Banda: COLDBLOOD

Categoria: Death Metal

Ano: 2013

Sou suspeito pra escrever sobre a COLDBLOOD, pois para uma pessoa que adquiriu os álbuns anteriores por admirar as composições desses insanos não pode-se dar outro nome a não ser fã. Sim, eu sou fã da COLDBLOOD. A banda tem uma pegada que vai do tradicional ao extremo e isso me cativa nesta banda. E não vou nem citar as letras anti-religiões.

Não vou me estender querendo comparar este álbum aos anteriores, mas a fase do "The Other Gods" foi a que mais gostei da banda. Até hoje, acho que é um material que nos remete a guerra.

Não desmerecendo este atual trabalho, mas é simplesmente uma questão de gosto.
Mas vamos falar do "Chronology of Satanic Events", que soa bem cavernoso devido a nuances do Black Metal, mas também notei que eles ficaram menos agressivos (essa observação se reflete mais para as partes das guitarras). E eles ainda são os Death Metallers de sempre, mas é inegável que as partes instrumentais também ganharam elementos Black Metal.

A segunda faixa do álbum - "Cross Inversion" - chama mais a atenção. Os riffs são instigantes, propícios a provocar os bangers, que valorizam as músicas. "Hell Transcendental" também é uma faixa que merece menção, com suas letras de louvor a satã. Você consegue perceber o sentimento hostil da música. Em "Metastasis (Christ)” também dá seu Hail, com arranjos de alavancadas logo no início da faixa. Esta também soa marcante por ter aqueles tradicionais andamentos oscilantes, que são explorados no tradicional Death Metal. Quando vi a faixa "Avoid Jehovah" pensei que seria uma instrumental, por ter um tempo curto, mas nos engana. Perfeita! pois não nos cansa. A faixa mais extensa é a que deu nome ao álbum e que fecha este full-length.

Ao vivo a banda conta com participação especial no contrabaixo, como pude conferir no ParáNoise Fest III. Para este material a Coldblood contou com seu remanescente Mkult na bateria, Arthur Cirio (antes que desempenhava o papel de guitarra e vocal) que apenas realizou o papel de guitarra e deixando de frontman D. Arawnn, que ficou com os papeis de Guitarra e Vocal.

O lançamento ficou a cargo da Distro Rock Rec. e vale ter este material em sua coleção!

[Facebook]

(por Hugo Veikon)

                                               << Voltar ao Site