Uma das poucas bandas de Doom Metal no estado de Pernambuco, a
Destiny Old Die se destaca por ter músicas muito bem elaboradas, e
mesmo embora a banda tenha se revelado recentemente, já chegou
lançado um EP intitulado "...Long Tears". A banda é formada por: Fabio Farias (Vocals) - Jhon Francis (Guitar) - Cleyson Mathias (Bass) -
Ricardo A.Silva (Keyboard) - Milton Drum (Drums). Mas conversamos
com dois integrantes da banda o Cleyson e Fabio, que nos contou
um pouco sobre a trajetória da banda.

(por Hugo Veikon)

Arena Metal - A Destiny Old Die é uma banda bem underground na cena local do estado de Pernambuco, mas observo que ela tem uma sonoridade bem profissional. Nos conte quando foi formada e como funcionou o recrutamento dos integrantes.

Cleyson Mathias - Bem,  a trajetória  da D.O.D foi bastante árdua durante seu início de criação desde a primeira formação até os dias de hoje.  A cena por aqui nesse gênero sempre foi escarça e bastante limitada.  Até o momento, a nossa formação ficou finalizada durante a gravação da primeira “Demo” que foi bem aceita na crítica. Sou o único componente co-fundador, estável  da primeira formação. Passei anos parado, sem nenhuma estabilidade de retorno, que também acarretou bastante o processo de uma nova roupagem a ser aplicada tanto na temática e originalidade. Trabalhamos duro pra conseguir o que realmente queríamos.  Todas as canções são amostras do nosso vínculo produtivo e a dose certa, mesclando uma sonoridade ideal em nossas composições no estilo. Todos os componentes são amigos de longas data e foi aí que surgiu a formação desde o retorno,  que ajudou bastante o compartilhamento de decisões a serem tomadas durante nossas  opiniões e idéias. Alguns dos membros tem seus projetos  paralelos mas mesmo assim não dificulta  em nenhum momento nosso trabalho. Com a formação estabilizada, adotamos uma forte influência  pra seguir  firme nossa proposta.

Arena Metal - A DestinyOld Die é uma banda que tem uma sonoridade bem profissional, mas sinto que há uma lacuna da banda para se integrar aos shows da cena local.  O que você apontaria para essa lacuna?

Fabio Farias - Como foi dito anteriormente a cena recifense de uma  certa  forma esteve carente desse estilo por anos, talvez eu esteja enganado, mas essa é a verdade. Pelo  que eu me lembre o último registro de uma banda desse gênero foi com a extinta Sad Icon,  uma puta banda. Mas voltando a questão, o que eu acho que ainda falta pra a D.O.D, é simplesmente mais eventos voltados para o estilo, tendo em vista que  na cena local o forte dos eventos é mais voltado para o movimento Thrash  Metal. De uma certa forma não estou criticando, até porque eu curto o género, sem dúvida. O que falta realmente é o interesse de se investir no Doom Metal de um modo geral, mais aos poucos chegaremos lá. É só uma questão de tempo.

Arena Metal - Mas então vocês acham que seria mais interessante formular eventos exclusivamente Doom, ou eventos que envolvessem todos os gêneros como, por exemplo, o evento em que vocês lançaram o Debut "...LongTears"? Neste evento haviam bandas de Crossover, Thrash, Death além do Doom de vocês.

Cleyson Mathias - Não que seja extremamente um show relacionado só a esse estilo, (que até poderia ser uma boa) mas sim, abrir as portas para o Doom e suas vertentes em geral. De um tempo pra cá, algumas bandas estão surgindo e fazendo esse tipo de sonoridade aqui em nosso Nordeste.  Quanto a se montar um show por aqui seria ótimo convidar as bandas que estão começando! Um forte escape pra fortalecer a cena por aqui, em Recife. No entanto, foi uma honra ter recebido o convite do 1ª UMP. Estar ao lado dos pesos daqui e região próxima, prestigiando no trabalho e lançando da nossa primeira Demo, que, além do mais, ajudou bastante nosso reconhecimento.

Arena Metal - Já que citamos o nome do Debut "...LongTears" e Cleyson citou também o tempo que a banda ficou parado. Pergunto se o nome do EP tem algo a ver com essa luta da banda?

Cleyson Mathias - Na verdade, a inspiração do título de nossa DEMO foi realmente a passagem de teclado do Ricardo A. , que de uma certa forma ficou esplêndido. Uma sonata ora harmoniosa, ora triste. Desvendando todo sentimento de angústia, que transborda em todas as nossas canções. Embora o tempo que passamos sem exercer nosso trabalho, que também nos ajudou a fixar e encorpar nossas buscas e inspirações, em todos os nossos sentimentos.

Arena Metal - O material não consta as letras das músicas então gostaria de saber, como pode até mesmo ser a dúvida de alguns leitores. Sobre o que fala as letras das músicas de vocês?

Cleyson Mathias - Infelizmente, não pôde ser aplicada as letras em nosso encarte na  Demo  por motivo de prensagem na matéria física junto com o CD.  O tempo foi curto para poder fazer  esse tipo vendagem de poucos exemplares e de uma forma dependente para o lançamento. No entanto, as letras abordam todo o sentimento de angústia e alienação. Todas as suas desprezíveis, tortura da vida desvairada mental, onde se encontra lucidez desregrada da vida e do próprio ser. Bem, por ai vai. A nossa tese de  alimentação é sempre esse questionamento. Abrangendo a nossa literatura e poesia que se pode imaginar para esse estilo musical.

Arena Metal - As músicas quando escritas normalmente tem alguma influência, mas vou fazer uma pergunta diferente. No material a música título é instrumental, qual foi a influência para compô-la?

Cleyson Mathias - Provavelmente, toda nossa fonte de inspiração é imensa. Todas as letras são escrita por mim,  a maioria delas há mais de 10 anos. Foi justamente nesse período que estavamtodas as minhas inspirações para escrevê-las, que enraizou  o amadurecimento para as novas, que surgiram e com fortes influências. O título saiu naturalmente quando foi composta essa instrumental, batizamos como “...Long Tears” pelo fato da essência do magnífico teclado, que oscilou toda estrutura soando essa tristeza imprimida, dando ênfase  para  o título.

Arena Metal - O material teve uma tiragem bem limitada, mas de qualidade. Até onde vocês têm noção se a aceitação foi positiva?

Cleyson Mathias - Isso mesmo, nossa tiragem foi bem limitada, mas de bom  tamanho para nossa divulgação. Pude ver que muitos dos contatos que obtive foram bem aceitos pelo público em si. Pra falar a verdade a qualidade sonora ficou ótima, mas poderia sair melhor pois gravamos sem ter tempo de mixar o máximo possível pois o lançamento seria num dia próximo à finalização. Mesmo assim, ficou excelente. Nossa posição foi bem aceita fora do estado e do país. Enviei e distribui para muitos contatos durante o lançamento eas criticas foram bem aceitas ao meu ver. Alguns zines, fanzines, magazines, webradio, website, distro e outros contatos em países como Chile, Reino Unido,Colômbia, Greece e Rússia.

 Arena Metal - Pretendem fazer algum material o quanto antes ou ainda vai divulgar mais o "...LongTears"?

Fabio Farias - Sim! O novo material já está sendo preparado, em forma de composições e arranjos. Vamos manter a mesma fórmula, que vem dando certo desde o lançamento da demo. E quanto a divulgação do mesmo, sim, sem dúvida, estamos de forma independente espalhando nosso material pelo Brasil, por meio de zines e contatos que fizemos ao longo da retomada da banda.

Arena Metal - Como a banda anda de agenda?

Fabio Farias - Pode-se dizer que vai muito bem, até porque a realidade dos músicos das bandas da nossa cena, e que tenho certeza que se iguala a muitas outras no território nacional, é de pessoas que têm suas outras atividades profisionais encurtando e limitando o seu tempo para certas tocadas e eventos por aí afora, entre outras coisas, mas tenho certeza que este quadro irá mudar. No momento estamos envolvidos com trabalhos internos e aguardando alguns contatos que foram feitos outrora.

Arena Metal - No começo dessa entrevista vocês citam a Sad Icon, que foi uma bela lembrança. Acho que a Sad Icon foi uma banda pouco citada na cena local. Quaisoutras bandas vocês citariam da cena local que vocês admiram.

Fabio Farias - Sim, eles eram uma grande banda e tive o privilégio de sacá-los em dois eventos, um deles abrindo para o Krisiun no Armazém 14, na época, e o outro no festival "Blizzard" de Vitória. Não me lembro o ano mais. Foram shows marcantes. Quanto as bandas da cena que admiramos vou falar por mim e acho que o restante dos integrantes irá concordar.

Posso citar bandas perfeitas, que pude presenciar ao logo dos anos 90 por ex: As the Shadows Fall, Malkuth, que tivemos a honra de tocar no "1ª União Metal de Pernambuco", Obscurity Tears e a fodidíssima Infested Blood, entre outras. Poderia passar o dia inteiro aqui comentando sobre elas. Na cena atual temos bandas que, sem dúvidas, tem muito a dar e mostrar que aqui neste estado se sabe fazer música extrema de primeira.

Arena Metal - E em âmbito nacional?

Fabio Farias - Será um grande passo a ser dado, tendo em vista que é algo complicado nos dias de hoje. Mas a D.O.D está caminhando na medida do possível para que isto um dia aconteça. Temos contatos dentro e fora do nordeste, onde existem organizadores de eventos específicos e voltados ao Doom Metal, que é bastante forte por sinal. O que nos falta por enquanto é uma produção de primeira, mas em breve isto estará acontecendo.

Arena Metal - Vamos ficando por aqui. Mas peço que deixem os contatos para que os produtores e o público encontrem vocês nas plataformas digitais ou até postais.

Cleyson Mathias - Aqui ficamos  mais que lisonjeados pelo espaço dado e à todo pessoal envolvido do Arena Metal, que nos abriu as portas e deu um pontapé inicial para mostrar no trabalho. Também agradecemos à todos os camaradas que, de uma forma ou de outra, estão nos apoiando e que juntos estamos erguendo nossa bandeira no Doom Metal nacional.

Fabio Farias - Agradecemos aqui ao Arena Metal, ao Hugo, ao William e seus colaboradores por nos concederem esta entrevista.

Contatos:
dod.band@live.com

myspace.com/destinyolddie

destinyolddie.bandcamp.com

soundcloud.com/destiny-old-die

fanpage: facebook.com/destinyolddieband

facebook.com/dodband

Fones: 81- 8782.5252    -   81- 9293.0214

 

<< Voltar ao Site