(Entrevista por Wanderson Manson)

Arena Metal - Primeiramente, como surgiu o Alekto?
WILL - Mais ou menos em setembro de 2015 Cauê e eu decidimos iniciar esse projeto. Foi algo que aconteceu naturalmente, tínhamos algumas ideias que misturavam nossas influências de thrash, death e groove metal. Quando ouvimos o primeiro som ficamos bem satisfeitos com o resultado e começamos a gravar mais músicas. Estávamos muito animados e as músicas começaram a sair com alguma facilidade.

Com quatro músicas pré-produzidas decidimos ir para estúdio para gravar um EP, foi nessa época, Agosto de 2016, que Jhoka e Woesley ingressaram na banda e o projeto expandiu para a gravação de um disco full pois eles completaram o time e deram a sonoridade que o disco precisava. As composições de bateria e solos de guitarra levaram a banda a atingir o nível que tanto desejávamos.

Jhoka veio com a idéia do nome. Ao ler as letras de músicas e entender o conceito, ele sugeriu  Alekto, uma das erínias na mitologia grega ou fúrias na mitologia romana, responsáveis por castigar os delitos morais como raiva, soberba e etc., tanto dos homens, quanto dos deuses.

Com tudo pronto entramos no estúdio de gravação com um prazo apertadíssimo de 5 dias para concluir toda a captação. A banda deu o sangue e concluímos o processo em tempo e com a qualidade que queríamos.

Arena Metal - A arte da capa do disco  é algo que chama atenção. Fale-nos um pouco mais sobre a ideia e o significado dela.
JHOKA - Esse álbum teve uma atenção especial no conceito e na mensagem que queríamos passar. Com as músicas pré-produzidas e a ideia do álbum bem definida procuramos um artista para criar algo único. Parceiro de longa data do KroW, Costin Chioreanu, da Twilight Media Studio, abraçou esse projeto, absorveu o conceito e criou algo simplesmente fantástico. Existem vários elementos, mas destacamos a presença da dualidade do bem e do mal nas ações humanas, o poder controlando os braços da justiça etc. A arte possui margem para várias interpretações e reflexões, depende sempre das crenças e da cultura de quem está vendo.

Arena Metal - De onde surgiu a ideia do título do álbum, e sobre o que significa?
WILL - A linha geral do álbum foi feita com base na realidade que a gente vive hoje em dia e tentamos abordar muitos aspectos que existem na humanidade, como exploração de recursos naturais (por exemplo, o caso de Mariana/MG), escravidão moderna (sendo que hoje existem 28 milhões de pessoas escravizadas), e até assuntos comportamentais como hipocrisia, traição e outros mais. Quisemos mostrar no álbum que isso é uma realidade desagradável, que existe e é uma farsa querer esconder isso.

Arena Metal - O som praticado por vocês é bem pesado, denso e moderno. Vocês pensam em qual segmento seguir durante processo de composição ou é algo que surge naturalmente?
CAUÊ - O nosso processo de composição começa pela ideia do conceito da letra e depois buscamos passar com os riffs essa mesma ideia. Tem acontecido de maneira muito natural e sem pensar em nada pré-definido. Temos uma ideia que acreditamos e trabalhamos em cima dela pra passar da maneira mais verdadeira possível.

Arena Metal - O álbum já começa com “Who Cares to Raise the Hand?” e os vocais do Will logo de cara já deixam claro que vem porrada pela frente. Ela foi escolhida estrategicamente para abrir o álbum?
CAUÊ - Foi sim! Queríamos que o álbum começasse no primeiro milésimo e que nos primeiros compassos já pudesse passar uma impressão do que viria pela frente da maneira mais direta possível.

Arena Metal - Sobre qual ótica vocês tratam a letra da faixa “Let’s Talk About War”? (NR: que, aliás, é a minha faixa favorita!)
WILL - Essa faixa aborda a guerra de uma maneira diferente. A principal mensagem aqui é que a verdadeira guerra acontece entre dois líderes debatendo e negociando termos de um acordo, portanto, a guerra que estamos acostumados a ver é uma consequência disso. Um ponto interessante sobre essa letra, é que ela é um diálogo entre dois personagens sobre o assunto.

Arena Metal - Lembro que quando ouvi falar a primeira vez sobre a banda, ela me foi apresentada como a “nova banda dos integrantes do KroW”.  Isso é algo que incomoda vocês? Você acham que pode prejudicar na criação da identidade da banda?
CAUÊ - Claro que quando três integrantes de uma banda formam outro projeto esse tipo de comentário é bem natural, mas o Alekto apesar disso chega com cara nova e com identidade própria tanto conceitualmente como musicalmente. Acho que o público já pôde sentir isso, e naturalmente o Alekto vai conquistar o seu espaço

Arena Metal - Como foi a recepção do público na coletiva de lançamento do CD, que ocorreu dia 09/03/17 em São Paulo?
WILL – Sensacional! Vários representantes da imprensa local e amigos estiveram presentes. Foi a apresentação oficial da banda, lançamento de nosso cd e do nosso Lyric Video de "Mind Scars", um grande trabalho feito pela artista Gabby Vessoni. Esse evento que deu a oportunidade de falarmos um pouco sobre o projeto e dar o pontapé inicial.

Arena Metal – Por que a faixa “Revenge” foi escolhida como primeiro Videoclipe?
CAUÊ - Na verdade, essa foi uma ideia do diretor do nosso clipe, Guilherme Fernandez. Chegamos com a ideia de fazer o clipe de outro som, mas conversamos com ele e concordamos que seria uma boa ideia fazer com "Revenge" pois musicalmente ela consegue compilar  a nossa identidade e para o vídeo foi uma boa escolha por conter diferentes atmosferas durante todo o som . Foi o primeiro material que soltamos, então acho que tinha que ser um lance que pudesse passar mais informação possível sobre o nosso som.

Arena Metal - Além de disponibilizar o CD para audição e download pelas principais plataformas digitais, vocês também lançaram o disco de forma física. Por que essa preocupação em ter um material físico em uma época cada vez mais digital?
WILL - Sim, hoje em dia com a expansão das plataformas digitais, se você parar para analisar, muitos de nós não temos um aparelho para tocar um cd, apenas nossos computadores, porém quando trata-se de metal, a galera gosta de ter o cd em mãos, curtir o trabalho visual do encarte, conferir as letras das músicas e guardar como recordação. Em breve lançaremos o Vinil também.

Arena Metal - Quais os planos para o futuro do Alekto?
JHOKA - Estrada, muita estrada ...rsrs... Nosso show de lançamento será em São Paulo no dia 28 de Abril, no Stage Bar, com os caras do Fúrias Inc. e Hammurabi. Temos confirmada uma tour europeia com a On Fire Booking em novembro e uma tour nacional com a Relentless Booking que logo será anunciada. Acho que agora o plano é esse: cair na estrada o mais breve possível.

Arena Metal - Gostaria de fazer uma pergunta um pouco diferente agora: No Brasil, temos dezenas de bandas fodas quando falamos de Metal e suas vertentes. Quando se fala de Pernambuco e o Nordeste, quais bandas vêm na sua mente?
WOESLEY - Cangaço! A técnica e peso que esses caras colocam em cada música é simplesmente muito interessante e tudo muito bem composto, passagens, arranjos, vocais guturais super dominados e sem falar da guitarra que ao meu ver é um dos elementos que mais destaca as composições da banda. Mas também temos várias outras muito fodas como JackDevil e a lendária Headhunter D.C.

Arena Metal - Como vocês se apresentariam para alguém que não conhece a banda?
WILL - Somos uma banda nova na cena, gostamos muito do que fazemos, e nos dedicamos muito para criar esse projeto. É um groove metal com peso e velocidade que com certeza vai deixar a sua marca na história do heavy metal nacional.

Arena Metal - Muito obrigado pela atenção, o espaço agora é de vocês.
WILL - Tamo junto nessa! Todos nós respiramos o metal todos os dias e cabe a nós garantir que continue impactante e que deixe essa marca forte na história. Fazemos parte dela, todos nós!

Agradecemos à galera do Arena Metal pela entrevista!

 

por Wanderson Manson

<< Voltar ao Site