Bandas: ADRIANO FORTE

Categoria: Hard Heavy

Ano: 2016

Apesar de todas as dificuldades que se vê no cenário Rock/Metal, o vocalista e compositor Adriano Forte encara mais um projeto em sua carreira musical. Desta vez ele coloca pra frente o seu projeto solo como prioridade, que já estava previsto o lançamento há tempo, mas, como falamos inicialmente, a dificuldade em falta de apoio e vários outros pontos fazem com que esse EP levasse um pouco mais de tempo pra ser lançado.

Pra quem não conhece o trabalho de Adriano, ele é o vocalista da banda pernambucana de Power Metal LETHAL RISING, mas aqui as músicas não ficam presas ao Metal (na verdade a única neste estilo é a última faixa, “Spewing Lies”). Fica evidente que ele não quis manter o padrão que faz em sua banda. A música de abertura “Flower and Peace”, por exemplo, que já começa com pegadas mais grunges, um clean vocal. Eu não consegui pensar em nada de referência desse movimento, mas os vocais dessa música são bem leves, sussurrados, sem muitos exageros de agudos e notas altas. Até cheguei a ouvir outra versão dessa música que gostei mais, porém o resultado também ficou de ótimo nível.

Como eu acompanhei o processo de gravação e aos poucos conheci as músicas antes mesmo de serem lançadas, ficou meio obvio na hora de falar sobre o material. “Life After Death” é outra bem soft, já beirando o hard rock, ao lado da “Between Skull and Bones” ainda mais leve e de muita competência em vários aspectos, seja criatividade instrumental, encaixe de letras... me senti ouvindo Scorpions.

Temos ainda “Never Ends” que volta à pegada mais hard. A única música nesse EP que diríamos que Forte trouxe de inspiração de sua banda Lethal Rising, ou talvez pudesse ter usado nela, é a faixa “Spewing Lies”, que encerra esse trabalho.

A formação que gravou este material contou com o apoio, em todas as faixas, de seu guitarrista Marco Melo, que, diga-se de passagem, tem um puta feeling. Ainda com algumas participações especiais no contra baixo de Sola Bass e Gabriel Carvalho. Na faixa de encerramento também contou com a colaboração do guitarrista Lucas Guimarães com o solo.

No final eu fiquei imaginando esse EP todo em formato acústico. Fica aí o desafio ao vocalista!

 

(por Hugo Veikon)

                                               << Voltar ao Site