Bandas: ASTAFIX

Categoria: Thrash Metal

Ano: 2015

Lembro que as primeiras notícias que li sobre o Asterix  focavam o fato que a banda era liderada por Wally, que por muito tempo foi guitarrista do CPM22, mas que estava enveredando para um estilo mais pesado e moderno, sendo que agora ele assumia também os vocais. Confesso que baixei o álbum de estréia para sacar e achei exagero da imprensa dizer que o trabalho era maravilhoso. Quando esse novo cd, Internal Saboteur, chegou em minhas mãos, confesso que fiquei com o pé atrás, mas muita coisa mudou... E pra melhor.

O cd inicia com a rápida e violenta "Karma Kill", que é seguida pela pesada "The Scourge", que abusa da afinação baixa e não aumenta velocidade, criando um clima muito denso. Aí vem o primeiro destaque do trabalho, a faixa "Blood Sun", que me surpreende pois é Messhuggah puro tanto pela batida como pela afinação baixa e tempos quebrados, graças ao ótimo trabalho de Thiago Caurio na bateria. Um ponto a se destacar nestas três faixas é que elas foram co-escritas e executadas em parceria com o falecido guitarrista Paulo Schroeber, que era um cara de talento ímpar que se foi muito cedo.

Em "Doomsday Device" as influências do Messhuggah continuam, sendo que o baixo de Ayka (que também é vocalista) se destaca e Cássio Vianna encaixa bons solos de guitarra.

Em "Desfigured Conscience" os caras exploram acertadamente uma vertente thrash mais moderna e pesada mas em "Ghosts" eles surpreendem por explorarem algo mais experimental, chegando a lembrar o que o Fear Factory ja fez em faixas nesse estilo. Esta também foi escrita em parceria com Schroeber e meu maior destaque do cd.

A faixa -título também explora o thrash mais moderno mas com alguns momentos mais saudosistas. Seguem com a curtíssima"Say No!", um hardcore com letra politizada anti corrupção e pró manifestações de rua.

A última faixa do cd com participação de Schroeber é"Unknown", que tem um ritmo bem quebrado, mas igualmente pesado. Já chegando o final do cd temos "The Dome", que até flerta com o doom metal em alguns momentos. Fechando o cd, "Traitor", que tem uma introdução longa mas que explode com guitarras em afinação um pouco mais altas e batera mais seca e clara.

O material, comparado ao primeiro cd, tem mais diversidade e ótimos momentos. Ele foi produzido por Brendan Duffey, que co-assina 10 composições, e a capa é de Marcelo Vasco, que integra, entre outras bandas, o Patria e que já desenhou capas para o Korzus, Rebaelliun, Slayer e Vader.

Cheers!!!!

(por Léo Quipapá)

                                               << Voltar ao Site