ENTREVISTA COM CLAUSTROFOBIA

ARENA METAL: A Claustrofobia já fez alguns shows pelo nordeste, mas aqui no Recife é a primeira vez. Como é tocar pela primeira vez aqui e já em um evento de grande porte e de tanta tradição, como é o Abril Pro Rock (APR)?
Caio
(baterista da Claustrofobia): Para a gente é um prazer, sempre tentamos mais nunca conseguimos, mas tá ai, essa nossa primeira vez foi num “puta” festival deste, então a gente já começou bem, a galera gostou. A gente também sempre quis tocar neste festival, mas essa é a primeira vez de muitas outras aqui no Recife.

ARENA METAL:Vocês esperavam essa recepção do público daqui?
Caio:
A gente esperava que seria bom. Porque a gente sabe que o público daqui é bom, afinal a gente recebe e-mail, muitos brothers de banda já comentaram do público daqui, então a gente sabia que iria ser bom, porque a galera daqui é foda, foi do caralho e estamos felizes, foi perfeito.

ARENA METAL: Sobre o lançamento dessa Turnê “I See Red”, houve também na Europa. Como foi a recepção do público lá? Haja vista que tinha faixas em português?

Caio: Bem, essa foi nossa segunda turnê européia. A primeira foi legal, mas essa segunda foi melhor, porque já tinha uma galera que já conhecia e esse álbum, I See Red, já tinha sido lançado lá na Europa e também nos Estados Unidos, a turnê foi foda a recepção foi do caralho, a galera pirou, gostavam das músicas em português.

 

Foi só ter uma segunda turnê pra gente ver que tinha plantado uma coisa lá e colhido no futuro.


ARENA METAL: Falando das músicas em português, que rolou lá, aquele cover do Ultra a Rigor (Filho da Puta), rolou lá também?
Caio:
Na verdade, eles quem quiseram a música, viram que tinha a música e quiseram lançar lá, dai a galera la gosta, porque é outra língua, eles perguntam do que fala e tal. Mas na real, a galera gosta de som bom.

ARENA METAL: Sobre a capa do Álbum I See Red, parece que rolou uma censura, realmente qual foi a capa?
Caio:
Na verdade não foi censurada, a gravadora européia não gostou da capa nacional, então eles quiseram fazer outra para lançar la fora, daí eles fizeram outra, a gente curtiu, então o I See Red saiu com duas capas, uma versão nacional e uma versão importada.

ARENA METAL: De onde surgiu a denominação Metal Malóka, cara?
Caio:
Isso é uma coisa que um amigo nosso, Ciêro, que também já produziu alguns discos nosso, falava: É tocar na veia com raiva e foda-se tudo. Fazer metal pra quem quiser ouvir.

ARENA METAL: Além de Metal, que tipo de músicas vocês ouvem?
Caio: Isso é particular de cada um da banda, eu particularmente ouço rap, blues, rock, reggae... Metal é minha vida, mas ouço muita coisa pra pegar swing pra explorar na música no geral.

ARENA METAL: Deixe a sua mensagem pra galera daqui e pra quem esteve nesse APR 2010.
Caio: Continue ouvindo metal e apoiando a cena, que o bagulho nunca vai acabar, porque o Metal é eterno e o Claustrofobia tá ai até a morte.

<< Voltar ao Site

                               (Entrevista por Por Hugo Veikon e Krakum - foto por Dezza Ganny)