Um bate papo com o frontman Nefando, da recém formada banda de black metal Féretro, que apesar de nova, conta com músicos com currículo em outras bandas. Oportunamente debatemos sobre a cena e sobre organização de shows.

Arena Metal: Salve Nefando! Cara, foi um prazer ver você de volta aos palcos e como sempre em hordas destruidoras. Me diga como foi que surgiu a ideia para formar a Féretro?
Salve grande Hugo Veikon! O Féretro tem sua essência criada assim que saí da outra horda que fundei, o Hardegon, entretanto outras participações não me deram espaço suficiente para me dedicar a horda como estou no momento, então em Março de 2014 tivemos nossa primeira apresentação abrindo o show para o Mystifier fincando totalmente sua fundação. Executar o brutal negro metal é nosso intuito com todas as composições feitas em português ligado ao sentimento de rancor para aqueles que ainda acham que o Nordeste não é um lugar que gera Reais Hordas e aos que se dizem Verdadeiros e Fortes e de fato não são.

Arena Metal: Você acha que esta posição da banda de levantar a bandeira apenas da região nordeste pode gerar alguma polêmica de xenofobia? Até porque o metal nacional se envolveu em polêmicas após as últimas eleições para presidente.
Acho de suma importância, pois a história por si só relata a força que o nordeste tem quando se fala de Metal. Hordas que ainda estão de pé e com uma cena forte em determinados estados e que não se abalam de forma alguma com ofensas vindas de outras regiões, quero ver vir falar por aqui. Hoje já podemos produzir nosso material de forma profissional, inclusive shows underground, que atualmente estão escassos em nossa região, entretanto ainda continuam acontecendo.

Arena Metal: A banda ainda não lançou material, mas ouvi num show a música "Eterno Nordeste". Sobre o que trata essa música? Pergunto isso por que é um título bem fora do comum para uma banda Black Metal.
Pois é, quando compus essa música pensei em como expor o poder da magnitude que os guerreiros do nordeste cultuam e vivem, contudo a música relata os rituais de orgias e magias envolvidos nas mentiras cristãs, ou seja, invadindo e blasfemando o âmbito cristão com atos de guerra e sem nenhuma a tolerância aos que se dizem “white power”, pois no nordeste essa raça não se cria.

Arena Metal: A musicalidade da banda é muito boa embora já tiveram troca na formação. Mas quando poderemos ouvir o material de vocês? A banda já entrou em estúdio para fazer as gravações?

É, sempre haverá mudanças, pois nunca se sabe o que o destino reserva para nós, entretanto a ideia de solidificar a formação é intensa e primordial para uma carreira duradoura para nossa horda. Quanto a gravação do nosso primeiro material, ele terá a participação na direção e produção de Diego DoUrden, visando lançar um debut oficial até o fim deste ano de 2015.

Arena Metal: Legal essa parte de já sair com algo oficial, mas você não pretende soltar algo que facilite o público acompanhar a banda nos shows?
Não, pois isso para nós é um trabalho profissional com membros que vão levar a sério o que será produzido, contudo suponho que o público irá apreciar um lançamento oficial, pois os membros já têm experiência suficiente para executar tal façanha e uma Demo ou EP iria atrasar e muito esse lançamento, por isso essa decisão foi tomada em conjunto.

Arena Metal: Quantas músicas terão esse material? No show já pude observar cinco, e isso significa um setlist curto (30min aproximadamente). Até o lançamento terão mais músicas novas?
Uma Intro e mais oito faixas que estão e fase de conclusão de composição, ou seja, estamos organizando e moldando algumas coisas para ficar tudo em perfeita harmonia.

Arena Metal: Você, por está sempre ativo, acha que a cena metal do estado está de portas abertas para acolher  o Black Metal como já foi tempos atrás? Porque venho observando uma carência de shows nesse segmento aqui no estado.
É Hugo, tive a sorte de apreciar alguns shows que geralmente se tinha Death e Black Metal juntos na década de 90, contudo shows só com bandas de Black Metal aconteceram em Caruaru/PE e Campina Grande/PB. Detalhe: grandes celebrações que foram o ponta pé inicial nesse segmento. Consegui, como produtor, inserir no calendário anual duas celebrações (a saber: “Noite de Celebração ao Negro Metal” e “Ato de Reverência ao Bode”) na época que o memorável Bomber Rock Bar estava em atividade e como você menciona sobre a carência de shows de Black Metal vem a grande questão: casas de eventos para shows quase não existem, entretanto há quem ainda resista, como o Casarão das Artes, que foi  palco de grandes shows, então a ideia é resistir e declarar guerra aos que tentam se infiltrar (quando não são os White Merdas são os Radicais), pois aqui em nossa terra vingança tem gosto de sangue e quero ver entrar para conversar merda.

Arena Metal: O lixo citado ainda se faz presente na cena e em alguns shows dividem palco com bandas do segmento Heavy Metal (que parecem não ligar muito em dividir palco com eles). Qual a posição da Féretro caso seja convidada para encarar um show que tenha no mesmo 'cast' o lixo white?
Infelizmente isso está acontecendo como a infestação da AIDS em território nacional e mundial. Não entendo como apoiar uma minoria na qual fazem coisas do tipo: Orar em cima do palco que para mim é igual o beijo de boca entre pessoas do mesmo sexo (Falo da falta de respeito com o palco e o público). Já foram abominados dos locais que os reais guerreiros daqui frequentam, são de índole frágil e quando vejo uma banda não só de Black e Death Metal que dividem palco com essa escória são rapidamente excluídas da cena, mas as bandas de Heavy e Thrash Metal (sem citar nomes) que tendem a não ter nenhum preconceito com a falácia cristã e seus seguidores espero que um dia entendam que nunca a água vai se misturar com óleo e ainda tentam não sei o porquê !!!

Arena Metal: Vamos partir para parte das artes do álbum vindouro. Você já idealizou a arte do material. Gostaríamos que nos adiantasse acerca dessa informação.
Estamos dando andamento a esta produção. A capa que vem com a essência sobre o nordeste ligado a temática de envolver orgias, rituais satânicos e principalmente a força e a honra que a horda se faz afastando sempre os que ainda usam da falsidade como modo de vida e quando percebido execrado do nosso meio.

Arena Metal: Atualmente vemos algumas bandas nordestinas fazendo isso: usando elementos nordestinos. No caso, vocês usaram apenas ícones que remetem ao nordeste ou usaram também elementos musicais como fizeram a banda Cangaço e Hate Embrace?
Pois é Hugo, o Féretro tem o intuito de usar o termo “Nordeste” relacionando a forma agressiva que temos quanto ao separatismo e ao insinuar o termo “Nordestino” como chacota ou a questão “Ser Negro”. Somos totalmente avessos a esse tipo de injúria e estamos dispostos a guerrilhar com qualquer um que venha expor esse tipo de idéia. Relembrando alguns momentos de nossas guerras (não irei citar nomes) mas ocorreu no show do Belphegor e Ragnarok em 2011: houve um atrito comigo e uma pessoa que não tenho adjetivos para qualificá-lo, mas com total certeza homem ele não é, todavia o mesmo tentou impor o Radical Black Metal em nossas terras, sem sucesso devido a uma temática racista. O mesmo, junto a sua esposa, tiveram a sorte de ser banidos por minha pessoa do evento, pois a polícia chegara e fui preso sem poder fazer o que estava já organizado, que seria desmoralizar, agredir e denegrir a imagem dele, contudo ele fugiu para outro estado e com certeza iremos nos ver de novo para acertar essas contas pois se uma coisa que o Nordeste tem são guerreiros de palavra e um imenso instinto rancoroso.

Arena Metal: Sei muito bem de quem se refere. Pra finalizar gostaria de saber sua opinião sobre shows. Você acha que eventos devem ser separados? Black metal tocando no máximo com bandas death metal?
Eu fiz alguns eventos no antigo Bomber Rock Bar e no Casarão das Artes e sempre coloquei separados, pois o público é praticamente o mesmo, então seria um atrativo para ambas as partes. Sei que rola um certo separatismo mas o clima é o mesmo, vivo as duas vertentes a muitos anos e o interessante é o acontecimento dos eventos undergrounds que estão escassos em nossa região

[FACEBOOOK]

por Hugo Veikon

<< Voltar ao Site