Bandas:
NATURAL CHAOS
HUMANA PLAGUE
IMPETUS MALIGNUM

Categoria: Death Metal

Ano: 2014

Sempre achei esse lance de split meio difícil de dar certo, pois raras as vezes as bandas são boas e as gravações satisfatórias. Quantas vezes já não vimos uma ótima banda num lado A e uma banda bosta no lado idem?


Aí cai no meu colo um 3 Way… Confesso que não conhecia as bandas envolvidas, mas se estes caras manterem os respectivos níveis, terei três citações certas em listas de melhores em breve. Pra facilitar, podemos imaginar três demos que a resenha fica mais fácil, visto que os estilos são bem distintos.


O primeiro trabalho é da banda Natural Chaos de Porto Alegre/RS. Os caras chegam sem arrodeios, com um death metal com muitas pitadas de Cannibal Corpse e uma ótima gravação. Todos os instrumentos estão muito bem gravados e equalizados, apesar de na primeira música, “Carnage”, passar uma impressão que a bateria não está no mesmo compasso da guitarra. Das três músicas eu destacaria duas: a própria “Carnage” por ser muito forte e “Chaos” por ter uma batida mais cadenciada. Uma evidência nestas músicas do Natural Chaos é que elas possuem equalizações distintas entre si.


A segunda banda, Human Plague, vem de Santa Maria/RS e já apresenta um som menos brutal, mas bem cadenciado. Em alguns momentos, eu diria que os caras mesclam um pouco de heavy tradicional com passagens que lembram o Rotting Christ, apesar do vocal gutural. A gravação já é um pouco mais abafada, mas tudo está audível e sem som embolado. Das três faixas, eu destacaria “Silent War”, pois a mesma tem um andamento muito bem trabalhado.


Por último, e não menos importante ou ruim, os também gaúchos do Impetus Malignum nos brindam com uma pancadaria mezzo death mezzo. Aqui as guitarras são bem mais estridentes e o clima é bem mais denso em relação às demais bandas. As quatro faixas apresentadas mantem uma coesão incrível. Da formação original da banda, apenas Disarmoneous (guitarra e vocal) permanece, mas o trabalho deles me surpreendeu positivamente. Entre as faixas apresentadas eu destacaria “Slave of Prophecy” e “Death Ride”, que é título de um single lançado pela banda em 2010.


Iniciativas como esta sempre fortalecem o underground e permitem conhecermos ótimas bandas.

 

(por Léo Quipapá)

                                               << Voltar ao Site