Banda: SPREADING HATE

Categoria: Death Metal

Ano: 2013

Ao ouvir o álbum Hatecomming você chega a conclusão que as bandas brasileiras têm perfil para conquistar os apreciadores do Metal ao longo do mundo. Esse material é a novidade do portfólio da banda paulista SPREADING HATE. E que material!

A música “Ligthed” reforça o quanto eu deixei minha modesta de lado dessa vez e reforço o quanto minhas palavras estão certas. Que música perfeita! As melodias, a estrutura do refrão, o conteúdo literário e trabalho de bateria recheado de  ‘double bass’ que, a propósito, tem um certo destaque em todo o álbum, pois raramente vimos um trampo tão bem trabalhando com alternância e definição nessa peça deste instrumento. Vale lembrar que esse cara, Lucas Cassero, pegou o bonde andando e assumiu as baquetas de 2010 pra cá.

Todas as músicas são bem estruturadas, mas vou pular para a sexta faixa, que recebeu o nome de “Anesthesia” e mostrou o quanto a banda mudou da água (vida) para o vinho (alucinógeno) e me fez viajar nas melodias. Porque nesta faixa rola o oposto da “Ligthed”. Nesta não há agressividade, há apenas uma atmosfera carregada e fria. Apesar de que chega um momento em que Lucas Cassero manda um blast beat, mas as guitarras de Jeff Hita e Renan Brito (que também ocupa o cargo de vocalista) conseguem ofuscar o peso da bateria e manter o sentimento da música.

Pra você que já se empolgou justamente por muitas vezes esperar que uma banda consiga apresentar peso e melodia em sua musicalidade, aqui tem mais uma banda que recomendo pois a Spreading Hate faz muito bem o som proposto, que é um Death com Heavy, mas nada chato ou melodioso como algumas bandas europeias.

Importante também citar Chrystian Szankowsky, que foi uma peça-chave para deixar o áudio limpo, porém pesado e audível. Ele foi responsável pela mixagem e masterização. O nome dele até soa como europeu, mas o mesmo é daqui do Brasil.

Apesar do nome do álbum ser o mesmo título da oitava música deste CD, “Hatecomming”, acredito que a arte foi mais inspirada na sétima faixa “RISE”, pois o acidente de trem retrata bem a correria que essa música tem, com riffs e o ‘double bass’ completamente violentos. Tudo nessa música nos remete a uma locomotiva e não posso esquecer de dizer que a arte foi assinada por Fernando Lacuccia, da Flama Design. Vale muito conferir cada uma das nove faixas desse excelente trabalho lançado pela Eternal Hatred Records.

(por Hugo Veikon)

                                               << Voltar ao Site