aprender.

Felipe Lameira: “Extreme Level of Hate” não foi exatamente uma demo. Ela é o nosso primeiro registro fonográfico, mas foi uma prévia lançada com uma única música, enquanto nos preparávamos para o lançamento de nossa demo. Quando lançamos a demo no meio deste ano, tivemos uma ótima receptividade em todo Brasil e em alguns paises da Europa e das Américas. Mas no Nordeste encontramos muitas pessoas dispostas a divulgar e apoiar o nosso trabalho, o que nos deixa muito felizes. A evolução é um aspecto que sempre será perseguido por todos nós. Acreditamos que desde que começamos, evoluímos muito como músicos, tanto nas composições como em palco. Agoraestamos em estúdio para a gravação de um novo trabalho e já podemos perceber que algumas coisas já estão diferentes. O que é muito satisfatório para nós.

Arena Metal - Olhando o modo como a banda divulga seu material (com utilização de sites de relacionamento, downloads, vídeos em outros sites), como a banda administra essa questão? Quem trabalha as artes da banda e atualiza todos os perfis e mantém contatos?
Renan Ribeiro:
Eu e Felipe nos dividimos nisso, é como uma “tarefa”. Cada um é responsável por responder ou divulgar determinado site. E todas as artes é o Felipe quem cria.
Felipe Lameira:
Como o Renan falou, este trabalho é divido principalmente por nós dois. Não é um trabalho muito fácil, mas alguém tem que fazer. Acreditamos que esta parte de divulgação em sites de relacionamento é uma parte vital para o crescimento da banda. Você não pode esperar que as pessoas venham até você para conhecer o seu trabalho, você tem que mostrar. As artes são criadas por mim mesmo a partir de conceitos discutidos pela banda e aprovados por todos. É muito bom ter esse controle, pois sei exatamente o que eu quero para cada arte.

Arena Metal - Quais as principais influências da banda e quais os principais temas abordados nas letras? Como vocês definem pessoalmente o estilo do som que é produzido pelo Hatefulmurder ?
Renan Ribeiro:
Cada membro do Hatefulmurder tem sua influência pessoal, e isso acrescenta muito.  Mas posso dizer que procuro fazer algo atual, porém sem deixar as influências clássicas de lado.

Felipe Lameira: Realmente as influências são as mais variadas possíveis, pois cada um trás um pouco e acrescenta no resultado final de cada composição. Existem muitos temas abordados por nós nas letras, mas a maioria fala sobre as mazelas da humanidade, do que homem faz a si próprio e ao seu próximo. Violência, guerra, fome, perseguição religiosa e etc. Tudo isso tão próximo ao nosso cotidiano e que poucos falam de forma direta. A definição de som é uma coisa com que não nos preocupamos muito. Procuramos antes de tudo fazer um Metal Extremo de qualidade, baseado nas nossas influências e no que os headbangers gostem de escutar. Acreditamos que atualmente estejamos entre Thrash/Death Metal, mas cada música é uma música. Essas definições ajudam a orientar o ouvinte de cada estilo, mas também atrapalham no sentido de você ficar preso sempre as mesmas formulas. E é exatamente isso que não queremos em nosso som.

Arena Metal - Quais são as perspectivas da banda para fazer uma turnê aqui no Nordeste e principalmente em Pernambuco? Já observamos aqui vários contatos, inclusive fora do país com Hatefulmurder?
Renan Ribeiro:
Sinceramente, é uma vontade de todos nós. Pois a galera do Nordeste tem respondido de forma 100% positiva ao nosso som.  Será uma realização muito importante tocar em Pernambuco e outros estados do Nordeste. Sabemos que o público é sangue “nozóio”. Rsrs Temos alguns contatos, sim, fora do país, principalmente na Europa, mas por hora estamos divulgando o nosso trabalho por lá via internet e contatos de pessoas que gostam do nosso som.

Felipe Lameira: Como toda banda de metal brasileira, temos muita vontade de levar o nosso som para fora do país. Mas agora damos muito mais importância em tocar dentro do Brasil para mostrar o nosso trabalho a todos os nossos conterrâneos. O Nordeste, com certeza, é um dos destinos que mais almejamos. Esperamos estar em breve por aí para quebrar tudo com vocês!

Arena Metal - Uma curiosidade das bandas Recife é saber como tem repercutido a cena mental pernambucana, principalmente no Rio de Janeiro, já que muitas bandas do Sul, Sudeste tem se apresentado com freqüência aqui.
Renan Ribeiro:
Eu sempre acompanho as bandas e suas atividades, conheço o pessoal do Alkymenia, são grandes músicos, mas infelizmente as bandas do Nordeste tocam pouco aqui no Rio de Janeiro. O que é realmente uma pena.
Felipe Lameira:
Realmente não vemos muitas bandas do Nordeste tocar aqui no Rio de Janeiro, o que pra nós é uma pena. Eu conheço o trabalho do Decomposed God, mas gostaria de conhecer mais a cena pernambucana.

Arena Metal - Quais os planos da banda para 2011?
Renan Ribeiro:
Já estamos trabalhando na produção do próximo trabalho. Será um websingle, totalmente disponibilizado para download grátis. E temos planos para fazer muitos shows, principalmente em outros estados. E podem aguardar porque vem novidades por aí.
Felipe Lameira:
São muitos os planos para 2011. O que podemos falar agora é o lançamento do novo websingle ainda para o primeiro semestre. O resto vai ser surpresa mesmo... Aguardem! 

Arena Metal - Agradeço a entrevista e deixo o espaço para as considerações finais da banda.
Renan Ribeiro:
Agradecemos ao Arena Metal pelo espaço e oportunidade. E um recado para os bangers de todo o Nordeste: Estaremos em breve por aí, e vamos quebrar a porra toda!
Felipe Lameira:
Valeu galera do Arena Metal, foi um prazer poder falar um pouco do nosso trabalho para todos vocês. Nunca se esqueçam que as bandas precisam do apoio de todos vocês para manter este som vivo. O quanto antes, esperamos estar aí para sacudir Pernambuco e o resto do Nordeste com o nosso som. Até lá galera!

Contato pelo Myspace

(entrevista elaborada por Enoch Leite - Subinfected)