Banda: ABHORRER

Categoria: Death Metal

Ano: 2001


É uma honra pode viajar ao passado e poder resenhar sobre um dos grandes nomes do Death Metal do cenário extremo Pernambucano do Recife, a ABHORRER, formado por Luiz Tatoo – Vocals, Fred Marcos – Guitar, Jonas Prado – Guitar, Edmundo Monte - Bass e Charles Frlan – Drums.

Este artefato contém 5 hinos de violência, insanidade, sangue e ódio, ingredientes que não podem faltar para as pessoas que se propõem a executar o Death Metal.

A primeira faixa intitulada “Unknown Bodies (Ruanda)” é bem na linha dos primórdios – Morbid Angel, Dismember, Death – mesclando bem  entre o Death e o Thrash, riffs bem nítidos e uma cadência bem notável, com passagens de vocais limpos, mas não diminuindo sua agressividade.

Em seguida, temos “Sadistic Supremay”, que retrata a perversidade humana, bate cabeça do início ao fim, com algumas poassagens rápidas (Thrash) e riffs bem cadenciados na linha “Possessed” e “Autopsy”.

Chegamos na música título “Faces of Death”, e a mais pesada, com algumas partes bem rápidas, vocais bem agonizantes , principalmente nos refrãos e novamente usando vocais limpos, sem perder a agressividade e o ódio.

A 4ª faixa, simplesmente chamada de “Intro” e um instrumental, começa com um dedilhado, depois entra com toda sua agressividade, o bate estaca da bateria e bem notável e em  seguida caindo na cadência e até com passagens Heavy Metal, destaque para os solos de guitarra.

Última faixa “Inert Victim” retrata o ser humano preso as suas mais profundas agonias, os riffs são bem marcantes e cadenciados, os vocais bem expressivos, um Death Metal bem técnico e poderoso.

Recomendo aos verdadeiros amantes e cultuadores da Velha Escolado Metal da Morte.

(por Willams Ângelo)