Banda: ELIZABETHAN WALPURGA

Categoria: Black Metal

Ano: 2000

Sei que é ousadia comentar sobre material antigo, mas a intenção deste site é manter viva nossa cena, então devemos relembrar sempre de quem fez parte dessa história. Por isso esperei este material completar 10 anos para pode resenhar. Estou me referindo à Demo Tape “Desire” da fúnebre ELIZABETHAN WALPURGA. Uma antiga banda de Black Metal que tinha passagens de Dark e Heavy em suas composições. Ela foi formada em 1995, na capital pernambucana por ex-membros da Infected (o baixista Renato Matos e o vocalista Rogério Mendes), mas este material só foi lançado em 1999. Nesta época a banda disparou em shows. Ainda me lembro que, no ano seguinte, a mesma tocou ao lado da Krisiun, no Dokas.

E esses caras fizeram história: Leo Mal’lak (V) - Renato Farias (B) - Erick Lira (G) - Breno Lira (G) – Belchior Melo (D) compuseram um grandioso stuff da ELIZABETHAN WALPURGA, contendo 4 faixas de respeito ao Black Metal pernambucano. O material inicia-se com “Clamitat Vox Sanguinis”, que soa como um convite ao inferno, tal como a segunda faixa, de exagerado título, “The Canine Enchantment by the Plhebotomy (In the Jugular's Stream)”. Ambas as músicas citadas, após curto riff de introdução nos ataca com vocais rasgados e estridentes. As levadas são as tradicionais cadências e alternadas rápidas de bateria, com os riffs cortantes adicionados com vocais cantados em cima da melodia.

“Walpurgisnacht” nos surpreende com um riff introdutório extremo. Em seguida, as cadências, algo que a banda fazia muito bem. Mais uma surpresa no meio da faixa, pois há um declínio nas levadas extremas e vem uma sequência de acordes e dedilhados. Para fechar esta música, solos completamente melódicos.

Fechando a demo, uma invocação vinda de uma vinheta é aplicada na faixa “Vampyre” e logo em seguida a Elizabethan Walpurga destila um “puta” Black Metal, com solos que enriquecem a canção, preenchidos de riffs bate-cabeça, acompanhando de vocais inspirados nas escolas nórdicas. Em minha opinião esta é a faixa destaque por tudo: elaboração de arranjos, oscilação de ritmos e o contra baixo aparece nitidamente.

Infelizmente foi uma banda que não durou muito pois Renato e Belchior mudaram-se para os Estados Unidos e a banda não teve continuidade. Léo Mal’lak ainda gravou dois CDs com o Lord Blasphemate, de Natal e os irmãos guitarristas sumiram da cena.

(por Hugo Veikon)