DEVAKHAN é foi formada em Setembro de 2005 com o nome “ThelperioN”. A banda sofreu modificações com a saída do baterista e a exclusão do Teclado das músicas. As alterações implicaram na mudança do nome da banda e do estilo. Seu som é bem único e carrega traços marcantes de cada um dos integrantes.

Arena Metal – Primeiramente agradeço o tempo cedido e gostaria de saber em que a DEVAKHAN vem trabalhando?
A Devakhan atualmente vem trabalhando em um EP, que terá cinco músicas de nossa autoria e sempre ensaiando duro para estarmos sempre preparados para os shows.

Arena Metal – Esse novo material vem com alguma regravação do Debut?
Não. Pretendemos gravar as músicas do debut em um outro momento mais adiante. Pelo fato de termos muitas composições, preferimos gravar músicas diferentes do Debut. E na escolha das músicas a serem gravadas prezamos pela variedade tanto de andamento quanto na harmonia para abranger melhor o nosso estilo e apresentar melhor o som da banda.

Arena Metal – O Debut foi uma produção independente e com pouca tiragem. Gostaria de saber se a banda fez uma divulgação em massa ou foi apenas para lançar o nome da banda na cena?
A gravação do Debut foi feita de uma maneira totalmente independente, mas tentamos deixar o CD o mais profissional possível, com a confecção de um encarte com capa e letras e impressão no CD. Fizemos e ainda fazemos a divulgação do debut através da Internet e em shows que participamos. Não investimos mais na divulgação desse material, pois reservamos os investimentos para esse novo que está por vir.

Arena Metal – Normalmente as bandas crescem com críticas. Pode-se dizer que a banda colheu críticas e está evoluindo com esse resultado?
Ainda não recebemos uma crítica forte em relação ao som da banda ou a técnica dos músicos, mas sempre ouvimos alguns conselhos que os ouvintes e os amigos dão e procuramos absorver o máximo possível para melhorar o som. Uma crítica foi feita em relação a qualidade de som do Debut, onde um crítico da Roadie Crew, na sessão Garage Demos atentou em relação a ressonância do caixa da bateria, que segundo ele, ficou com som de “panela”. Mas por outro lado, disse que segue um estilo de Death Metal mais elaborado e citou a Dream of Opium como a música com melhor qualidade nos riffs.

Arena Metal – No primeiro material, auto intitulado, a faixa “In The Name of Justice”, tem um riff que nos lembra muito a Krisiun, seria realmente uma influência da banda ou foi coincidência?
A maioria dos riffs de guitarra das nossas músicas são criados pelo nosso guitarrista, Luis Filipe. Na época ele escutava Krisiun, mas considera a maior influência vinda do Quo Vadis.

Arena Metal – A Devakhan tem cadências que nos lembra algo praticado por bandas antigas da cena Metal Pernambucana. Os músicos da Devakhan ouvem alguma banda antiga desta cena? Quais?
Não, pois quando começamos a freqüentar shows da cena pernambucana, o estilo que mais predominava era o Power/Heavy Metal, tipo Terra Prima, Steel Blade, Silent Moon, Preatcher, entre outras, mas fomos a alguns shows com bandas mais pesadas, como Oddium, Chaosphere, Darken Solis. Mas achamos realmente que a cadência das nossas músicas é proveniente de bandas estrangeiras.

Arena Metal – Eu realmente viajei nas letras do primeiro material de vocês (que por sinal sofreu críticas deste site pelo vocalista cantar em muitas partes das melodias). Deixe-nos a par do que a Devakhan vai abordar neste novo material.

Primeiramente, ta aí uma crítica, pois nunca tínhamos ouvido falar nisso. Como sempre, as letras das músicas têm temas relacionados a literatura, história e arte. Um exemplo são os das músicas Cult of Cthulhu Part. 1 e 2, onde a primeira vem com uma recriação da história de H.P Lovecraft e a segunda vem como possível fim da história de terror.

Arena Metal – Gosto de ouvir a banda e afirmo que ela faz parte de minha discoteca (risos)... E não gostei de ver uma resenha na qual um crítico de uma determinada revista comenta sobre as equalizações do demo. Vocês não acham que em um demo vale mais ressaltar a criatividade ao invés de criticar o investimento em mixagem?
Exatamente. Concordamos com sua opinião, pois a demo é mais um trabalho para poder dar o ponta pé inicial do que para mostrar uma grande qualidade de gravação, que virá com esse nosso próximo trabalho, no qual estamos dedicando um tempo bem maior, para não haver se quer um riff ou uma batida fora de tempo, dando também grande atenção a qualidade sonora dos instrumentos, com uma mixagem superior. Realmente, depois do debut, achamos que é fundamental a partir de agora investir na qualidade da gravação.

Arena Metal – Costumo dizer que a banda é muito mais que os músicos que a integram, sendo assim: quem trabalha por trás da banda? (produção gráfica – edição de myspace – roadie – mixagem...)
Sobre a produção gráfica, foi por conta do baterista Leandro, o Myspace foi produzido pelo nosso querido amigo Rilton (Anão), os roadies somos nós mesmos. Fora isso tem sempre os nossos amigos que às vezes nos cedem equipamentos, filmam e tiram fotos nos shows e nossas mães que fazem um feijão tropeiro bem massa pra gente comer e ficarmos bem para os ensaios e shows. No novo cd que está sendo produzido, vamos contar com novas pessoas para a idealização e edição do encarte e divulgação do material. Temos planos de gravar um vídeo clipe, com apoio de nossos amigos e até do nosso próprio guitarrista, que cursa na área áudio-visual.

Arena Metal – Para finalizar, não pensem que estamos agourando, mas é... Quando a pessoa morre toca umas coisas lá que nem sempre estamos afim, apesar de mortos. Mas então, que música cada membro da DEVAKHAN gostaria que rolasse no funeral de cada um?
Elcimar: Trivium – Shogun
Arthur: Symphony X – A Lesson Before Dying
Luis: Iron Maiden – Hallowed be thy Name
Roberto: Cynic – Celestial Voyage
Leandro – Não quis falar

                                                                                             (Por Hugo Veikon)

<< Voltar ao Site