Bandas: BLOODWORK

Categoria: Death Metal

Ano: 2015

Ouvir este cd dos gaúchos do Bloodwork e não remeter imediatamente ao Cannibal Corpse do “The Bleeding” é IMPOSSÍVEL! Os timbres das guitarras de Deleon Vith e Rafael Lubini, o volume do baixo de Henrique Joner, a velocidade da bateria de Felipe Nienow e, principalmente, a voz de Fabiano Werle. Tudo no CD exala um clima gore vide os temas, as citações e as letras. O som do Bloodwork é aquele típico Death Metal ‘old school’ americano, onde o som transita também entre o Deicide e o Malevolent Creation, além do já citado Cannibal Corpse. A arte gráfica é repleta de podridão e absurdos.

É um CD curto, de oito faixas distribuídas em pouco mais de 21 min de porradaria sem perdão. Abrem com “Defecating Broken Glass”, que narra a singela aventura causada por um vidro que quebrou na boca e foi engolido durante um sexo mais selvagem, mas que saiu rasgando tudo depois. Uma faixa que tem bom instrumental é “Suck my Cut Finger”. Em “Human Slaughterhouse” há uma narrativa em primeira pessoa de uma das histórias do livro “Canibais – Paixão e Morte na Rua Arvoredo” do também gaúcho David Coimbra. Outro som interessante é “Necro Sex Club”, onde os caras narram um clube de pessoas necrófilas.

Resumindo: é um cd doentio para pessoas doentias. Pesado, não tão veloz mas muito criativo.

Cheers!!!

(por Léo Quipapá)

                                               << Voltar ao Site