Banda: AXECUTER

Categoria: HEAVY SPEED

Ano: 2014

Sabe aquele CD que, mesmo novo, ao você abrir já sente aquele cheiro de poeira e sensação de nostalgia? Essas são algumas das nuances que você terá ao ouvir esse Anthology, dos paranaenses do Axecuter.

A nostalgia impera nesse CD, que compila faixas de todos os trabalhos da banda. Mesmo sendo faixas de 2010 pra cá, você se sente numa viagem do tempo até meados dos anos 80.

No encarte do CD há também um breve resumo sobre cada trabalho deles e alguns detalhes sobre as faixas. A partir destas informações, devemos parabenizar Luciano Elias, da Rising Records de Mossoró/RN, por nos propiciar acesso a este trabalho. Agora vou explicar alguns motivos deste agradecimento.

Logo na faixa de abertura, "Bangers Prevail", após um início que remete ao Venom, entra uma parte que lembra muito o Motorhead. O cd segue com a ótima "The Axecuter" e seu ritmo mais thrash. A terceira faixa, "Ritual of Decibels", tem ritmo mais cadenciado e guitarras muito pesadas. Em alguns momentos os vocais de Danmented (também guitarrista) e T. Basstard (também baixista) lembram muito o estilo de Mille do Kreator na época do Coma of Souls.

E o CD vem recheado de perolas também. A primeira delas atende pelo título de "Dominios of Death", do seminal Vulcano. Interessante destacar que esta faixa foi um bônus da regravação do primeiro EP, de 2010, sendo que o original havia sido lançado em tape por uma gravadora francesa e o segundo por um selo chileno no mesmo formato.

O segundo EP saiu em formato de vinil e lançado por uma gravadora alemã. Das duas faixas, destaco a faixa título, "Innocence is our Excuse", que nesta versão da Rising veio aditivada pela introdução original, que ficou de fora da prensagem devido a limitação do tempo. Nela, as influências de Grave Digger e Nasty Savage são bem destacadas. Deste trabalho em diante, o baixo ficou a cargo de Rippervert, mas a qualidade sonora se manteve intacta.

Do álbum "Metal is Invicible", de 2013, foi extraído o cover de "Heavy Metal to the World" dos americanos do Manilla Road. Uma faixa muito bem escolhida, diga-se de passagem pois é um tema rápido e forte e que contou com a participação de Mark Shelton em parte dos vocais e guitarra solo. Nela, também destaco uma maior evidência da bateria de Baphometal, principalmente nos pedais duplos. Por se tratar de um álbum completo (no caso, apenas regravaram Bangers Prevails), os caras optaram por colocar apenas este cover deste trabalho neste Anthology. Outras duas regravações deveriam entrar neste álbum, mas ficaram de fora e foram relançadas posteriormente no EP intitulado apenas como Axecuter e compilados neste trabalho que estamos resenhando. Detalhe para a sinistra arte de capa, que mostra uma caveira decapitando um “banger moderno”, com seu alargador de orelha e camiseta do Roots do finado Sepultura.

Outra sobra de estúdio do álbum de 2013 foi lançada sobre o título de “Raise the Axe”, cuja faixa título é muito boa e conta também com o cover da obscura “Blackned are the Priest” do album Prime Evil, do Venom, e que conta com as participações de nada menos que Tony “Demolition Man” Dolan nos vocais e Mantas (membros do Venom à época do lançamento deste Prime Evil).

Finalizando o cd, temos o cover de “Blood and Iron” do Cirith Ungol, única faixa que não consta nos demais trabalhos dos caras e que fecha com chave de aço e ouro esse excelente cd.

O único porém do cd é um detalhe muito pequeno: faltam informações sobre as formações da banda em todos os trabalhos. Claro que os fãs e os caras mais curiosos vão correr atrás das informações na net, mas os novatos ou pessoas sem tanto acesso não terão facilmente estas informações. Mas no geral, o trabalho gráfico é excelente e a banda mantém viva a essência do underground! Raise your fucking horns!

Cheers!!

[Facebook]

(por Léo Quipapa)

                                               << Voltar ao Site