Banda: O BAROK-PROJEKTO 

Categoria: Metal

Ano: 2016

Cada vez mais a criatividade musical nos apresenta facetas surpreendentes. E o BaRok-Projekto é um exemplo desses. Tanto o conceito visual como a sonoridade e a utilização do Esperanto (isso mesmo, a linguagem criada para ser universal) nas letras e textos são atrativos à parte.

Logo na faixa inicial "Antauparolo de Prapatra Kaciko" notei uma similaridade com a sonoridade do Braia, projeto solo de Bruno Maia, do Tuatha de Dannan. Já a segunda faixa, "Tauba kaj Kerana (Malbeno 1a. Parto)" chega a lembrar uma mistura de Nightwish com Angra da época do Holy Land. E essa mistura se evidencia mais em "Ce ni estas Abasai", principalmente pela bateria de Júnior Nieri e as passagens acústicas de Muniz.

Em "Regino de la Nokto" temos a participação de Marlon Baco, que brutaliza os vocais, contrastando bem com o trabalho soprano de Karliene Araújo, lembrando os primeiros trabalhos do Theatre of Tragedy. A calmaria volta com a faixa título, "Sovaga Animo", num clima mais bucólico e medieval, como nos trabalhos do Blackmore's Night, com direito a flautas de Rafael Milhomem, que também é responsável pelas guitarras. O baixo de Thiago Alberto aparece bem na introdução de "La Sep Filoj", que é a segunda parte de "Malbeno", tem tempos muito quebrados e andamento bem empolgantes. 

Outra faixa que me agradou foi "La Sagoj de Rudá", com muito peso, ótimos riffs duplicados, batera com pedal duplo mas cadenciado. As seguintes, "La Melodio de Akūandura", "Kaapora" e "La Prej Bona Časisto" mantém o peso.
Posso dizer que é um álbum muito ousado, mas muito bom para quem não impõe limites aos ouvidos. Vale a pena conferir!

 

Cheers!!!!

(por Léo Quipapá)

                                               << Voltar ao Site