(Entrevista por Hugo Veikon)

Arena Metal – Cara, agora após dois anos de lançamento de seu debut solo, vamos fazer uma análise e esclarecer algumas dúvidas: Eu me perguntava o porquê do material ter saído tão pomposo, mas não vir com as letras. Qual o motivo disso?
Na verdade, o CD saiu sem letras por um engano por parte do cara que fez a minha arte. O arquivo que aprovei tinham 4 páginas e o que foi enviado para prensagem apenas duas. Foi mais uma lição que aprendi com meu primeiro lançamento.

Arena Metal – Já que você falou que serviu de lição, em Abril/2016 ficou de sair o EP, foi inclusive anunciado, mas acabou que não saiu e agora você volta com carga total. O que está sendo gravado é a continuação daquele EP anunciado ou algo mais novo?
É verdade, o EP foi anunciado. Já tinha capa e músicas prontas, porém eu não senti o impacto que eu estava esperando das composições. Apaguei tudo que tinha feito para o EP e comecei a compor o novo CD em setembro/2016. A única faixa que estou usando para o novo CD chama-se "Evil Spirit" e é um cover do Running Wild.

Arena Metal – Então, podemos esperar uma continuação do debut, ou você é como a Rotting Chris, ou seja, cada álbum uma nova fase?
Minha música para o novo CD vai mostrar o natural desenvolvimento que aconteceu comigo desde que o 1º álbum foi gravado. Tenho me dedicado mais a guitarra e teclado. A bateria eu toco apenas quando gravo as músicas. Com isso, eu te dou certeza que a música está bem diferente, continua com a mesma energia e ódio, só que agora eu consigo me expressar com mais clareza musicalmente. Não estou com isso afirmando que meus próximos álbuns serão sempre diferentes como parte de um plano ou objetivo, mas se a evolução está acontecendo, a evolução vai ser sentida.

Arena Metal – E o projeto continua one-man-band ou dessa vez contará com alguma participação especial, visto que muita gente teve acesso e houve uma aceitação positiva no debut?
Sim, tenho algumas novidades. Uma delas é a entrada de um vocalista fixo, me deixando assim mais livre para compor as músicas, pois estou ficando com menos tempo para me dedicar a tudo sozinho. Outra razão é o fato de que esse demônio que chamei pra berrar na BELCHIOR é um dos maiores vocalistas do Nordeste e vai deixar a banda muito melhor em todos os sentidos. Também vou contar com o Alexandre Emerson (Sanctifier)  fazendo solo em duas músicas. E no cover que fiz do Running Wild eu contei com o Diego D'urden (Mystifier, Infested Blood) e o Russ Drury (Idolatry, The Projectionist) nos backing vocals.

Arena Metal – Soube que você está envolvido noutros projetos e um deles é um lançamento de uma ex-banda sua, INFECTED. O que vem por aí nessa investida em paralelo?
A INFECTED não é uma ex-banda minha. A INFECTED, na verdade, é a única banda que nunca acabou. Vivemos eu e Jorge nos EUA já faz 15 anos e por muito tempo temos ensaiado, porém sem conseguir organizar tempo para gravar. E com os valores dos estúdios por aqui completamente fora da nossa realidade, fomos obrigados a esperar e vagarosamente montarmos nosso próprio estúdio de gravação. A INFECTED foi uma banda de Death Metal que teve uma importância gigantesca para a exposição do estilo na época (início dos anos 90). Hoje a música está bastante diferente, com influências que vão de David Bowie até Septic Flesh, passando por Eagles, Nazareth, Scorpions, Judas Priest, King Crimson, Pink Floyd, Morbid Angel e por aí vai.

Arena Metal – Mas esse material vai sair como físico, ou vai seguir a tendência atual (digital)?
Esse lance de material digital pra mim pessoalmente é lixo. Se a banda não causar interesse de nenhum selo e assim ficar encalhada eu até entendo, mais daí vem o esforço de quem acredita em se virar pra bancar sua própria prensagem. Eu fico cansado de ver as bandas jogando material online e quase que implorando para o público sacar a música. Acho isso um lance de satisfação instantânea e isso não me faz feliz. Eu quero meu material lançado da maneira que mereça... Isso aqui não foi feito de brincadeira, isso aqui é sangue, suor e lágrimas.

Claro que isso vem da minha opinião, um cara de 43 anos que coleciona LPs, CDs e cassetes por toda vida, que por isso tem um relacionamento especial com música em forma física. Morte ao MP3!

Arena Metal – Você é brasileiro e reside nos EUA há anos, mas por que focar o teu lançamento sempre no Brasil e primeiramente no Nordeste?
Isso não foi minha escolha no principio. Fui convidado pelo Sávio (aka Hellhammer da Lord Blasphemate) para lançar meu CD pelo selo ORDO DRACONIAN BLACK LABEL, o qual ele é o dono e administrador. Eu estava nessa época apenas gravando minhas músicas sem intenção de lançar em CD ou mesmo divulgar em nenhuma maneira. Com a facilidade de comunicação atual foi simples passar a minha demo para alguns amigos, despertando assim a atenção do Sávio. Para o meu 2º CD eu farei o lançamento pelo meu selo, o DEAD PARADISE RECORDS. Este vai ser o 1º lançamento do meu selo, seguido do CD da INFECTED que vai sair logo depois do BELCHIOR e uma terceira banda de Recife já está nos acertos para também sair esse ano. Meu plano é lançar pelo menos uma banda todo ano e também das bandas que participo.

Outro lance que facilita muito é o fato de que os CDs são entre 8 a 10 vezes mais caro para prensar aqui nos EUA, e no Brasil eu tenho um time de confiança pra fazer divulgação e manter o selo vivo.

Arena Metal – Na divulgação do debut ainda rolou um clipe da música “A Life With No Light - The Olden Days”. Este clipe repercutiu e sofreu algumas críticas. Será que nos dias de hoje a sociedade ainda se choca com alguma oposição religiosa, inclusive algumas pessoas que se dizem seguidoras do Metal?
Cara, eu não me preocupo sobre isso. Em primeiro lugar eu faço minha música pela necessidade de expressão que sinto e não para agradar ninguém. Se alguém se sente ofendido com isso não é nenhum problema pra mim. Faz 43 anos que estou nesse mundo de merda e dia após dia vejo cristianismo infiltrando, invadindo e controlando. Eu quero ser o assassino desse Deus.

Arena Metal – Isso quer dizer que no material vindouro terá mais vídeo?

Farei mais vídeos para esse lançamento também. E espero incomodar ainda mais a todos que se curvam diante de um Deus filho da puta inventado por um filho da puta para vários filhos da puta.

[RESENHA DO CD]

 

por Hugo Veikon

<< Voltar ao Site