Banda: DARK TOWER

Categoria: Black / Death Metal

Ano: 2013

Vou tentar ser imparcial e não promover o CD “... Of Chaos and Ascension”, da banda DARK TOWER, mas que é perfeito, é.

Preparando o terreno pra depois lançar uma dinamite foi o que fez a banda DARK TOWER no intervalo de 2011 a 2013 veio o material intitulado “... Of Chaos and Ascension”. Com uma superprodução em parceria com a Eternal Hatred records e Distruição da Voice Music o álbum tem 11 faixas e ganhou o formato Digpack. Arte elaborada Rodolfo Ferreira (Obsidian Designs).

Você ouvirá, sem sombra de dúvida, um dos grandes materiais já lançados no Brasil. As composições são esplêndidas e já na faixa “Dawn (Of Darkened Times)” o suspense já nos faz parar e se fixar nas melodias, que além de harmônicas são pesadas, com doses muito bem orquestradas. A dupla de vozes, Flávio Gonçalves e Rodolfo Ferreira, mostra já no início do caos o potencial de entrosamento e criatividade, lançando a voz rasgada executada por Flávio e a afinação do vocal semi limpo de Rodolfo, este último que também mostra o extraordinário talento no set da bateria.

Você pode até pensar que tenho elogiado todos os últimos materiais resenhados aqui, mas todos nós, na verdade, temos de nos orgulhar porque realmente não tenho recebido um material sequer pra tecer críticas negativas. E esse então, pra quem cultua uma linha Black / Death irá perceber que criatividade não faltou para esta banda. É impossível destacar uma única música se todas são feitas com maestria.

“Into The Void” é outra faixa que faz uma mescla perfeita de peso e melodia, longe de resquícios melodiosos e enfeites desnecessários. Você percebe que os arranjos foram pensados e criados com ‘feeling’. “Retalioation” (faixa do single de 2011) é outra que tem peso e técnicas em seu instrumental, desde a citada bateria à suas cordas, partes estas executadas pelos irmãos Pirozzi (Romulo: guitarra – Murilo: baixo, que já não fazem mais parte da banda).

Ouça “Murder Of Anne” (do EP 2008) e note o sentimento explorado nesta música tanto nas harmonias, como na parte lírica. Outra música que veio de materiais lançado anteriormente é a faixa “Lord Ov The Vastlands” (do EP 2009), com uso de orquestração de teclado usado na medida certa, preenchendo seus ouvidos com elementos fúnebres e é mais uma que demostra dinamismo fazendo uso do vocal semi limpo. “Vengeful Warrior”, que apesar de ser cantada em inglês, como todas as faixas, fala um pouco da história da mitologia tupi, tendo como personagem principal o Tupã, a manifestação de um deus indígena. Interessante isso, porque mostra que não precisamos nos basear em mitos do velho continente. Até mesmo na parte instrumental você sentirá uma essência mais regional.

O álbum vai chegando ao final com as faixas “Human Like Fire” e “The Rise of the Dark Tower” do EP Specters Arrival, de 2008. E a inédita e instrumental “...Of Chaos And Ascension” que encerra o disco. Sem palavras para tamanho achado do Black / Death brasileiro, com composições permeadas de variações de muito bom gosto e criatividade. Se você é daqueles que gosta do som extremo com variações, ou você é daqueles que gosta de subestimar as bandas brasileiras. Te apresento a Dark Tower.

(por Hugo Veikon)

                                               << Voltar ao Site