Banda: DEGUELLA

Categoria: Thrash Metal

Ano: 2014

Quando me deparo com um trabalho acima da média de uma banda nordestina, fico muito feliz e orgulhoso. Logo nos primeiros acordes da piauiense DEGUELLA, você nota que o capricho na produção e arte gráfica já os diferencia de alguma forma. A divulgação e distribuição da MS Records, com certeza, alavancará o DEGUELLA.

A banda, formada em 2007, em Teresina/PI, deram uma parada entre 2010 e 2013 mas retornaram para gravar este álbum. O som dos caras circula entre um thrash mais moderno e um hardcore mais leve e sem tanta velocidade. Ao todo são 12 músicas, todas em português, exceto em alguns momentos onde são inseridas palavras ou frases em inglês. A própria faixa título, "Headshot" é um destes casos.

O CD inicia com "Auto- Destruição", que expressa bem tanto o estilo da banda como as características de todo o CD: música pesada, letra curta, boa dicção do vocalista Leopoldo e time afiado (Fabio e Pádua nas guitarras, Fernando no baixo e Delson na bateria).

Mas as coisas saem um pouco dos trilhos na faixa seguinte, "Headshot" deixa uma lacuna que se acentua ao longo do CD: falta de força nas letras. Por vários momentos do cd se sente que as letras poderiam explorar e explicar mais o tema principal. Particularmente, desde que o Korzus lançou "Catimba" por volta de 2000 que também não vi a mistura de línguas com bons olhos do modo como eles fizeram. E o Deguella caiu neste mesmo equívoco, acentuado pelo fato que o sotaque e a pronúncia de Leopoldo não soam bem, vide a faixa "Estorvo".

A faixa "Hiena" é até difícil de ser bem resenhada pois é uma faixa forte, pesada, bem tocada e ainda tem a participação de Chakal Pedreira, do Obtus, nos vocais, mas ela é uma faixa com tantas quebras de ritmo e mudanças, que não empolga tanto. E algumas passagens vocais colaboram com isso.

As coisas voltam aos trilhos em "Corrente da Escravidão" e pega pesado em "Álcool", com participação de Petillo, do Into Morphin, com um vocal monstruoso. Mais no final também se destaca “Transtorno”, com suas parte pesadas

Quem gosta de peso e cadencias, certamente vai gostar muito deste bom trabalho.

Cheers!

[Facebook]

(por Léo Quipapá)

                                               << Voltar ao Site